O Carnaval te dá saudade do silêncio? A meditação pode ser o caminho para encontrar calma no meio da folia

Talvez a praia não esteja tão vazia. Mas o melhor é aprender a abstrair
Getty Images
Talvez a praia não esteja tão vazia. Mas o melhor é aprender a abstrair
Meditar não parece algo muito fácil. Quem consegue ficar parado sem pensar em absolutamente nada? Mas, com exceção dos foliões mais aficionados, muita gente acaba sentindo a necessidade de calma e foco com mais intensidade em meio à confusão do Carnaval. E se a idéia da meditação em si já parece complicada, no meio da folia fica ainda pior.

Veja também:
- Ser gentil faz diferença

Pode até ser que no início seja complicado mesmo. Mas instrutores e praticantes garantem: não só dá para meditar em qualquer lugar, como esse pode ser o segredo para encontrar a calma no meio de qualquer caos. Seja Carnaval ou problemas cotidianos. A persistência vale a pena.

Meditação e Carnaval combinam?
Os especialistas concordam que um lugar silencioso é o ideal, mas não é a única opção. É possível meditar até mesmo no consultório do dentista. “Eu consigo meditar no cabeleireiro ou quando estou fazendo as unhas. Em casa é mais prático, mas existem alternativas”, conta Ângela Veteri, 52, praticante há três anos.

“Se há vontade de meditar, o lugar é indiferente. Claro que para os iniciantes o mais indicado é um local calmo. Recomendo que se sentem numa posição confortável. Não ter estímulos externos como incenso e música de fundo também ajuda”, afirma Thaise H. Cabral, instrutora de meditação da Fundação Arte de Viver. Mas e durante o Carnaval? Será que é possível meditar? “Claro que sim. Depois de um tempo de prática, você vai ser capaz de meditar em plena folia. É só se concentrar e esquecer tudo que vem de fora. Basta se voltar para o seu interior”.

“Não acho que o lugar seja um obstáculo para quem quer ser praticante de meditação. O que eu observo é que as pessoas não estão acostumadas a reservar alguns minutos em suas atividades diárias para fazer um momento de reflexão. Muitos têm dificuldade em ficar simplesmente quieto, parado”, constata o instrutor de yoga e meditação e yogaterapeuta Salvador Hernandes

Como funciona?
Thaise esclarece que meditar não é apenas esvaziar a mente. “Meditar, na verdade, não é só pensar em nada. É estar num estado de total descanso. No início os pensamentos vêm, mas o que fazemos é não alimentá-los”, afirma.

Os primeiros passos são simples:

Procure um lugar confortável
Sente-se; deitar pode fazer você dormir
Preste atenção apenas em sua respiração
Os pensamentos virão. Apenas não os alimente
Repita o exercício diariamente, durante 10 a 20 minutos

Quem decide praticar a meditação quer exercitar e controlar sua mente. Salvador ressalta que o melhor caminho para começar é procurar um instrutor para que ele possa orientar o interessado. “Existem livros muito bons sobre o assunto, mas algumas dúvidas pontuais podem surgir e o profissional vai respondê-las de forma mais direta. Meditar em grupo também facilita porque a energia do ambiente está toda voltada para um objetivo comum”.

Técnicas e resultados
Uma das técnicas básicas que Salvador ensina no início de seus cursos é perceber a própria respiração. Este exercício vai trabalhar a capacidade de cada um de manter a mente atenta e focada em um único ponto. É a base para todas as outras técnicas. “Começamos assim para que todos entendam que são capazes de meditar. A partir do momento que os praticantes já estão dominando esta técnica inicial, partimos para momentos de meditação mais profunda”, completa.

É bom esclarecer que existem inúmeras maneiras de se praticar a meditação. Thaise utiliza mantra em seus exercícios diários. “Cada um precisa encontrar a técnica que mais lhe agrade. Se a pessoa não gostar de mantra pode tentar outras opções. Os resultados não demoram. Recomendo que seja um exercício diário que dure de 15 a 20 minutos. Depois de um mês praticando é possível sentir melhora”, diz.

Mas afinal, que resultados são estes? Especialistas afirmam que os benefícios da meditação vão desde uma melhora na pressão arterial até um sono mais tranqüilo. “Eu sempre fui uma pessoa muito irritada e tinha dificuldade em dormir. Quando ouvia algum barulho durante a noite, acordava e não conseguia pegar no sono novamente. Isso tudo mudou depois que comecei a meditar. Tenho uma vida muito mais prazerosa”, conta a arquiteta Ângela.

Além de dormir melhor, Ângela diz que também enfrenta o cotidiano de uma forma diferente. “Eu era do tipo que quando tinha um problema me encolhia e esperava passar. Hoje em dia eu ainda fico assustada com situações desagradáveis, mas me permito pensar em como posso resolvê-las. Minha mente pensa com mais clareza em tudo que está acontecendo no presente”.

Nada de sofrimento antecipado
Até mesmo o mundo corporativo já começa a se interessar pelo assunto. Salvador Hernandes presta serviço em algumas empresas e defende que a meditação faz com que o funcionário fique mais produtivo e focado.

É necessário que exista um local específico para este fim. Normalmente, o instrutor divide suas aulas em dois turnos para que todos possam participar, mas admite que o início do dia é melhor, já que a pessoa poderá se beneficiar daqueles minutos de meditação no restante do período de trabalho.

O instrutor explica que a meditação permite que as pessoas consigam se concentrar e focar no momento presente. Isto faz com que não haja sofrimento por antecipação. “Um exemplo claro disso pode ser uma situação em que a pessoa tem uma reunião em algumas horas e já fica imaginando que vai levar uma bronca por não ter atingido uma determinada meta. Ela não está focando no presente. Ela sofre por algo que ainda não é realidade e acaba divagando demais o que prejudica a atividade que ela deveria estar desempenhando naquele momento”.

“Um certo nível de estresse no ambiente de trabalho e na vida é necessário. Ele não nos deixa ficar acomodados e nos faz enfrentar novos desafios. Só que precisamos nos estressar no momento correto”, afirma Salvador. A meditação ensina a lidar com as emoções positivas e negativas quando elas realmente acontecem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.