Temos fama de não ter senso de humor – ao menos, não tanto quanto os homens. Mas será que isso é verdade?

Peter Sellers, Jerry Lewis, Irmãos Marx, Buster Keaton, Charles Chaplin. Na história do cinema, os grandes nomes e as maiores referências em fazer humor são homens? Nada disso. Apesar da indústria cinematográfica caprichar na hora de destacar os marmanjos, a lista de mulheres que possuem um lado comediante incrível também pode ser extensa: Nora Ephron, Dorothy Parker, Fran Lebowitz, Tina Fey, Katharine Hepburn, Amy Poehler.

Talvez a indústria cinematográfica e televisiva tenha dado mais briho às atuações de homens e deixado um pouco de lado essa característica também feminina. No entanto, nas últimas décadas elas apareceram com destaque – inclusive nas famosas comédias stand-up. “Quando começamos a juntar o povo para fazer stand up, a primeira pessoa a levantar a mão foi uma mulher: Marcela Leal. Depois vieram Carol Zocolli, Dani Calabresa, a veterana Angela Dip entrou na dança junto... E temos que lembrar que a comédia no Brasil foi praticamente popularizada por mulheres: Dercy Gonçalves, Consuelo Leandro, Berta Loran, Renata Fronzi...Milagre ter espaço pra homem fazer comedia nesse país”, avalia o comediante Marcelo Mansfield.

Mas há quem acredite que elas não levam jeito para tirar boas gargalhadas dos espectadores. Em 2007, Christopher Hitchens, o famoso colunista da revista Vanity Fair, escreveu um artigo intitulado “Por que as Mulheres Não São Engraçadas”. No texto, ele garante que mulheres e piada (tudo o que um homem gosta) não conseguem ocupar o mesmo espaço. E para isso ele descarrega teorias, no mínimo, engraçadas. Como a que diz que, como as mulheres são capazes de gerar filhos e, por isso, tem um enorme prestígio, só resta aos pobres cavalheiros sobreviver às custas de piadas.

Claro que toda mulher adora homens com uma boa dose de humor – sem exagero, claro. Afinal, não tem nada mais insuportável que aqueles caras exageradamente cheio de gracinhas, que não conseguem falar três palavras com seriedade. Eles sabem disso e, por isso, mesmo muitos usam esse trunfo na hora da conquista. E as mulheres? Será que elas conseguem ser tão espontâneas assim, na hora do dia a dia e fora das telas e dos textos?

Há quem ache que não. “A proporção de mulher comediante em relação aos homens é bem baixa e um dos fatores que contribui pra isso é a espontaneidade para assumir de forma natural seus próprios defeitos. Eu não tenho problema em falar que o meu pênis é pequeno. Mas quantas mulheres que você conhece estão dispostas a tornar suas celulites motivos de escárnio em praça pública?”, opina o humorista Danilo Gentili, da trupe do CQC (que, recentemente, escolheu Mônica Iozzi para integrar o time, anteriormente formado por sete machos).

E por que eles desenvolveram esse lado cômico? “O senso de humor é um recurso que nós homens desenvolvemos pra driblar nossos defeitos e conquistar as mulheres. As mulheres desenvolveram outro recurso pra isso. Ele se chama maquiagem", completa o comediante.

Mas nem todo homem acredita nessa ausência de humor entre as mulheres. “Se as mulheres não fossem engraçadas, elas seriam tão chatas quanto os homens. O maior exemplo da atualidade disso é a americana Sarah Silverman. Ela fala coisas que nunca vi um homem ter coragem de dizer”, garante Eric Dietz, ator do espetáculo Stand Up Express.

Ou os tempos mudaram ou essa ideia de que mulher não é engraçada é papo de homem chato, que insiste em acreditar que eles são palhaços por natureza. Mas vai ver tudo isso seja simplesmente porque a mulherada ri mais que os homens. E, de acordo com a psicóloga Mariana Funes, até a frequência da risada das mulheres é maior que a dos homens. Com tanta propensão a sorrir e soltar gargalhadas, quem tem coragem de dizer que elas não possuem um senso de humor incrível?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.