Refletir sobre o quanto de expectativas projetou no outro e, se possível, ter uma conversa franca sobre o ocorrido podem ajudar. Veja mais dicas

Na novela Babilônia, que estreou esta semana na Rede Globo, Inês – personagem de Adriana Esteves – é humilhada por Beatriz, interpretada por Glória Pires. As duas foram amigas na adolescência e a rejeição sofrida em uma festa magoa Inês, que carrega o ressentimento e o consequente desejo de vingança para a vida toda.

“Querer se vingar é uma reação comum à mágoa. As reações podem ser diversas: ficar desconectada das emoções, ficar amarga, com raiva, querer se vingar. A pessoa também pode ficar infeliz, com um humor mais deprimido”, diz a terapeuta de casal e família Lana Harari.

A quebra de expectativas, aponta ela, vem principalmente de um comportamento que não esperamos do outro: deslealdade, ofensa, críticas, rejeição e até mesmo intolerância.

“A mágoa é um ferimento que se transforma em ressentimento. Você fica sentindo aquela dor como se fosse de uma faca te, cortando por dentro”, descreve Anna Sharp, terapeuta e escritora. Para ela, este sentimento – um dos piores que o ser humano pode ter – é algo capaz de paralisar completamente a vida.

Mas, como perceber que esse sentimento nada positivo está empacando o caminho para uma vida mais feliz? Uma sensação bastante recorrente é a de perceber que algo está errado, mas não saber exatamente o quê. É neste momento que se torna necessário o processo de identificar qual a causa desse sentimento, e qual mágoa está travando a vida.

A sugestão de Anna para encontrar a origem do sofrimento é fazer uma varredura nas mágoas sofridas. Ela recomenda, aliás, que o processo seja repetido periodicamente:

“Nós nos magoamos facilmente, diariamente eu diria.”

Descoberta a origem do ressentimento responsável por paralisar a vida, a reflexão sobre a mágoa também é um meio de superá-las e de se libertar das sensações ruins que a acompanha. Para fazer isso, esclarece Anna, é preciso reconhecer que também é parcialmente responsável pelo ocorrido.

“É necessário encarar o que é responsabilidade sua, o que você projetou no outro. O ponto mais positivo de refletir sobre as mágoas é identificar as nossas próprias necessidades e expectativas sobre os outros”, diz Lana.

Então, para se livrar da mágoa o melhor caminho é perdoar? Anna acredita que esse não é principal passo a ser dado.

“As pessoas falam muito do perdão, mas primeiro é preciso compreender pra depois perdoar. Muitas vezes não se consegue dar um perdão sincero se não houver a compreensão” diz.

Você sabe perdoar?  Faça o teste e descubra

Além da reflexão, por vezes é eficaz conversar diretamente com a pessoa. “A DR é um ótimo recurso. Não quer dizer que a relação vai seguir adiante, mas ambos vão sair da conversa com conclusões”, afirma Lana.

Se está difícil de fazer uma reflexão e elaborar o sentimento sozinha, ou o ressentimento pela mágoa esteja prejudicando demais o cotidiano, as terapeutas indicam conversar com um profissional de saúde mental. Alguém que ajude a enxergar a parcela de responsabilidade que cada um tem sobre uma mágoa.

“O trabalho do terapeuta é de exploração, é aumentar a zona de consciência do indivíduo com relação a todos os significados que estão escondidos na história”.

Leia mais no Delas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.