"A fortuna gasta todos os anos com produtos e procedimentos prova que ainda somos pressionadas e submetidas aos regimes de beleza", diz autora da série

Retocar a raiz, passar na manicure, agendar um horário com a depiladora, cortar os carboidratos da dieta. Para muitas mulheres, o cuidado com a manutenção da beleza é uma das obrigações femininas.

Refletindo sobre essas imposições e os efeitos negativos sobre os aspectos psicológico e físico das mulheres, a fotógrafa e artista visual Jessica Ledwich criou a série “O Feminino Monstruoso”, com fotos e edições chocantes sobre os poderes da indústria da beleza.

As imagens editadas por Jessica formam uma representação sinistra dos rituais de beleza a que as mulheres se submetem, como manicure, depilação e bronzeamento artificial, entre outros. Veja abaixo:

“A ideia desse projeto foi mostrar um dos aspectos comportamentais mais bizarros do ser humano. Existe essa obsessão cultural gigantesca em relação à beleza e à perfeição, e um medo grande do envelhecimento, de um jeito que a identidade de uma geração de mulheres é moldada para se sentir assim. Quis explorar as rotinas e práticas de beleza delas”, explicou Jessica Ledwich em entrevista ao Delas .

A artista, nascida em Melbourn, na Austrália, confessa que também não está imune às pressões da sociedade sobre seu corpo e sua aparência.

“Estou exposta a essa mesma cultura e tenho consciência de como ela transforma o modo como você olha para si mesma e para os outros. Por ter essa consciência, consegui idealizar uma crítica a esses ideais por meio da arte”, acredita Jessica.

Segundo ela, é fundamental que as mulheres quebrem esse ciclo de imposições e se livrem dos estereótipos que as escravizam, não cedendo às pressões da mídia.

“Mas isso não está apenas nas mãos das mulheres. A sociedade, como um tudo, precisa começar a se responsabilizar pelos estereótipos que promove”, reforça a fotógrafa.

Leia mais

Mulheres posam para ensaio com axilas não depiladas

Artista cria álbum de família com manequins

Mulheres usam nudez como convite à reflexão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.