O vício em jogos de azar é mais comum entre os americanos adultos do que a dependência ao álcool

Pesquisa mostra que vício em jogos de azar não é tão incomum
Getty Images
Pesquisa mostra que vício em jogos de azar não é tão incomum
A descoberta do Instituto de Pesquisas Sobre os Vícios da Universidade de Buffalo desafia pesquisas anteriores e o conhecimento popular de que o vício em jogos é um problema raro.

O Instituto analisou duas pesquisas nacionais – uma com 2.631 adultos acima dos 18 anos de idade e outra com 2.274 pessoas mais jovens, entre os 14 e os 21 anos de idade – para determinar padrões na dependência dos jogos de azar e do álcool em diferentes faixas etárias.

Os resultados revelaram que a dependência dos jogos aumentou durante a adolescência, atingindo seu ponto máximo dos 20 aos 30 anos e diminuindo depois dos 70.

Homem x mulher
Os pesquisadores também constataram que a participação frequente em jogos de azar é mais comum entre os homens (28%) do que entre as mulheres (13%), sendo que eles atingiram os maiores índices no final da adolescência enquanto elas, em idade mais avançada.

A probabilidade de ter participado de jogos de azar nos últimos anos foi bem maior entre as pessoas de raça branca do que entre as asiáticas ou negras. Entretanto, os índices de participação frequente foram bem mais altos entre os americanos de raça negra e de origem indígena.

Leia também:
- Rainhas do pôquer

A equipe de pesquisa também constatou que o índice de problemas aumenta à medida que há uma queda no padrão sócio-econômico. Em classes sociais mais elevadas, o envolvimento tende a cair.

“Essa é a primeira análise comparativa já realizada sobre o tema, portanto não existe material disponível para uma comparação direta de resultados”, disse John W. Welte, que conduziu o estudo. “Mas, devido a nossas constatações sobre a persistência dos problemas com os jogos na idade adulta, maiores iniciativas de prevenção e intervenção são mandatórias”, ele complementou.

O estudo foi publicado na revista especializada Journal of Gambling Studies.

(Tradução: Claudia Batista Arantes)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.