Aprenda a driblar o isolamento e a timidez para fazer novos amigos e até, quem sabe, encontrar um amor

Em um mundo cheio de estímulos visuais e conectado quase 24 horas por dia, arranjar companhia não deveria ser um problema. Embora a tecnologia tenha facilitado a comunicação entre as pessoas muitos ainda reclamam da solidão e da dificuldade para fazer novos amigos, principalmente na vida adulta.

“Ficou fácil conversar com alguém, pois os dispositivos permitem isso o tempo todo. No entanto, o que as pessoas não percebem, é como elas estão começando a substituir relações reais pelo mundo virtual. O contato pessoal acabou se tornando uma barreira”, diz a psicóloga Andrea Deis.

Leia mais: Estilo de vida atual leva à solidão

“Muitos não sabem como abordar, iniciar uma conversa, entender os sinais da outra pessoa no mundo real. Isso passa a ser um obstáculo, que faz alguém introspectivo se fechar ainda mais”, completa.

Esse isolamento pode ser bem prejudicial, na medida em que vivemos em uma sociedade na qual conhecer pessoas é fundamental para o sucesso profissional e pessoal.

“A timidez não é uma característica desejável hoje, inclusive em grandes empresas. Ninguém nasce tímido, é um sentimento reflexo de problemas com autoestima, autoconfiança e capacidade do indivíduo”, explica a psicóloga.

Leia e aprenda: Como superar a timidez

Uma boa opção para desenvolver habilidades sociais é fazer cursos de teatro, circo ou artes plásticas, que podem ajudar os tímidos a serem mais extrovertidos. Outra técnica sugerida pela profissional é praticar em frente ao espelho.

“Converse na frente do espelho, como se estivesse conhecendo outra pessoa. Perceba gestos, palavras, postura e vá se acostumando com você. Aos poucos, isso te deixará mais solto ao falar com um desconhecido”.

Sem vergonha: conversar sozinho em frente ao espelho é uma das formas de treinar para superar a timidez
Thinkstock/Getty Images
Sem vergonha: conversar sozinho em frente ao espelho é uma das formas de treinar para superar a timidez

Para quem realmente sofre com a dificuldade em conhecer novas pessoas, um alívio: com terapia e exercícios diários, qualquer um pode se tornar apto a ter boas interações sociais. Essa é a promessa de Alexandre Meirelles, um administrador de empresas que hoje se dedica, exclusivamente, a treinar homens a deixarem de lado a insegurança e terem sucesso com as mulheres. Ao lado dos sócios Guilherme Pinheiro e Bruno Giglio, Alexandre fundou a Social Arts , empresa que dá treinamentos diversos no “jogo da sedução”.

Segundo o coach, os homens de hoje têm uma carência de figuras paternas que sirvam como referencial masculino. Muitos são filhos de pais separados e foram criados apenas pelas mães. Além disso, a rotina diária de trabalho impede, muitas vezes, que o pai esteja mais próximo do filho, o que gera um distanciamento natural que se aprofunda na adolescência. Isso afeta diretamente a segurança deste novo homem, que se vê em apuros na hora que decide conhecer uma mulher. Um dos problemas mais comuns está na ansiedade exagerada ou no sentimento depreciativo.

“Em geral, as pessoas, não gostam de conhecer alguém que logo começa a contar de seus problemas e que demonstra insegurança e carência afetivas”, aponta Alexandre. Por isso, segundo ele, estar certo de suas qualidades e ter certeza daquilo que quer é um poderoso ingrediente na conquista.

“Ter uma boa energia, ser honesto com aquilo que quer e ter firmeza no discurso são fundamentais. A confiança é um afrodisíaco”, completa.

Cartilha da paquera

Focados em conquistar o maior número de mulheres, os rapazes da Social Arts têm vídeos com uma série de dicas para uma abordagem de sucesso. Entre as mais importantes estão higiene e uma boa aparência. Segundo Meirelles, ter conhecimentos de moda e estilo denota inteligência social. Por isso, não tenha medo de investir em você.

“Ler, informar-se, ir ao cinema e teatro, conhecer restaurantes, ter um hobby. Tudo isso torna uma pessoa mais interessante”, afirma o coach.

A maioria dos homens tem dificuldade em manter contato após a primeira abordagem. Isso acontece, muitas vezes, pelo fato da mulher perder o interesse no companheiro ao aprofundar a conversa. Por isso, a afinidade é tão necessária.

“Busque assuntos em comum. Pode ser um tipo de filme, uma profissão ou um esporte”, ensina Meirelles. Para ele é importante ser honesto, evitando mentiras sobre a vida pessoal para impressionar a outra pessoa. Além disso, bom humor é fundamental.

“Sorrir sempre e mostrar educação ao falar com os outros contam pontos”, ensina o profissional.

O medo da rejeição, natural em todos nós, não pode ser mais forte do que a vontade de conhecer pessoas e de estabelecer novos vínculos sociais e sentimentais.

“Falta de química é normal, mas uma rejeição não é pior do que o arrependimento de ficar pensando se você deveria ter tentado. Na dúvida, arrisque”, diz o coach.

No entanto, segundo Andrea Dies, quando o assunto é paquera, é preciso ter cuidado com abordagens ostensivas.

“É importante criar empatia antes de querer mostrar controle da situação. Os padrões atuais mudaram e nem todas as mulheres se sentem atraídas pelo comportamento típico do macho-alfa. É aí que muitos homens se perdem.”

Leia: Oito erros comuns de quem acaba de ficar solteiro

Para ela os homens precisam evoluir para aprenderem a se comunicar com a mulher moderna. O tipo de abordagem imperativo e focado apenas nas qualidades da pessoa pode levar a relacionamentos breves, sem perspectiva de vínculos duradouros.

Ver e ser visto

Se a intenção é conhecer pessoas é preciso deixar o computador de lado e investir nos encontros reais. Evite lugares com excesso de estímulos, como baladas, onde os frequentadores podem se distrair com a música, amigos, flertes, bebida alcoólica e etc. Outro lugar que não facilita contato são os restaurantes, pois são ambientes mais formais, onde as pessoas se fecham em suas mesas.

De acordo com os profissionais entrevistados, existem muitos locais e atividades que propiciam conhecer pessoas. Só não vale ficar em casa! Veja a seguir algumas opções:


Festas e encontros na casa de amigos: pode ser um "esquenta" antes da balada, uma festa ou até mesmo um churrasco. Se você foi convidado, não deixe de ir. É uma grande oportunidade de conhecer pessoas.

Parques e praias: ao ar livre, favorecem atividades diurnas e um clima de coletividade e cordialidade. A presença de crianças e animais facilita o início de conversa.

Shows e festivais: bons para os mais jovens, pois inspira a participação e a interação por um interesse comum. Todos acabam fazendo parte da mesma “família musical”.

Museus e exposições: bons para conhecer pessoas em busca de algo menos superficial. Discutir sobre um artista ou obra específica é um ótimo primeiro contato.

Cursos : como todos buscam um conhecimento em comum há grandes chances do contato evoluir para algo mais. A regularidade dos encontros também facilita isso.

Atividades esportivas: o espírito de equipe ajuda a aproximar. O mesmo vale para as com contato corporal (ioga, pilates, dança).

Eventos esportivos: jogos e competições também podem render novos amigos.

Livrarias: vasculhando estantes em busca de um clássico ou de um jogo de computador é possível encontrar pessoas buscando o mesmo que você.

Siga lendo notícias sobre comportamento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.