“Eu Brasileira” dialoga com as mulheres e expõe como elas são marcadas pelas características do país

Mulheres e medidas: exposição brinca com o
estreótipo da brasileira
Divulgação
Mulheres e medidas: exposição brinca com o estreótipo da brasileira
Num Brasil muitas vezes caracterizado no exterior pelo carnaval, a mulher brasileira acaba sendo estereotipada por uma imagem sexual que as pré-identifica como mulher-objeto. De olho nessa questão, foi inaugurada no mês de outubro a exposição “Eu Brasileira”, que mostra reflexões femininas e trata do tema com humor.

Idealizado pela artista espanhola Irene Salas, em parceria com a Base7 Projetos Culturais, o projeto busca dialogar com o real perfil da mulher brasileira e as imposições culturais com as quais cada uma convive diariamente. São fotografias e vídeos reunindo 38 mulheres comuns que dão ao público seu ponto de vista.

Segundo Marta Masiero, produtora do “Eu Brasileira”, as mulheres rejeitam a visão “mulher violão”. “De uma forma geral, elas não concordam com os estereótipos e falam sobre como têm suas vidas afetadas por eles”, conta.

E qual é este estereótipo? O processo de criação levantou características que são, na maioria das vezes, físicas: lábios carnudos, corpos morenos, quadris volumosos, seios fartos e assim por diante.

Atriz em performance na estreia de
Divulgação
Atriz em performance na estreia de "Eu Brasileira"
Caricatural
Na inauguração da exposição, uma performance feita por quatro artistas foi apresentada. Nela, as participantes se “construíram” com a ajuda de acessórios como meias, lenços, maquiagem e até cílios postiços para se aproximarem do estereótipo pelo qual podem ser marcadas. No entanto, de acordo com Marta, elas acabavam exagerando na produção até alcançarem uma imagem mais caricatural do que feminina.

Em cartaz no Porto Pensarte, na cidade de São Paulo, “Eu Brasileira” vai até o dia 11 de novembro, quarta-feira. A exposição integra o Projeto Redesearte, que está em seu segundo ano e é presente em sete países, entre eles Venezuela, Argentina e Chile, com o objetivo de tratar sobre a coesão social e envolver a comunidade. Por meio dele, ocorre uma convocatória para que um artista visite outro país e desenvolva um trabalho durante um mês – como ocorreu com a espanhola Irene Salas, que veio investigar quem é, afinal, a “mulher brasileira”.

Porto Pensarte
Endereço: Alameda Nothmann, 1029, Campos Elíseos, São Paulo – SP
Horário: de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h30

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.