Veja o relato de quem ficou durante 21 dias sem comer nenhum alimento sólido. Na primeira semana, nem água foi ingerida

De acordo com a alimentação prânica é possível se alimentar da energia do sol
Getty Images
De acordo com a alimentação prânica é possível se alimentar da energia do sol
Seria possível não se alimentar de coisas sólidas? Pelo menos por três semanas, eles dizem que sim. Rômulo e Claudia seguiram, durante esse período, os ensinamentos da alimentação prânica, também conhecida como “viver de luz”, que se baseia na convicção de ser possível captar a energia do sol e se alimentar assim. Mesmo enfrentando descrença de amigos e parentes, os dois afirmam que seguiram à risca todas as orientações e que as restrições fazem parte de uma experiência espiritual intensa.

Leia também:
- Ser gentil faz diferença
- Vingança não é justiça

“Não dá para pedir para alguém que não seja espiritualista entender por que resolvemos fazer este tipo de experiência”, diz Claudia de Siqueira Osório, 35. O empresário Rômulo Galina, 32, completa: “Não se trata apenas de não se alimentar de comida sólida. Tem a ver com um processo para reestruturar corpo e espírito para conseguir viver de luz.”

Boca seca
Durante os sete primeiros dias os participantes do encontro não podem ingerir nada, nem mesmo água. De acordo com Rômulo, este foi o período mais difícil, que exigiu muita determinação. Ele conta que pensou em desistir, mas resolveu ir até o fim. “Eu me propus a participar de todo o processo. O fato de estarmos em um grupo de pessoas também nos fortalece a não desistir”, afirma.

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

Claudia compartilhou as dificuldades de Rômulo. “A nossa boca ficava tão seca que precisávamos fazer bochechos regularmente. A mente está muito condicionada a comer e isso influencia bastante para aumentar a dificuldade”, conta. Ela, assim como o empresário, emagreceu dez quilos e confessa que anda se sentindo desconfortável com seu corpo. “Eu estou muito magra e não gosto. Voltei a me alimentar, mas de forma mais saudável. Quando recuperar meu peso ideal, vou decidir se voltarei a praticar a alimentação prânica ou não.”

No oitavo dia, sucos são inseridos na dieta. Depois deste dia, tanto Rômulo quanto Claudia afirmam que todo o processo deixou de ser sofrido para se tornar bastante agradável. “A gente utiliza a energia que usaria comendo para fazer outras coisas. Eu dormia três horas por noite e estava com uma disposição invejável no dia seguinte”, afirma Claudia.

Motivação
O empresário afirma que a motivação vem do interior de cada pessoa. Ele conta que passa por um período de reorganização em sua vida. “Eu completei os 21 dias sem comer porque realmente queria fazer um trabalho interno e consegui. A questão da alimentação nem era tão importante assim para mim. Eu desejava mesmo era fazer um trabalho de alinhamento do mental, físico, emocional e espiritual.”

Os participantes da experiência contam que não tiveram contato com ninguém do grupo durante as três semanas, a não ser durante as reuniões diárias que faziam no final da tarde. Isso proporcionava, segundo os participantes do evento, um mergulho interior profundo. “Não comer é só um aspecto do que você está passando. Você não fala com ninguém. Passa três semanas só com você. É ótimo”, explica Claudia.

Eles não aprovam
Apesar do entusiasmo dos praticantes da alimentação prânica, os profissionais de saúde não enxergam a prática com bons olhos. É o que afirma a nutricionista do Instituto do Coração (INCOR) Cibele Regina Laureano Gonsalves: “Não dá para afirmar que isso faça bem ao organismo. Até é possível ingerir apenas líquidos, mas teríamos que incluir mingau e sopas diversas para que a dieta ficasse mais rica em nutrientes. É alimento também, só que a consistência é líquida.”

A médica endocrinologista Rosemeire Fiorotto é categórica e afirma que seguir a alimentação prânica por um período prolongado não é possível do ponto de vista fisiológico. “Precisamos de alimento para funcionar. Algumas conseqüências que podemos citar são desnutrição, desidratação e a falência dos órgãos.” Rômulo não desafia a medicina. “Eu não sei se é possível ficar assim indefinidamente, mas eu consegui ficar durante 21 dias seguindo esse estilo de vida.”

Leia ainda:
- Como tomei as rédeas da minha vida
- É possível escolher ser feliz?
- Quer mudar algo na sua vida? Então tome uma atitude

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.