Coreografias atraentes não são exclusividade de ninguém. Tradicionais ou contemporâneas, elas mostram diversidade pelo planeta

Cancan

Apresentação de cancan em Paris
Divulgação
Apresentação de cancan em Paris
A divertida dança francesa cujo nome significa “escândalo” nasceu nos bailes da classe trabalhadora parisiense do século 19. No começo, era dançada em pares, já com movimentos amplos de pernas. À medida que as dançarinas ficaram mais ousadas e habilidosas, o cancan ganhou status de espetáculo.

Hoje, o cancan é dançado em formação de chorus line. Os principais movimentos são os chutes altos, estrelas, espacates e o port d'armes, que consiste em segurar uma perna apontada para cima enquanto a dançarina gira sobre a outra.

Debochado desde a origem e durante muito tempo dançado por cortesãs, o cancan mantém as provocações bem-humoradas, como dançarinas que levantam as saias durante a coreografia.

Tango

Casal dança tango
Getty Images
Casal dança tango
A origem do tango não é clara – o único consenso é que a dança nasceu clandestina, possivelmente em prostíbulos, e nas cidades de Buenos Aires e Montevidéu. As muitas lendas em torno de seu início cogitam até a hipótese de que os primeiros pares eram exclusivamente masculinos.

Seja qual for a verdadeira gênese do estilo, ele é hoje o mais passional entre os praticados na dança de salão.

Com movimentos que se intercalam entre lânguidos e brutos e histórias de amor sempre tristes, o tango chama a atenção pela força do cavalheiro e sensualidade da dama.

Desde o ano passado, o tango é considerado um patrimônio cultural da humanidade.

Hula

Dançarina de hula
Getty Images/Stockbyte Silver/John Foxx
Dançarina de hula
A tradicional dança havaiana usa o corpo para dramatizar e complementar uma canção. Os temas são variados e circulam de sagrado a profano. De forma geral, a hula é dividida em duas categorias principais: uma mais antiga, praticada pelos polinésios antes do contato com as culturas ocidentais, outra desenvolvida a partir do século 19.

Os movimentos mais reconhecíveis da hula são suaves e ondulatórios, mas a dança tem um repertório complexo, principalmente de mãos, que sempre representam alguma coisa. Quadris e pés se movem no ritmo da música.

Originalmente, as dançarinas usavam saias, mas não cobriam os seios. Hoje usam tops, além de se enfeitarem com flores.


Dança do ventre

Dançarina do ventre
Brainpix
Dançarina do ventre
Os primeiros registros da dança do ventre têm mais de cinco mil anos, e pouco se sabe com certeza a respeito de sua origem além de sua estreita relação com divindades e ritos femininos.

Mas desde que Napoleão chegou ao Egito, no final do século 18, a dança oriental ganhou o apelido de “dança do ventre” e passou a ser exibida como entretenimento e espetáculo sensual, adquirindo o provocante formato atual.

Os movimentos da dança do ventre mantêm até hoje uma celebração do corpo feminino, com ondulações principalmente de quadril e movimentos abdominais que simulam a contração do parto.


Cheerleading


Espetáculo de cheerleaders
Brainpix
Espetáculo de cheerleaders
As coreografias desenvolvidas para apoiar times em competições esportivas acabaram virando competição também. Misto de dança e ginástica, as torcidas organizadas têm como data oficial de nascimento o ano de 1898, na Universidade de Minessota, nos Estados Unidos.

De lá para cá, ganharam um forte componente atlético, viraram atração à parte.

Dançadas em grandes grupos, as cheerleaders valorizam formações complexas e demonstrações de força, intercaladas com movimentos sensuais. Sempre de roupas curtas e com corpos sarados, elas marcaram seu espaço no imaginário masculino

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.