Posição dos planetas cria um quadrado no céu, proporcionando momento astrológico tenso

Uma configuração astrológica rara deixa o céu diferente e “pesado” e atinge o clímax nos dias 6 e 7 de agosto de 2010. Quatro grandes planetas – Plutão, Saturno, Urano e Júpiter – estão alinhados de maneira a formar um grande quadrado no céu, deixando o período sujeito a conflitos, guerras e desentendimentos até o início de setembro.

“O céu de agosto está bem pesado em termos de desenho planetário, que a gente chama tecnicamente de ápice ou clímax de cardinalidade. São quatro grandes planetas - Plutão, Saturno, Urano e Júpiter - formando um grande quadrado no céu. Isso quer dizer que se trata de uma configuração tensa, sujeita a conflitos tanto no âmbito pessoal, quanto em relação ao mundo, através de guerras e desentendimentos de toda a sorte. Vivemos uma fase com disposição para animosidade, cortes e rupturas e não para conciliação. É preciso ter calma”, diz a astróloga Márcia Motta, membro fundador da Sociedade de Astrologia do Rio de Janeiro.

Ela acrescenta ainda que historicamente ter esses planetas alinhados é uma raridade, já que para dar uma volta em seus eixos levam-se até séculos. “Para fazer uma órbita completa, Plutão leva 240 anos; Urano, 84 anos; Saturno, em torno de 29 anos e Júpiter, 12 anos”. Em sua previsão mensal, no site Astrology Zone, a astróloga norte-americana Susan Miller chega a dizer que “nós nunca vimos um cruzamento tão extremo no céu, envolvendo tantos planetas, e não veremos nada como isso de novo”.

A fase conturbada é confirmada por outra astróloga. A cantora Leiloca Neves, do grupo “As Frenéticas”, vem recebendo vários e-mails, telefonemas e pedidos de consulta de pessoas preocupadas com o céu dos dias 6 e 7 de agosto de 2010. “O momento astrológico é tenso, mas é nessa fase que temos a oportunidade para crescer. Vamos nos unir, nos solidarizar com os necessitados, perdoar, execrar ressentimentos, exorcizar mágoas, transmutar ódios para nos tornarmos seres humanos mais evoluídos”, alerta Leiloca.

O desenho conflitante e pesado no céu alerta para outros tipos de perigos. Segundo Márcia Mattos, é hora de evitar terminantemente as atividades de risco, como esportes radicais. “É tempo de acidentes! O céu já estava sinalizando os tumultos nos aeroportos, um cenário que já havia se acalmado. A questão da operacionalidade tecnológica também está no centro dos acontecimentos. Quando o acidente no Golfo do México começou, Saturno já estava oposto a Urano, e agora entrou o resto da configuração, a tendência é piorar”, diz Márcia, que recomenda ainda para que as pessoas evitem conflitos menores em casa, no trabalho, no trânsito ou com vizinhos. “A hora é de puxar o freio! Vamos deixar de olhar apenas para o nosso próprio umbigo e exercitar o desapego”, ensina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.