Além do número recorde de mulheres premiadas neste ano, o Nobel de Economia foi parar, pela primeira vez, em mãos femininas

O Prêmio Nobel de 2009 foi entregue no dia 10 de dezembro às mais importantes personalidades do ano. Além do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ter recebido o Nobel da Paz , pela primeira vez desde 1901, cinco mulheres se destacaram entre os treze vencedores. Veja quem são elas:

Herta Müller, 56 – Nobel de Literatura
Novelista naturalizada alemã, Müller é a 12ª mulher a receber o prêmio. Nascida na Romênia, ela ganhou o prestigiado Nobel por retratar a vida na Europa durante a Segunda Guerra Mundial. Inspirado em experiências pessoais, seus trabalhos revelam a opressão e a ditadura que atormentaram boa parte da vida da autora, e o Nobel chegou às mãos de Müller pela densidade do universo encontrado neles. Muitos de seus trabalhos não foram publicados no Brasil, mas seu último livro, “O Compromisso” (2004), pode ser encontrado em português. Curiosidade: ele foi traduzido por Lya Luft.

Elinor Ostrom, 76 – Nobel de Economia
Cientista política e professora norte-americana, Ostrom é a primeira mulher a receber o prêmio, que foi compartilhado com o também norte-americano Oliver Williamson. A especialista realizou um trabalho pioneiro que demonstra como a política, a economia e o sistema legal afetam a maneira como os recursos naturais são utilizados. Ou seja: acredita-se que a administração de recursos de propriedade comum – a pesca, por exemplo, ou qualquer bem de livre acesso – é feita de melhor maneira por meio de regularizações ou privatizações. Porém, diferentemente da crença usual, a especialista mostrou que se eles fossem gerenciados por seus próprios usuários, seriam mais bem utilizados.

Elizabeth H. Blackburn, 61, e Carol W. Greider, 48 – Nobel de Medicina
Junto com o britânico Jack Szostak, as norte-americanas também marcam a história do Prêmio Nobel. É a primeira vez que duas mulheres são recompensadas ao mesmo tempo. O trio em questão elaborou um trabalho que mostra como os cromossomos são capazes de se protegerem da degradação, mesmo quando ocorre a divisão de células. Com isso, os especialistas dão uma maior esperança ao desenvolvimento de novas terapias para combater o câncer.

Ada Yonath, 70 – Nobel de Química
Cientista israelense, Yonath desvendou as funções dos ribossomos - moléculas presentes nas células para realizarem a síntese protéica - ao lado dos norte-americanos Venkatraman Ramakrishnan e Thomas Steitz. As pesquisas realizadas pelo grupo mostram o funcionamento das moléculas para a produção de proteínas das células, processo vital para os seres vivos. A descoberta ajuda a desenvolver novos antibióticos, já que os atuais agem pelo bloqueio da atividade do ribossomo das bactérias.

O Prêmio Nobel constitui um diploma, uma medalha de ouro e aproximadamente 1.4 milhão de dólares. No total, 40 mulheres já foram prestigiadas com os prêmios.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.