Falar tudo o que pensa, doa a quem doer, nem sempre é uma virtude. Veja se você não está exagerando na sinceridade e aprenda a moderar as palavras ao expor sua opinião

Verdade que dói: antes de expor a sua opinião, coloque-se no lugar do outro, sugere psicólogo
Thinkstock/Getty Images
Verdade que dói: antes de expor a sua opinião, coloque-se no lugar do outro, sugere psicólogo

A vida não é um tribunal em que é obrigatório dizer somente a verdade. No entanto, muita gente se aproveita deste artifício para alfinetar e até mesmo magoar os outros com a justificativa de que não ter papas na língua é uma grande virtude.

Para o psicólogo Jan Luiz Leonardi, mestre em análise do comportamento pela PUC-SP ser sincero a qualquer custo revela um defeito, o egoísmo – afinal, ninguém é dono da verdade.

“A sinceridade funciona como um medicamento. Na dose certa, é saudável, mas se passar do ponto pode ser um veneno”, diz o especialista.

Daí vem o termo ‘sincericídio’, ato ou efeito de dizer a verdade sem medir as consequências e que, pode sim, ser um verdadeiro tiro no pé.

“A verdade extrema pode gerar afastamento e gerar situações de conflito”, reforça Leonardi.

Autor do livro ‘Sincericído’(Ed. Ofício das Palavras), Pablo Nobel defende que é fundamental falar a verdade, pois isso é libertador.

“A verdadeira sinceridade precisa ter um olhar de compaixão, mais do que de crueldade”, argumenta o escritor.

Por isso, utilizar-se de palavras ásperas que machucam não é o caminho certo para expressar o que se pensa. Em muitas situações é crucial filtrar o que vai ser dito e, em especial, ter tato na hora de apresentar uma opinião.

“A maldade tem um efeito agressivo, que incomoda e, neste caso, a sinceridade deixa de ser um aspecto positivo”, avalia o psicólogo. Portanto, quem se aproveita disso está, na verdade, indo na contramão dos benefícios que uma palavra sincera pode gerar.

“Ser sincero significa dizer aquilo que pensa e que honestamente pode ajudar a harmonizar, equilibrar e positivar quem e o que quer que seja”, afirma a coach de relacionamento, Margareth Signorelli.

Mas, afinal como ser sincero sem ser maldoso? Sim, existe uma regra até mesmo para dizer a verdade. A proposta é usar o recurso da sinceridade para somar. Por isso, o psicólogo Jan Luiz Leonardi enumera três pontos básicos que podem e devem ser observados:

  • Se colocar no lugar do outro antes de dizer o que pensa
  • Prestar atenção na reação do outro
  • Atentar à forma como irá falar, colocando sua opinião sempre de maneira assertiva e delicada

De acordo com Leonardi, ao seguir essa linha é quase certo que a sinceridade irá prevalecer em seu aspecto positivo. Afinal, quem intenciona ser maldoso, não costuma ponderar tais questões.

“É importante ressaltar que uma mentira leve e cuidadosa pode ser mais saudável do que uma verdade sem limites que, com certeza, pode causar mais prejuízos que mudanças”, alerta o psicólogo.

Na prática, antes de sair falando tudo o que pensa, Margareth ensina que é fundamental se questionar: minha sinceridade pode ajudar ou trazer algo de positivo para esta pessoa e para mim? Vou ofendê-la? O que eu ganho com isto? Existe outra maneira de colocar as coisas de modo que a minha opinião contribua para um resultado positivo para ambas as partes?

“Essas são boas medidas para encontrar um equilíbrio, pois em qualquer tipo de relacionamento é importante filtrar os excessos”, sugere Margareth.

Dose certa

Falar a verdade e manter a harmonia nas relações sociais exige jogo de cintura. E, para cada situação, vale uma coisa – o grau de intimidade com o outro também altera o tom da sinceridade. O escritor Pablo Nobel defende: ser sincero é uma maneira de olhar o mundo, e isso tem mais de virtude do que de equívoco.

“É possível dizer a verdade sem magoar e, o melhor, sem subestimar o outro. Ao mentir estou menosprezando a capacidade dele assimilar o que é realmente verdadeiro”, pondera.

Para facilitar, Margareth Signorelli, sugere como se comportar de forma sincera em diferentes âmbitos da vida:

Em família

Dentro dela é sempre mais difícil controlar as opiniões e não ofender. As pessoas crescem juntas e conhecem muito bem as fragilidades de cada um. Neste caso, a melhor maneira é usar o que se sabe não como a ‘carta da manga’ para ser usada a qualquer minuto, mas sim que não deve ser usada nunca. A generosidade de se colocar no lugar do outro deve prevalecer.

Escritório: ambiente de trabalho exige atenção dobrada na exposição de opiniões
Thinkstock/Getty Images
Escritório: ambiente de trabalho exige atenção dobrada na exposição de opiniões

No trabalho

Esse ambiente exige atenção dobrada na exposição de opiniões. Aqui, a sinceridade deve ser usada para mostrar quem você é, sua opinião sobre diferentes assuntos, pontuando seus interesses.

Conheça os 10 comportamentos mais insuportáveis no trabalho

Tudo que for dito deve priorizar a melhora do ambiente de trabalho e seu crescimento profissional. Sua opinião passa a ser respeitada a partir do momento em que as pessoas percebem que o que você diz é valioso e, não apenas críticas que não acrescentam nada de positivo no trabalho. É importante ter discernimento para escolher se você quer ser um colaborador ou um fofoqueiro.

No amor

É importante alimentar a franqueza desde o primeiro encontro. Não ter medo de dizer quem é, o que gosta, suas necessidades e seus limites. Ser sincero é ser honesto.

“É muito positivo pontuar coisas como ‘não gostei como você falou comigo na frente das pessoas, por favor, não faça mais isto’. Isso é sinceridade, que une e constrói a confiança necessária em um relacionamento”, diz Margareth.

Nas relações sociais

Interações cotidianas com o vizinho, o porteiro do prédio, o atendente da loja, o caixa da padaria, o cabeleireiro e a manicure, entre outros, exigem generosidade e educação. Você pode dizer o que quer, mas antes pense se você gostaria que isso fosse dito para você. Em muitas ocasiões, respirar fundo e esperar o melhor momento para fazer suas colocações também pode mudar o que ia ser dito e assim amenizar um pouco a forma como você coloca as palavras.

Leia também: Como afastar pessoas que nos fazem mal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.