Pesquisadores afirmam que o consumo de produtos retrôs pode estar ligado à necessidade de sentir-se socialmente aceito

Consumo de produtos retrôs pode gerar bem-estar, segundo estudo
Getty Images
Consumo de produtos retrôs pode gerar bem-estar, segundo estudo
Seriados antigos, doce de avó, bolsas vintage. Quem nunca teve vontade – ou um impulso quase incontrolável – de comprar algo que lembre os bons tempos da infância ou juventude? Pois bem, de acordo com uma pesquisa publicada recentemente no “Journal of Consumer Research”, da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, esta nostalgia pode estar relacionada à necessidade de sentir-se socialmente incluído.

Realizado por Dirk Smeesters, da Universidade Erasmus em Rotterdam, na Holanda, e Katherine Loveland e Naomi Mandel, da Universidade do Estado do Arizona, nos Estados Unidos, a pesquisa passou por cinco etapas e analisou o que levava, afinal, as pessoas a preferirem produtos que lembrassem o passado.

Na primeira fase, os colaboradores participaram de um jogo virtual e alguns foram eliminados logo no início. De acordo com os pesquisadores, os eliminados consideraram que sentir-se incluído era mais importante do que permanecer no jogo por mais tempo. “Estas mesmas pessoas também optaram por produtos mais nostálgicos em várias categorias como filmes, seriados, carros e até mesmo sabonete líquido”, afirmam os autores do estudo.

Na última fase, foi descoberto que quando a preferência nostálgica é atendida, a necessidade dos indivíduos de se sentirem inseridos em um grupo é deixada de lado. Os participantes que foram primeiramente eliminados no início do jogo virtual deixaram para trás o sentimento negativo de terem sido excluídos após comerem um biscoito de uma marca antiga, que remetia a sabores conhecidos na infância.

Assim, de acordo com os autores, ver um programa de televisão que você costumava assistir na adolescência – ou comprar um objeto com design retro - faz você sentir-se melhor, principalmente se está em uma situação de exclusão.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.