Se você não entende nada deste esporte, e não quer pagar mico diante do namorado (e dos amigos) na Copa, leia este guia

Bola em campo: você não precisa saber tudo de futebol, mas é importante entender o básico
Thinkstock/Getty Images
Bola em campo: você não precisa saber tudo de futebol, mas é importante entender o básico

A abertura da Copa deixou o Dia dos Namorados em segundo plano e a sua comemoração vai ser na frente da TV, assistindo à estreia do Brasil. O problema é que você não entende nada de futebol. E agora?

Calma, a equipe do Delas , com a colaboração dos colegas do iG Esporte , elaborou um pequeno guia com o básico que você precisa saber para entender o que está acontecendo dentro do campo e não falar bobagem na frente do namorado ou dos amigos. Boa Copa!

O jogo

Composta por dois times com 11 jogadores (contando com o goleiro) a partida é dividida em dois períodos de 45 minutos, intercalados por um intervalo de 15 minutos. O objetivo de cada time é fazer gols na equipe adversária e evitar que o seu goleiro sofra gols.

Acesse todo o conteúdo da Copa do Mundo 2014

O campo

Formado por duas linhas laterais e duas linhas de fundo, o campo é dividido ao meio por um círculo que constitui o centro do gramado. Em cada extremo do campo, o gol é cercado pela pequena área (aquele quadradinho em torno das traves), que por sua vez é cercada pela grande área. O ponto marcado em frente ao gol, no meio da grande área, é a marca do pênalti, onde deve ser posicionada a bola na hora da cobrança.

As posições

Posições em campo: o ataque e a defesa de um time precisam atuar juntos para ganhar
Thinkstock/Getty Images
Posições em campo: o ataque e a defesa de um time precisam atuar juntos para ganhar

Goleiros: o trabalho deles é evitar que a bola entre no gol. Dentro da pequena área eles podem usar qualquer parte do corpo para defender seu time.

Zagueiros: jogadores de defesa, o objetivo deles é parar o ataque depois que os adversários já passaram da metade do campo.

Volantes: posicionados mais para o meio do campo (à frente dos zagueiros), são eles que normalmente começam a desmantelar o ataque do time adversário. Uma vez que retomam a posse da bola, são os volantes que iniciam a armação da jogada de ataque.

Laterais: atuam tanto na defesa quanto no ataque – neste caso são chamados de alas – e se movimentam pelas laterais do campo. Normalmente são eles quem fazem as cobranças de lateral.

Você sabia que um brasileiro já fez gol sem chuteiras? Descubra essa e outras histórias sobre as Copas do Mundo neste infográfico

Meias: normalmente é dos pés destes jogadores que nascem as jogadas de ataque. Posicionados no meio-campo – daí o nome – eles podem seguir com a bola até o gol do adversário, mas também podem atuar de forma mais defensiva.

Atacantes: gols e assistências – os passes para quem faz o gol – são o negócio deles. Eles ficam a maior parte do tempo na área adversária tentando o gol (neste caso se chamam centroavantes) ou correm até o fundo do campo pelas laterais, cruzando a bola para dentro da área (neste caso são chamados de ponta-de-lança).

A arbitragem

O juiz é a autoridade máxima dentro de campo e o dever dele é fazer cumprir as regras do esporte. Para tanto ele conta com a ajuda de dois assistentes (os “bandeiras”) e com o uso de advertências verbais e dos cartões amarelo e vermelho.

As faltas

São quaisquer condutas ou lances da partida que vão contra as regras do esporte. A falta é determinada pelo árbitro e as mais comuns são colisões entre jogadores e ofensas entre os times ou direcionadas à arbitragem.

Os cartões

Cartão amarelo: ele é uma advertência. Dois deles valem um vermelho, ou seja, expulsão
Thinkstock/Getty Images
Cartão amarelo: ele é uma advertência. Dois deles valem um vermelho, ou seja, expulsão

São usados pela arbitragem para advertir (amarelo) ou punir com expulsão (vermelho) o jogador que cometeu alguma infração dentro do campo.

Algumas regras

Recuo de bola: se um jogador de defesa recuar a bola para o seu goleiro, este jamais poderá tocar na bola com as mãos. Terá de reiniciar a jogada devolvendo a bola para seu time com os pés.

Lateral: feito sempre com as mãos, esse lançamento serve para recolocar a bola em jogo quando ela sai por uma das linhas laterais do campo. Cobra a lateral o time adversário do jogador que tocou pela última vez na bola antes dela sair.

Escanteio: ocorre quando a bola sai pela linha de fundo e a última pessoa a tocar nela foi um jogador que está defendendo aquele lado do campo. Neste caso, um jogador do time que ataca se posiciona onde se juntam as linhas lateral e de fundo para cobrar o escanteio, sempre usando os pés.

Infográfico: conheça as sedes e os estádios da Copa do Mundo de 2014

Tiro-de-meta: é a reposição da bola em jogo depois que ela sai pela linha de fundo e a última pessoa que tocou nela foi um jogador de ataque. Essa reposição é normalmente feita pelo goleiro, mas também pode ser feita por um jogador da defesa.

Impedimento: o essencial sobre essa regra cheia de detalhes é saber que o impedimento ocorre quando o jogador de ataque estiver na frente de todos os jogadores de defesa do time adversário no momento em que a bola for lançada para ele por algum companheiro de time.

Pênalti: é uma penalidade para o time do jogador que cometeu falta dentro da grande área ou tocou na bola com as mãos. Sob o comando do juiz, a bola é posicionada na marca do pênalti e o jogador escolhido para cobrar só pode chutar a bola depois do apito do árbitro.

As expressões mais usadas

Bicho: gratificação em dinheiro paga aos jogadores que vencem uma partida ou um campeonato.

Bicicleta: é quando o jogador salta de costas e chuta a bola no ar.

Cama-de-gato: falta na qual o jogador calça com o corpo o adversário, para fazê-lo perder o equilíbrio.

Caneta: drible no qual o jogador passa a bola entre as pernas do adversário para recuperá-la atrás dele.

Carretilha: drible no qual o jogador levanta a bola com um calcanhar e a passa por cima do adversário, para dominá-la do outro lado, dando sequência ao lance.

Carrinho: lace no qual o jogador se lança com os dois pés em direção à bola com o corpo quase deitado. O objetivo é desarmar o adversário.

Bicicleta: fazer um gol assim é algo muito comemorado pelo jogador e pelo time
Thinkstock/Getty Images
Bicicleta: fazer um gol assim é algo muito comemorado pelo jogador e pelo time

Cavadinha: quando o jogador chuta a bola pelo lado de baixo, um efeito que a faz ir mais alto após o chute.

Chaleira: puxada, com o calcanhar, da bola que está no ar, atrás do jogador.

Chapéu: lance no qual o jogador chuta a bola por cima do adversário e a recupera logo adiante.

Chocolate: leva um chocolate o time que perde por muitos gols de diferença.

Deixadinha: lance em que o jogador dribla o marcador deixando a bola para o companheiro de equipe levar ou chutar.

Drible da vaca: também conhecido como meia-lua, é um tipo de drible em que o jogador chuta a bola por um lado do adversário para recuperá-la mais adiante.

Frango: o goleiro toma um frango quando deixa passar uma bola muito fácil de defender.

Firula: lance ou jogada bonita, mas que não leva a nada.

Gol de letra: gol feito com o pé contrário ao que está de frente para a bola, ou seja, o jogador chuta a bola cruzando uma perna por trás da outra.

Gol de placa: um belo gol, digno de ser imortalizado (foi um gol de Pelé, homenageado em uma placa de bronze, que deu origem à expressão).

Matador: jogador que faz muitos gols.

Pedalada: tipo de drible no qual o jogador passa a bola de um pé a outro diversas vezes, para confundir o adversário sobre a direção em que seguirá a jogada.

Peixinho: é quando o jogador mergulha para cabecear a bola.

Trivela: lance em que o jogador chuta a bola com a parte externa do pé, tocando apenas três dedos na bola.

Fontes: Fifa e “Dicionário Popular de Futebol – O Abc das Arquibancadas”, de Leonam Penna (Nova Fronteira)

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.