Menos de 15% dos centenas de milhares de colaboradores que criam a enciclopédia são mulheres, apesar de o projeto ser aberto

Em apenas dez anos, a Wikipedia conquistou alguns objetivos significativos. Mais de 3,5 milhões de artigos em inglês? Feito. Ferramenta disponível em mais de 250 línguas? Claro. Mas um outro número se mostrou um obstáculo muito mais resistente para a enciclopédia online: pesquisas sugerem que menos de 15% de seus centenas de milhares de colaboradores são mulheres.

Há cerca de um ano, a Wikimedia Foundation, organização que administra a Wikipedia, participou de um estudo sobre a base de colaboradores da Wikipédia e descobriu que apenas 13% do total era formado por mulheres.

Sue Gardner, diretora-executiva da fundação que gerencia a Wikipedia, luta para elevar a participação feminina no conteúdo
Jim Wilson/The New York Times
Sue Gardner, diretora-executiva da fundação que gerencia a Wikipedia, luta para elevar a participação feminina no conteúdo
Sue Gardner, diretora-executiva da fundação, definiu como meta aumentar a participação feminina para 25% até 2015, mas ela está competindo contra tradições do mundo da computação e de um segmento obcecado por fatos que é dominado por homens e não-amigável para mulheres.

Seu esforço não é a diversidade pela diversidade, ela diz. “Isso é para garantir que a enciclopédia seja a melhor possível”, afirma Gardner. “A diferença entre a Wikipédia e outros produtos editoriais é que nossos colaboradores não são profissionais. Eles apenas são requisitados a contribuir com o que sabem. Cada um disponibiliza sua informação. E, se ela não está disponível, não podemos usufruir dela”.

Assuntos de menino x assuntos de menina
Com tantos assuntos representados – quase tudo tem seu verbete na Wikipedia – a disparidade entre gêneros muitas vezes aparece em termos de ênfase. Um tópico geralmente restrito a meninas adolescentes, como pulseiras da amizade, parece curto com seus quatro parágrafos se comparado às longas dissertações sobre assuntos que meninos preferem, como soldados de brinquedo ou cards de baseball, cujas volumosas descrições muitas vezes incluem uma cronologia detalhada.

Veja também:
- De menino, de menina
- Discutir a relação nem sempre é a resposta
- Chefe homem ou chefe mulher?

Mesmo os estilistas mais famosos - como Manolo Blahnik ou Jimmy Choo – têm apenas um punhado de parágrafos a seu respeito. A disparidade fica ainda mais clara entre duas populares séries da HBO: o verbete sobre “Sex and the City” tem apenas um breve resumo de cada episódio; muitas vezes apenas duas ou três frases. Já aquele que trata de “A Família Soprano” inclui uma longa e detalhada descrição de cada capítulo.

Uma categoria com cinco escritoras mexicanas feministas é impressionante ou constrangedora, quando comparada aos 45 artigos sobre personagens de “Os Simpsons”?

Distorção
A noção de que um projeto colaborativo aberto a todos é tão distorcido em favor dos homens pode ser surpreendente. Afinal de contas, não há nenhuma equipe masculina favorecendo homens em detrimento de mulheres como pode acontecer no mundo corporativo.

A Wikipedia não é um software, mas uma experiência escrita, ou um jogo onde cada jogador contribui para um trabalho maior. Mas, por causa de seus colaboradores iniciais, partilha muitas características com a turma dos hackers, diz Joseph Reagle, pesquisador do Berkman Center for Internet and Society de Harvard. Isso inclui uma ideologia que resiste a qualquer esforço para impor regras ou mesmo metas como diversidade, além de uma cultura que pode desencorajar mulheres.

“É irônico”, diz ele, “porque eu gosto dessas coisas – liberdade, abertura, idéias de igualdade – mas acho que em algum nível elas estão mascarando problemas que você encontraria no mundo real”.

Abertura significa estar “aberto a pessoas muito difíceis, até misóginas”, diz, “então você precisa de uma discussão imensa sobre se existe o problema”. Reagle é também autor de “Good Faith Collaboration: The Culture of Wikipedia.”

Gardner, usando um exemplo pessoal, cita o verbete da Wikipedia sobre uma de suas autoras favoritas, Pat Barker, que tinha apenas três parágrafos quando ela o encontrou. Barker é uma aclamada escritora de romances psicológicos, muitos ambientados durante a Primeira Guerra Mundial. Ela tem 67 anos e vive na Inglaterra. Enquanto isso, Niko Bellic tinha um artigo cinco vezes maior que o de Barker. É uma questão demográfica: Bellic é um personagem do game Grand Theft Auto IV; tem 30 anos e é um ex-soldado.

Veja também:
- Quem é a mulher brasileira?
- Homens experimentam ser minoria em universidades
- Mulheres políticas trabalham mais do que homens

Motivos
O público cada vez mais usa a Wikipédia como fonte de pesquisa: de acordo com uma pesquisa recente, a proporção de adultos americanos que usa o site para buscar informações chegou a 42% em maio de 2010, contra 25% em fevereiro de 2007. Entre os adultos que usam a internet regularmente, o número chega a 53%.

Jane Margolis, coautora de um livro sobre sexismo na ciência da computação, “Unlocking the Clubhouse,” argumenta que a Wikipedia está passando pelos mesmos problemas do “mundo offline”, onde as mulheres estão menos dispostas a defender suas opiniões em público. “Em quase todos os lugares, quem são as autoridades, os políticos, os articulistas?”, diz Margolis, pesquisadora do Institute for Democracy, Education and Access na Universidade da California.

Segundo o OpEd Project, uma organização nova-iorquina que monitora a relação de gênero de colaboradores de fóruns públicos “de pensamento e liderança”, a participação de 85% de homens contra 15% de mulheres é comum, seja entre membros do Congresso ou articulistas do The New York Times e Washington Post.

Pode parecer irônico que a Wikipedia, onde o colaborador amador é celebrado, esteja vivendo o mesmo problema de fóruns que requerem expertise. Mas Catherine Orenstein, fundadora e diretora do OpEd Project, afirma que muitas mulheres não têm a confiança de expressar seus pontos de vista. “Quando você é voz de uma minoria, começa a duvidar de sua competência”, diz.

Ações
Catherine explica que seu grupo tem persuadido mulheres a se expressarem pedindo que mudem o foco “para longe delas mesmas” – “sei o suficiente? Estou me gabando” – e passem a olhar para fora, valorizando o conhecimento.

Margolis afirma que defende o recrutamento de mulheres para participarem de fóruns onde são subrepresentadas. Assim, uma participante solitária não teria que carregar o fardo sozinha.

Gardner diz que, por enquanto, está tentando uma persuasão sutil através de sua fundação para receber bem todos os novos colaboradores da Wikipédia, no lugar de defender soluções específicas para mulheres, como recrutamento ou cotas. “Gênero é uma questão polêmica para muitas pessoas”, afirma. “E não estou interessada em ativar essas reações fortes”.

Kat Walsh, colaboradora de longa data que foi eleita para o conselho da Wikimedia, concorda que iniciativas indiretas causam menos incômodo na comunidade de Wikipédia do que esforços mais evidentes. Mas ela reconhece as dificuldades. “O grande problema é que a comunidade atual da Wikipédia é aquela que se formou ao deixarmos as coisas de desenvolverem naturalmente – tentar influenciá-la em outra direção não é mais o caminho mais fácil, e é precisor esforço consciente para mudar isso”.

Às vezes, esforço consciente funciona. Depois de ver o verbete curto sobre Barker, Gardner acrescentou uma quantidade substancial de informações. Durante o mesmo período, o artigo sobre Niko Bellic cresceu apenas algumas frases.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.