Tamanho do texto

Desde a escolha do local da perfuração até os cuidados na manutenção e como isso pode interferir no sexo: especialistas falam sobre o piercing íntimo

Pode parecer loucura para algumas pessoas, mas existem mulheres que escolhem colocar o temido piercing íntimo, ou seja, aquele que vai na região genital ou nos mamilos . Seja por uma questão de prazer ou de estética, a escolha - que não é para qualquer uma - implica em diversas consequências e exige cuidados específicos.

Leia também: Fazer piercings nos mamilos aumenta risco de abscessos e mastites

O piercing íntimo é um facilitador de doenças e infecções, alertam especialistas, por isso deve ser muito bem cuidado
Shutterstock
O piercing íntimo é um facilitador de doenças e infecções, alertam especialistas, por isso deve ser muito bem cuidado


A body piercer Gicele Leite explica que para colocar um piercing íntimo é preciso analisar a anatomia de cada pessoa, para ver se é possível algum tipo de perfuração. "A mulher também precisa estar com a saúde em dia. Se houver algum tipo de corrimento ou infecção, não é possível”.

É o que reforça a ginecologista e cosmetologinecologista da clínica Guidoni, Renata Zambon Guidoni. “Se a mulher tem algum câncer de vagina ou no colo do útero ou infecções vaginais crônicas, tudo isso pode ser agravado com o uso do piercing. Quem tem qualquer patologia vaginal ou DST (Doença Sexualmente Transmissível) não pode colocar”, diz. A explicação é simples: o piercing é um facilitador de infecções.

“A perfuração provoca uma reação inflamatória no local, naturalmente, mesmo em uma pessoa saudável, e isso se torna uma porta de entrada para bactérias e fungos se não for bem cuidado”, explica Renata.

Leia também: “Piercing” nos lábios feito com maquiagem é nova moda entre fashionistas

Para cuidar bem do piercing íntimo, Gicele afirma que a higienização é simples e feita como em qualquer outro local do corpo: usando água e sabão no banho. “Depois do banho, é bom passar uma gase com soro fisiológico. A mulher também deve usar protetor diário [na calcinha] durante uma semana e evitar ter relações sexuais nesse mesmo período”. Manter o local sempre seco, principalmente depois tomar banho ou ir à piscina, por exemplo, também é essencial para combater a proliferação de fungos.

A higienização é a mesma para quem escolhe aplicar a joia no mamilo, com a diferença de que, nesse local, a cicatrização completa demora seis meses, o que acaba prolongando os cuidados específicos.

Renata ressalta a importância de cuidar bem do piercing e esperar a cicatrização completa, inclusive ficando de olho em processos inflamatórios anormais que podem exigir tratamento e até mesmo a remoção do piercing.

Leia também: Mãe deixa filho de 5 anos colocar piercing na orelha e gera polêmica

“Inflamada e mais inchada, a área vai ficar. Agora, se começar a formar machucados que não curam, ficar muito avermelhada, não desinchar, ter alguns pontos de pus e sentir dor, aí é um problema. O normal é não ter vermelhidão e não sentir dor intensa, ter apenas sensibilidade. Incômodo é uma coisa, dor é outra”, explica a ginecologista e cosmetoginecologista.

Além disso, ela recomenda verificar a qualidade do piercing que está sendo usado durante a perfuração para evitar reações alérgicas e diminuir as chances de infecção. “O outro e o titânio são mais estéreis e mais fáceis de limpar. Já materiais como latão, bronze e até a prata provocam mais alergias e podem dar mais trabalho na manutenção.”

Onde pode ser aplicado?

O piercing pode atrapalhar ou até mesmo machucar na hora do sexo, alertam especialistas
shutterstock
O piercing pode atrapalhar ou até mesmo machucar na hora do sexo, alertam especialistas


Como Gicele explicou, para ser aplicado, o body piercer deve examinar a região genital da mulher para avaliar onde pode ser feita a perfuração. Segundo ela, as regiões mais comuns e mais procuradas são os grandes e pequenos lábios, o capuz do clitóris e a vulva.

A ginecologista e cosmetologinecologista alerta para a escolha do local, pois, enquanto é possível realizar a perfuração em qualquer parte, existem consequências. A principal delas é prejudicar a sensibilidade da mulher: ela pode ficar ou hipersensível, ou perder completamente a sensibilidade no local do piercing .

Leia também: Você conhece sua pepeca? Saiba tudo sobre vagina, vulva e região íntima 

“O clitóris, por exemplo, é extremamente vascularizado e sensível, então a mulher pode perder a sensibilidade nessa região ou, ao contrário, exacerbar a sensibilidade - e não de um jeito positivo. Quando for colocar uma calcinha, por exemplo, vai acabar sentindo um incômodo muito grande e pode até machucar. O terço final da vagina, um local onde muitas mulheres também realizam a perfuração, é outro que pode ser prejudicado. E aí esses problemas não necessariamente se resolvem depois que a mulher remove o piercing”, pondera Renata.

Por isso, ela recomenda que as mulheres conheçam o próprio corpo e levem em consideração a própria sensibilidade como critério no momento de escolher onde perfurar. “Por cima ou por fora da região pubiana é um local melhor”, sugere a médica, pois, segundo ela, é o único que não vai atrapalhar na relação sexual de forma alguma e é o que provocará menos incômodo.

Atrapalha no sexo?

Por falar em sexo , uma dúvida comum de quem escolhe ou pensa em colocar o piercing íntimo é justamente se ele vai atrapalhar a relação. A resposta é: tudo depende de onde for colocado e de como ele vai afetar a sensibilidade da mulher.

Aplicá-lo no terço final da vagina, por exemplo, pode prejudicar a penetração, incomodando, inclusive, o homem; no clitóris, prejudica o sexo oral - atrapalhando tanto o homem de realizá-lo, quanto a mulher de sentir prazer no ato.

Gicele defende, contudo, que, se bem colocado, o piercing íntimo não é um empecilho para o sexo. Mas, nesse momento, é bom ficar de olho se a joia não se soltou e se a movimentação não está machucando o local. "E o preservativo sempre é necessário”.

Leia também: Piercing no dedo anelar em vez de aliança de casamento é nova tendência

Já a ginecologista e cosmetoginecologista argumenta que o piercing íntimo pode machucar o pênis do parceiro e até rasgar o preservativo, dependendo de onde a joia estiver localizada, e, por isso, a atenção deve ser redobrada. Mas nem tudo é negativo: “depois da cicatrizção, a joia pode ser removida para o ato, caso o casal veja que está atrapalhando muito. Ou não. Algumas pessoas podem até gostar como fetiche”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.