Mostra "Sem Marca: Um Século de Mulheres Brancas 1915-2015" está em cartaz em galeria de Nova York

BBC

Fotógrafo apagou digitalmente frases e logotipos para destacar mensagens ocultas.
BBC/Reprodução
Fotógrafo apagou digitalmente frases e logotipos para destacar mensagens ocultas.


O fotógrafo americano Hank Willis Thomas costuma concentrar seu trabalho na forma como o país mostra raça e gênero em vários meios.

Em 2008, por exemplo, enquanto Barack Obama estava em campanha para se transformar no primeiro presidente negro dos Estados Unidos, Willis produziu uma exposição que analisava a identidade negra através de propagandas.

Fotógrafo americano Hank Willis Thomas concentra seu trabalho na forma como os EUA mostra raça e gênero em vários meios
BBC/Reprodução
Fotógrafo americano Hank Willis Thomas concentra seu trabalho na forma como os EUA mostra raça e gênero em vários meios

Este ano, dias antes de Hillary Clinton ter anunciado a intenção de se candidatar à Presidência pelo Partido Democrata, Thomas revelou um novo projeto, desta vez se concentrando na identidade de mulheres brancas nos Estados Unidos.

Unbranded: A Century of White Women 1915-2015 ("Sem Marca: Um Século de Mulheres Brancas 1915-2015", em tradução livre) examina 100 imagens de propagandas sem as frases e logotipos, que foram apagados digitalmente pelo fotógrafo.

Leia também:  Notas de dinheiro podem ser um símbolo machista?

As imagens "sem marca" são duros retratos da dinâmica de poder, raça e sexualidade.

A mostra está na Galeria Jack Shainman em Nova York e Thomas conversou com a BBC a respeito deste projeto. Clique aqui e veja entrevista em vídeo

Veja mais: Sete situações em que mulheres reforçam o machismo contra elas


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.