Cinco perfis inspiradores de mulheres urbanas das várias regiões do país: Helena, de Brasília, DF

Helena Silvia Fialho Moreira, de Brasília, Distrito Federal

Helena Silvia Fialho Moreira vive em Brasília e trabalha no Partido Verde
Acervo pessoal
Helena Silvia Fialho Moreira vive em Brasília e trabalha no Partido Verde
Uma cidade que é um projeto arquitetônico em forma de avião, sede do Distrito Federal. Esta é Brasília, quarta cidade brasileira mais populosa do Brasil, onde vive Helena Silvia Fialho Moreira, 58 anos, formada em Educação.

Helena trabalha na liderança do PV (Partido Verde), na Câmara dos Deputados, e é considerada uma pessoa de sorte. “Eu tenho certeza disso. Meus mais importantes desejos têm sido atendidos. Mudar de rota profissional aos 54 anos foi um deles”, conta. Neste momento, está envolvida no esforço do partido para garantir que o novo Código Florestal Brasileiro não seja aprovado sem ao menos uma discussão sobre as alterações que foram introduzidas na proposta original.

Helena é casada com Eustáquio e tem dois filhos, João Pedro, de 25 anos, e Luis Carlos, de 24, todos moram juntos e a casa ainda abre as portas para receber os agregados. “Nosso quarto de hóspedes tem vários “donos”, que se alternam por temporadas – irmão, primos, sobrinhos, amigos, amigos dos filhos... a casa é acolhedora e por diferentes circunstâncias, as pessoas já passaram semanas, meses e até anos conosco”. Todos ajudam nas tarefas domésticas, ‘sou mandona, mas sem tirania”, ela diz de si mesma.

Como se poderia esperar de uma partidária do PV, Helena é adepta dos orgânicos, recicla lixo e evita carne vermelha, mas “tudo com bastante flexibilidade”. Versatilidade é outra palavra que combina com o estilo de vida dessa moradora de Brasília. “Não tem comida típica daqui’, Helena conta, “mas a cidade oferece tudo de todas as regiões do Brasil”. É cozinhando para a família e para os amigos, no estilo que define como ‘versátil porque vai da comida mineira à culinária francesa”, que ela curte o final de semana.

O que não pode faltar no café da manhã, pergunta a repórter do iG: “mamão, linhaça, mel, pão integral, queijo magrinho e conexão imediata com o mundo”.

Helena tem seu lado mulherzinha como todas as mulheres, que ela expressa fofocando com as amigas. “Geralmente os encontros acontecem em casa, já tivemos o Clube do Pastel e nos encontrávamos todas as sextas-feiras para conversar, tomar cerveja e comer pastel.” O grupo vai mudando de foco, mas “o espírito de cumplicidade e a troca de figurinhas continua”.

Na agenda cheia cabem duas horas por dia de cuidados consigo mesma, que ela gasta caminhando ou correndo pelos seus dois lugares favoritos, o Parque da Cidade e o Parque Ecológico Olhos d’água, vendo TV ou lendo.

“O melhor de Brasília é a diversidade e costumava ser a segurança”, ela conta, hoje, segurança é um aspecto questionável “não temos muitos pedintes na rua, mas o cinturão de miséria em volta da cidade, com altíssimos índices de violência” é o que mais preocupa, “a desigualdade social é o maior problema daqui e do Brasil”.

Brasileiras do Norte ao Sul

Helena Silvia Fialho Moreira, de Brasília, Distrito Federal

Rejane Maria Siqueira Cavalcanti, de Recife, Pernambuco

Márcia Cristina Borges da Silva, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Osvaldina Batista Valadares, de Belém, Pará

Thais Prado Horta, de São Paulo, São Paulo

CADASTRE-SE PARA RECEBER A NEWSLETTER DO DELAS CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.