Especialistas dão dicas para dar conta da faxina sem sofrimento

ENTENDA: FAMÍLIAS SE ORGANIZAM PARA VIVER SEM DOMÉSTICAS

Casa autolimpante
Cortinas pesadas ou persianas, tapetões e carpetes que acumulam poeira e muitos bibelôs na decoração são alguns dos inimigos naturais de uma casa fácil de limpar. Escolher acabamentos como um piso fácil de limpar em vez de carpete pode poupar muitas horas de trabalho.

Para reduzir o pó, quem ama bibelôs e objetos de decoração pode escolher um cantinho para concentrá-los, ou escolher uma peça especial em vez de várias: essa é a dica de Vivianne Pontes, do blog Decoeuração. “É bom também prestar atenção nas correntes de vento na casa, porque algumas trazem poeira. Coloquei uma fitinha de tecido nas portas para barrá-la, mas pode ser também isolante de borracha”, diz Vivianne.

Simplesmente não ter coisas demais é a recomendação de Chris Campos, autora do livro “Casa da Chris”. “Lugares que acumulam coisas são mais difíceis de limpar”. “Os maiores vilões são brinquedos, papéis e documentos, e armários e closets. Quanto mais clean, melhor”, concorda a consultora Magda Zampieri.

Não deixe acumular
Vivianne diz que existe uma “matemática da bagunça”. “Se eu vejo uma bagunça e arrumo, posso fazer outra e ela zera. Se eu não arrumo, e faço outra, são duas, que vão se bagunçando e ficam incontroláveis”, explica. E bagunça é irmã da sujeira. “Em 80% dos casos, o ambiente desorganizado é sujo também. O primeiro item que você deixa para guardar depois é o começo da bagunça”, diz Magda.

Para resolver esse dilema, Chris sugere diluir a organização e limpeza da casa na rotina. “É melhor não fazer vista grossa para pequenas sujeiras. O copo marcou a mesa? Limpa na hora em vez de esperar o dia de limpeza”, afirma. Uma vantagem é que o fim de semana fica mais livre para atividades prazeirosas. “Se você não deixa a louça acumular na pia, na volta do trabalho a pia está limpinha e dá mais vontade de cozinhar”, exemplifica. Uma sugestão é ter uma rotina com atividades definidas, como dias para lavar a roupa, trocar a roupa de cama, limpar o banheiro. “Criar uma rotina poupa tempo”, diz a escritora.

O maior desafio é casa com crianças, porque migalhas, brinquedos e roupinhas parecem brotar por toda parte. “Uma ideia é fazer rodízio de brinquedos, com dois ou três kits alternados a cada semana”, diz Juliana Faria, arquiteta e personal organizer.

Técnica para tudo
Há macetes para poupar tempo também. “Com a casa organizada, é só desmontar um ‘nicho’, limpar e recolocar no lugar”, diz Magda Zampieri. Ela orienta também a terminar um cômodo antes de começar o outro. “Desmontar a casa toda dá desânimo, a coisa se perde, uma parte acaba ficando mal feita”, diz.

Para a roupa dar menos trabalho, Vivianne evitar exceder o peso máximo que a máquina comporta. “Assim amassa menos”, diz. No fim do ciclo de lavagem, ela dá uma sacudida e já estende. “Roupa de malha e vestido eu penduro em cabides. Ficam quase passadas”, afirma Vivanne. Há diversos livros com macetes para agilizar a faxina.

Divisão de tarefas
Toda a ajuda é bem-vinda, de máquinas ao parceiro e os filhos, quando eles já têm idade para colaborar. Vivianne, além de ter simplificado com cortinas leves e tapetes pequenos, usa máquinas para tudo. “Aí quem tem o trabalho não sou eu, é a máquina de lavar”, diz. Ela tem também dois aspiradores, um para a limpeza pesada, e outro portátil, que aspira até líquidos, e que ela usa nas emergências do dia a dia.

A divisão de tarefas na família é fundamental. “Eu sinto que nesse modelo não pesa para ninguém, ninguém fica chateado. Meu marido cozinha, então eu posso lavar a louça. A distribuição de tarefa torna as pessoas mais felizes. Para os pequenos, dá orgulho de saber fazer sua parte e ajuda na coordenação motora, em educar pessoas mais bacanas”, afirma.

Aprender a relaxar
“Tem coisas que podem facilitar a rotina, mas a principal delas é desencanar, porque a gente não vive mais nos anos 60, 70, 80, quando o anfitrião sentia vergonha se o chão não estivesse encerado. Essa é a mudança principal”, acredita Vivianne. Chris faz coro. “A principal razão de cuidar da casa é garantir o seu prazer. Meu maior entusiasmo de arrumar a casa é ter o prazer de arrumar a mesa do jantar, de me esparramar num sofá macio. Muitas pessoas deixam de experimentar esse prazer porque têm a loucura da perfeição, de arrumar a casa para visita”, diz.

Faltou a faxineira? Sem pânico. “É claro que não consigo fazer em pouco tempo tudo que ela faz no dia inteiro. Mas passo um aspirador portátil para tirar migalhas, fiapinhos e pelos, troco a roupa de cama e dou uma geral no banheiro. Já garante o bem-estar de quem está na casa durante a semana”, diz Chris.

E mais:
Melhore o ar dentro de casa
Faxina melhora o sexo e outras conclusões de pesquisadores

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.