Aprenda a lidar com o que passou transformando o arrependimento em um impulso para algo novo

Arrependimento: parar de pensar no que passou permite ver as oportunidades do presente
Thinkstock/Getty Images
Arrependimento: parar de pensar no que passou permite ver as oportunidades do presente

A vida é feita de escolhas e nos deparamos o tempo todo com opções que as colocam em cheque. Ter o poder de decidir pode ser muito divertido, o problema começa quando uma escolha se transforma em arrependimento.

Uma pesquisa recente feita pelo site Happify mostrou que 90% das pessoas admite ter um grande arrependimento. É natural que, ao longo do tempo, algumas escolhas do passado pareçam equivocadas. Porém, estagnar a vida pensando no que poderia ter sido pode ser ainda pior.

“É certo de que algumas decisões podem gerar o arrependimento, aquele sentimento de ‘e se eu tivesse feito’. O problema é que nunca saberemos se o ‘se’ daria certo ou errado.” – aponta o psiquiatra Leonard F. Verea.

Ainda segundo a pesquisa, assuntos ligados ao coração e aos relacionamentos aparecem em primeiro lugar na lista de arrependimentos. Para os especialistas é importante saber reagir de maneira adequada às emoções negativas.

“Elas não devem comandar atitudes ou influenciar julgamentos, pelo contrário, devem ser controladas para que não ultrapassem limites. Todos enfrentam momentos estressantes. A diferença está em evitar atitudes impensadas que possam gerar um grande remorso no futuro, como o fim de um casamento ou até o rompimento de laços entre familiares”.

Falando em termos românticos, a pesquisa apontou ainda mulheres, em relação aos homens, são maioria no quesito arrependimento.

“As mulheres, muitas vezes por influência da cultura, têm uma capacidade maior de rever situações e apresentar comportamentos de arrependimento ou pedidos de desculpas quando ofendem ou ferem alguém”, afirma a psicóloga Simone Domingues, coordenadora da graduação em psicologia da Unicsul. Homens, por serem mais práticos, tendem a ter mais questionamentos ligados com a carreira e dinheiro.

Segundo o consultor em gestão de pessoas, Eduardo Ferraz, é comum que as pessoas reclamem de trabalhar demais em detrimento da família, ou ainda, de fazerem aquilo que não lhes dá prazer.

“Quando você faz o que gosta, certamente as dúvidas e arrependimentos são menores. Conheça seus pontos fortes e se posicione onde possa render mais. O autoconhecimento evita frustrações e expectativas e ajuda a tomar decisões mais acertadas na carreira” – ensina.

E já que se arrepender faz parte da vida, veja a seguir algumas dicas que podem ajudar a superar aqueles fatos que são difíceis de aceitar:

1. Aprenda a se perdoar: errar é humano, aceite isso. Evite perder tempo demais remoendo o passado. Não dá para muda-lo, mas é possível alterar o futuro. Ser mais gentil consigo e parar de pensar no que passou permite ver as oportunidades que estão no presente e pode evitar novos erros.

2. Veja o lado bom: toda situação tem um lado bom. Focar no benefício ajuda a deixar as escolhas mais leves e você se sente mais feliz. Se largou o emprego dos sonhos para ganhar mais, pense nas coisas boas que o dinheiro trouxe. Você pode estar trabalhando em algo que não lhe agrada tanto, mas está pagando a parcela do apartamento sem sufoco. Viu? Pense nisso.

3. Aceite seus limites: é normal que a vida nos imponha algumas situações-limite e é preciso aprender a lidar com isso, fazendo o que é possível no momento.

“Muitas vezes tomamos algumas decisões que, naquele momento, foram as que podíamos tomar, dentro das condições psíquicas que tínhamos. O importante é entendermos isso e não ficar se culpando pelo que poderia ter sido” – aconselha Simone Domingues.

Compartilhe o revés: falar com amigos e pessoas próximas ajuda a relativizar problema
Thinkstock/Getty Images
Compartilhe o revés: falar com amigos e pessoas próximas ajuda a relativizar problema

4. Faça novos planos: mantenha seus sonhos. Se não abriu um negócio quando teve a oportunidade, não desista dessa vontade, apenas espere um pouco ou faça adequações que viabilizem isso. O mesmo vale para a vida amorosa. Se o casamento acabou, talvez seja hora de mudar a rota e construir novas relações.

“Em algumas situações, continuar lutando não é sábio, mas sim burrice. Muitas vezes perdemos tempo com coisas que achávamos importantes, e depois concluímos que aquilo não passava de vaidade” – diz Simone.

Leia: A importância da motivação

5. Seja fiel à própria vontade: viver a vida que os outros esperam de você é um erro muito comum e que gera grande angústia. É normal que a sociedade imponha uma série de papéis e obrigações às pessoas, cabe a você decidir os rumos e de que maneira deseja viver. Não se deixe pressionar e não se prenda ao famoso “o que os outros vão achar”.

6. Mude de rota: algo não saiu como o desejado? Mude, faça ajustes para chegar ao objetivo e não espere tudo dar errado para tomar uma atitude. Se a relação vai mal, converse com o parceiro e tente melhorar. Fazer o que estiver ao seu alcance é uma das melhores formas de evitar futuros arrependimentos.

Leia mais: Dez sinais de que é hora de recomeçar

7. Mantenha o foco: a vida é um conjunto formado por diversos campos: afetivo, profissional, familiar e etc. Se algo não deu certo em alguma destas áreas, não pare o restante da vida. Há muitas coisas para conquistar e comemorar em outras áreas. Não se trata de tapar os olhos para o problema, mas evitar focar exclusivamente nele.

8. Faça escolhas: tome decisões, mas tenha em mente que toda escolha envolve abrir mão de algo. Estar consciente dá uma ideia mais precisa do que se está ganhando e do que se está perdendo, o que ajudar a evitar arrependimentos futuros.

9. Não guarde para si: falar com amigos e pessoas próximas é bom para relativizar o problema. Ouvir o ponto de vista dos outros pode mostrar que a situação não é tão ruim quanto parece. Além disso, não tocar no assunto pode transformar o arrependimento em mágoa, rancor ou amargura, sentimentos negativos e que impedem a vida de seguir adiante.

++ MAIS: Veja a seguir uma seleção de filmes com lições de vida:


Leia mais no Delas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.