Trocar de emprego, morar em outra cidade, terminar um namoro ou decidir se casar; promover transformações assim assusta, mas é possível superar temores e mudar para melhor

Mesmo tendo a consciência que ela é inevitável e pode ser inclusive benéfica, muitas vezes é difícil encarar as mudanças que surgem em nossas vidas, porque elas vêm acompanhadas do medo, na maioria das vezes. Parte do processo dinâmico de viver, esse movimento pode se tornar algo renovador, se bem assimilado. De acordo com a psicóloga Márcia Vasconcellos, isso só acontece quando entendemos que mudar trará benefícios.

“Quando algo no mundo nos sugere mudança, nem sempre entendemos o motivo e nos perguntamos: ‘Pra quê mudar se as coisas sempre funcionaram deste ou daquele jeito? ’ Somente quando entendemos o benefício da mudança em nossas vidas é que conseguimos fazer o movimento”, explica Márcia.

No entanto, mudar não é tarefa fácil, já que ela implica deixar de lado velhos hábitos, pessoas, a cidade onde mora e até o país. Além de tudo, envolve uma série de desafios e inseguranças durante todo o processo. “Quando a pessoa supera os desafios e vê que obteve êxito fica muito feliz, satisfeita e tende a se sentir melhor. A sensação é de autorrealização”, aponta Fabiano Goldacker, executive coach da Effecta Coaching.

Teste: você tem força de vontade?

Em certos momentos, a vida nos coloca diante de mudanças que podem assustar. É preciso então encarar e fazer essa transformação de forma inteligente, recebendo depois os seus benefícios
Thinkstock Photos
Em certos momentos, a vida nos coloca diante de mudanças que podem assustar. É preciso então encarar e fazer essa transformação de forma inteligente, recebendo depois os seus benefícios


“Mudanças só valem a pena se haver aprendizado. Mesmo aquelas que não foram bem sucedidas nos levam a questionar o que poderia ter sido feito de forma diferente e como agiremos quando novas oportunidades aparecerem”, prossegue Goldacker. “Num primeiro momento, nos deixa vulneráveis, mas quando entendemos o porquê e pra quê, isso nos possibilita tirar melhor proveito da situação e assim, crescemos individualmente”, completa Márcia, lembrando ainda da confiança e da autoestima que ganhamos com isso.

Contudo, não dá para se enganar e acreditar que o processo será rápido e não exigirá paciência. “Antes de mudar é preciso esclarecer os motivos, percebendo quais as perdas e benefícios envolvidos. Devemos ainda trabalhar os medos para que possamos nos envolver no processo de forma consciente, mas confiantes de nossa escolha”, aconselha Márcia.

Por fim, o processo de mudança exige liderança e protagonismo, de acordo com Goldacker. Consciente dessas necessidades que mudar traz é possível então iniciar o processo, como se pode ver nos dez passos elaborados pelos especialistas.

1 - Faça uma lista de prós e contras: grande parte do problema em mudar está quando não pesamos consequências das nossas atitudes. Ter uma ideia clara dos ganhos e perdas envolvidos vai ajudar a deixar o processo mais fácil.

2 - Tenha clareza de seus objetivos: saiba exatamente aonde você deseja chegar e não abra concessões de seus sonhos e desejos. Se você quer trabalhar menos e ter tempo para a família, por exemplo, foque neste objetivo até conquistá-lo.

3 – Não negue o medo: não vai ter como fingir que ele não existe quando o medo aparecer. É natural ficar apreensivo numa situação de grande mudança, aceite essa condição. Se você evitar assumir que está apreensivo, o temor pode se tornar maior e mais forte.

Conversar com amigos e familiares ajuda a aliviar a angústia que as mudanças trazem
Thinkstock Photos
Conversar com amigos e familiares ajuda a aliviar a angústia que as mudanças trazem

4 - Fale sobre o assunto: conversar sobre algo que está incomodando sempre ajuda. Evite guardar a angústia gerada por uma mudança só para você. Converse sobre o que está sentindo com familiares e amigos, não só para ouvir conselhos, mas para viver o sentimento de alívio que desabafar traz.

5 – Mas não seja um reclamão : desabafar é positivo, mas não significa que você vai ficar falando do assunto o tempo inteiro. Isso não vai resolver o seu problema, talvez o piore. A reclamação traz uma sensação de fracasso e te impede de seguir adiante.

6 - Coloque o plano em ação: uma vez que você analisou os prós e contras, é hora de colocar seu projeto em ação. Não fique esperando pelo momento ideal para isso. Comece a agir mesmo que o cenário não seja dos mais favoráveis.

7 - Estude seus passos:  olhe para a situação de diferentes ângulos e mude a rota se for necessário. Vai abrir um negócio? Estude bem o mercado, os clientes, os produtos. Quanto mais preparada (o) estiver, maior a sua segurança ao agir.

8 – Não perca a paciência: toda mudança leva tempo, tenha isso em mente quando a impaciência surgir. Da mesma forma, fique consciente que você não terá o controle absoluto do processo de mudança.

9 - Busque opiniões externas: ouvir uma opinião de quem está de fora da situação ajuda a relativizar os problemas. É natural que quem está vivenciando tudo de perto tenha a tendência de supervalorizar tudo, inclusive aspectos mais simples.

10 – Se precisar, mude o foco: Algo deu terrivelmente errado? O novo emprego é péssimo? Não gostou do prédio novo? Tente deixar o problema esfriar um pouco. Procure ocupar a mente com um hobbie, saia de casa ou simplesmente tome um café e relaxe. Com a cabeça livre da pressão é mais fácil pensar melhor e achar uma solução mais rapidamente.

Veja também: Você sabe tomar boas decisões?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.