Hoje, o absorvente externo não é mais a única opção das mulheres durante o ciclo menstrual, mas será que existe uma opção que seja melhor que a outra?

Absorvente externo, interno, coletor menstrual e até calcinha para menstruação. Hoje, a mulher tem algumas opções para o período menstrual além do tradicional “com abas” ou “sem abas”. Mas nem todas conhecem cada uma dessas opções.

Leia também: 9 reações que as mulheres têm ao tentar usar um absorvente interno pela 1ª vez

Absorvente externo não é mais a única opção das mulheres no período menstrual, mas nem todas usam os outros produtos
Shutterstock
Absorvente externo não é mais a única opção das mulheres no período menstrual, mas nem todas usam os outros produtos

De acordo com a ginecologista Bárbara Murayama, coordenadora da ginecologia do Hospital 9 de Julho, a escolha de qual absorvente ou outro produto usar deve variar de acordo com o estilo de vida de cada mulher. Depende mais da “intimidade” que ela tem com a própria vagina do que com o que é melhor para a saúde dela, já que, para evitar problemas, basta usar cada uma das opções da forma correta.

“Os absorventes externos, por exemplo, têm dois tipos de cobertura: a seca e a mais suave. A seca tem mais chance de causar irritação por ser mais plástica. De resto, vai de gosto, quantidade de fluxo, o que ela vai fazer no dia-a-dia, se vai para praia ou natação, por exemplo”, explica a especialista.

Primeira menstruação

Bárbara recomenda que as iniciantes no assunto menstruação optem pelo absorvente externo com malha suave. “Já que ela está começando a aprender e ainda não sabe bem como é o fluxo, os de aba são os mais recomendados. A gente nunca sabe se vai descer muito ou pouco, e pode ser um trauma muito grande estar na escola e vazar.”

Uma coisa importante é saber que ele deve ser trocado a cada quatro horas. Mais do que isso pode causar não só odor, mas também irritação na vagina. “Além disso, evite os perfumados. Quanto mais coisa eles colocam nos absorventes, maior é a chance de irritar a região íntima.”

Para aquelas que não querem que o produto marque na roupa, o ideal é usar aqueles com a parte de trás mais fina. Felizmente, hoje, já existem absorventes mais finos e com poder de contenção igual aqueles mais grossos de anos atrás. Outra dica é optar por calças escuras nessa época do mês, já que se vazar vai ficar menos visível.

Os absorventes internos e coletor menstrual podem ser muito complexos para alguém que ainda está começando a se conhecer, já que é preciso saber se tocar e colocar o dedo na vagina para colocar ambos. Apesar disso, a virgindade não é um fator que impede o uso dos dois. A ginecologista explica que nenhum deles vai romper o hímen da mulher.

Depois que a pessoa já está mais “íntima” com sua própria vagina, pode começar a buscar novos caminhos para conter a menstruação. No caso do absorvente interno, por exemplo, o indicado é começar pelo de tamanho menor e ir aumentando caso seja necessário. Aquelas que sentem dificuldade em colocar o algodãozinho lá embaixo podem optar por um aplicador.

E se não usar certo?

Absorvente interno e o coletor menstrual também podem causar irritação na vagina se não trocados na hora correta
Shutterstock
Absorvente interno e o coletor menstrual também podem causar irritação na vagina se não trocados na hora correta

O problema mais comum de não usar o absorvente ou coletor corretamente é que pode vazar.  Não escolher o tamanho certo ou não trocar quando deve pode fazer com que o produto fique “sobrecarregado”, e aí não tem como conter o fluxo.

Já o problema mais grave, mas menos frequente, é a síndrome do choque tóxico. Ela acontece principalmente em mulheres que usam os absorventes internos incorretamente e pode levar até à morte.  Mas não pense que o absorvente externo e o coletor estão livres das infecções. Pelo contrário, se ficar tempo demais com ambos os produtos, bactérias e fungos podem entrar em contato com o sangue, gerando infecções.

Leia também: Modelo diz ter sido demitida após menstruar durante expediente

“Também podem ocorrer odores desagradáveis e irritações por alergia. Quando qualquer um desses problemas acontecer, o melhor é procurar um ginecologista. Mas o correto mesmo é trocar no tempo certo. Quem faz isso dificilmente vai ter problemas.”

Experiência própria

Gabriela Brito e Carina Brito, as repórteres que assinam essa matéria, já usaram os absorventes externos e internos e o coletor menstrual. Pelo menos por enquanto, o que elas menos gostam é o absorvente externo, mas elas sabem que para algumas mulheres ele é indispensável. Para quem tem curiosidade para saber como é usar os outros produtos, as duas fizeram uma avaliação de cada um deles. Confira:

Absorventes externos

Absorvente externo é o melhor para as jovens que acabaram de ter sua primeira menstruação, já que é o mais prático
Shutterstock
Absorvente externo é o melhor para as jovens que acabaram de ter sua primeira menstruação, já que é o mais prático

 Lado positivo: É o mais prático de ser usado, já que é só descolar da calcinha, jogar no lixo e colocar outro. É também o mais fácil de ser usado por quem começou a menstruar há pouco tempo ou não tem tanta intimidade com a própria vagina.  

 Lado negativo: Ele pode incomodar. Algumas mulheres ficam com a região sensibilizada porque ele retem calor. Ele também pode marcar a roupa que você estiver usando, principalmente se for daqueles para fluxo mais intenso, e, dependendo da calcinha, não fica bem encaixado no corpo, aumentando os riscos de vazamento.

Uma reclamação das mulheres é o cheiro da menstruação. Mas, o que muitas delas não sabem, é que quando a mulher está saudável, a menstruação não costuma ter um cheiro forte. O odor que as mulheres reclamam é causado pelo contato da menstruação com os produtos químicos dos absorventes externos. A falta de ventilação da região é outro fator que aumenta o cheiro ruim.

Fazer cocô também não é uma tarefa fácil com os absorventes externos. Só quem já passou por isso sabe como dá trabalho ter de se limpar depois de fazer as necessidades quando se está menstruada. Vira uma verdadeira bagunça e é bem difícil se higienizar até se sentir verdadeiramente limpa. Já no caso do absorvente interno ou do coletor, o fluxo menstrual ficará retido nos produtos e não irá se misturar com as fezes ou com a urina. 

Por fim, não dá pra entrar na água com ele, então esqueça aula de natação, hidroginástica ou aquele mergulho no mar durante este período.

Absorventes internos

Absorvente interno é o melhor para ir a praia, nadar, e fazer exercícios de ponta cabeça, já que gera menos riscos para vazar
Shutterstock
Absorvente interno é o melhor para ir a praia, nadar, e fazer exercícios de ponta cabeça, já que gera menos riscos para vazar


Lado positivo: Lembra aquela aula de natação, hidroginástica e mergulho no mar que você desistiria se estivesse com o absorvente tradicional? Usando o interno, todos esses problemas acabam, já que ele fica lá dentro, impedindo o seu fluxo vaze – sendo colocado da maneira correta e respeitando o tempo de troca, claro. Outra vantagem é que ele também não marca na roupa, então você poderá continuar usando roupas justas sem ninguém saber que você está menstruada. Quando utilizado da maneira certa, você não sentirá que o absorvente está dentro de você e poderá seguir com a sua vida e fazer atividades como se não estivesse menstruada.

Lado negativo: Não é tão fácil de colocar, o que faz com que algumas mulheres fiquem incomodadas e até desistam de usar o absorve interno. É preciso encontrar uma posição confortável e uma forma correta para introduzir o algodão, então dá mais trabalho para fazer a troca do que o absorvente externo. A higiene precisa ser feita com bastante cuidado, afinal, você está inserindo um item dentro de uma região delicada. É preciso lavar bem as mãos antes e depois do processo.

Além disso, a mulher tem de tomar cuidado para não esquecer o produto lá dentro. Com os absorventes externos é só abaixar a calcinha para lembrar que ele está lá, mas com os internos é diferente, e essa permanência a mais no organismo pode gerar problemas graves como a síndrome do choque tóxico. Por causa do tempo máximo para ficar com os absorventes internos - até oito horas - não é recomendado dormir com ele, a não ser que você tenha certeza de que irá acordar a tempo de trocar.

Coletor menstrual

Coletor menstrual, além de ajudar o meio ambiente, ajuda as mulheres que não gostam do contato direto com o sangue
Shutterstock
Coletor menstrual, além de ajudar o meio ambiente, ajuda as mulheres que não gostam do contato direto com o sangue


Lado positivo: Você coloca e fim, não sente nada. Ele pode ficar lá por até 12 horas e há bem menos sangue envolvido na história. Com os absorventes externos, sempre que a gente abaixa a calcinha vê tudo, correndo risco até de acabar sujando a perna. Sem contar no odor que às vezes fica quando o fluxo está grande. Já com o interno já dá uma segurada, mas ainda tem aquele algodão inchado de sangue e outros fluidos que fica balançando de um lado para o outro quando a gente tira.

Com o coletor é diferente, porque se colocado da forma correta, todo o fluxo fica guardadinho lá dentro até a próxima troca. Outra vantagem do coletor é que você terá mais conhecimento sobre seu corpo e como a sua menstruação funciona. Provavelmente, você já ouviu mulheres dizendo que perceberam que a quantidade de fluidos que sai na menstruação é bem menor do que a gente imagina.

O coletor também tem a vantagem de ser mais sustentável, já que você pode utilizar novamente e não polui o meio ambiente como os absorventes convencionais.

Lado negativo: Assim como os absorventes internos, é preciso conhecer a nossa vagina para colocá-lo sem problemas. Então nem todas as mulheres vão conseguir. Outro ponto é que, apesar dele poder ficar até 12 horas lá dentro, algumas mulheres ficam mais do que esse período fora de casa e precisam fazer a higiene do coletor em banheiros públicos. O problema disso é que é preciso estar à vontade para tirar, lavar o copinho e colocar de novo. Algumas pessoas levam uma garrafinha de água para o banheiro da empresa ou faculdade, por exemplo, quando precisa esvaziar o coletor quando não estão em casa, mas nem todo mundo vai gostar de fazer isso. É preciso também tomar cuidado e estar muito relaxada para tirar o coletor de maneira que ele não vaze.

Além disso, dependendo da posição que você vai ficar durante uma atividade física, há o risco de vazar. Faz ioga e fica de cabeça pra baixo? Então talvez não seja uma boa ideia usar o coletor. Já se a atividade é corrida ou bike, então é tranquilo.

Calcinha para menstruação

Calcinha para menstruação possui diferentes camadas para manter a higiene da pele e da região e conter o fluxo
Reprodução
Calcinha para menstruação possui diferentes camadas para manter a higiene da pele e da região e conter o fluxo

Quem não gosta de nenhuma das opções acima pode ainda optar por uma calcinha feita especialmente para o período menstrual . A roupa íntima é feita com quatro camadas, cada uma com uma função diferente para garantir higiene e segurança ao mesmo tempo.

A primeira delas tem o objetivo de manter a pele seca, enquanto a segunda mata germes e bactérias, a terceira retém o líquido e a quarta impede vazamentos. Existem modelos diferentes, de acordo com a intensidade do fluxo de cada mulher.

Diferente do absorvente tradicional, do interno e até do coletor, dependendo do fluxo da mulher, a calcinha pode ser usada durante um dia inteiro sem trocá-la, segundo uma das empresas fabricantes. A durabilidade da calcinha pode chegar até dois anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.