Levantamento do Instituto Avon mostra ainda que compartilhamento de vídeos e fotos se tornou novo mecanismo de poder e agressão dos homens às mulheres

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Avon nesta quarta-feira (3), durante o segundo fórum "Fale sem Medo - Não à violência doméstica", realizado na zona sul de São Paulo, revelou que 66% das jovens já sofreram atos de violência ou controle em relacionamentos. Realizada em parceria com o Data Popular, o estudo mostrou que jovens entre 16 e 24 anos (96%) reconhecem a existência do machismo no Brasil. No entanto, atitudes violentas psicológicas e morais nos relacionamentos visando controlar o parceiro não são percebidas pelos jovens.

A pesquisa online "Violência contra a mulher: o jovem está ligado?" ouviu 2.046 pessoas, entre 16 e 24 anos, nas cinco regiões do País. O questionário online contou com temas como relacionamentos afetivos, relacionamentos virtuais, sexualidade, Lei Maria da Penha e violência nos relacionamentos.

O ambiente virtual se tornou o  novo palco de agressões e de machismo dos homens contra mulheres
Thinkstock/Getty Images
O ambiente virtual se tornou o novo palco de agressões e de machismo dos homens contra mulheres


Em pergunta espontânea, apenas 4% dos homens afirmam ter tomado alguma atitude violenta com a namorada/esposa/ficantes. Entre as mulheres o índice é de 8%. No entanto, quando a questão lista os comportamentos agressivos (físicos ou não) os números mudam: 66% das mulheres admitem terem passado por algum deles e 55% dos homens afirmam ter praticado. "Fica claro então a necessidade de esclarecermos que a violência contra a mulher vai além de um soco na cara. O compartilhamento de vídeos e fotos se tornou o novo mecanismo de poder dos homens sobre as mulheres", explica Renato Meirelles, presidente do Data Popular.

As cinco violências mais sofridas pelo grupo feminino são: procurou mensagens e/ou ligações no seu celular (53%); tentou te controlar, ligando para saber onde, com quem estava e o que fazia (40%); xingou (35%); impediu de usar determinada roupa (33%) e proibiu você de sair à noite: bares, cinema, festas, etc (28%). Um dado preocupante ficou com o período do "fim do relacionamento", considerado crítico e o mais oportuno para as ações violentas. Após o término, 51% das mulheres sofreram algum abuso. Como o recebimento de e-mail, mensagens de celular ou em Facebook (38%), ser alvo de boatos do parceiro (22%) e ser seguida pelo ex no trabalho ou em casa (20%).

Namoro online e controle das redes sociais

A internet se transformou em um espaço para relacionamentos e sexo. Com o sucesso das redes sociais, o espaço virtual virou também um ambiente de controle nos relacionamentos, onde olhar e-mail, Facebook ou outra rede social sem autorização (25%), obrigar o parceiro a excluir algum amigo/a (19%) e proibir conversas com amigos virtuais (17%) são hoje situações corriqueiras dentro de um jovem namoro. Pelo menos 51% das entrevistadas confessaram ter dado a senha do celular ao namorado.

O controle do casal na internet, no entanto, ainda não é visto por muitos como forma de violência. Enquanto 83% consideram agressivo a ameaça de publicação de fotos ou filmes da parceira nua na internet, 26% julgam errado procurar mensagens ou ligações no celular do parceiro e 45% não acham correta invadir e-mail ou as redes sociais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.