Farra, descanso ou juntar família e amigos num feriado prolongado são algumas razões dos entrevistados para celebrar a festa

Na quinta-feira, tudo volta ao normal: o trânsito, o trabalho e a rotina sem confetes, nem serpentinas. Efêmero, o carnaval é a oportunidade perfeita para se divertir durante quatro dias sem precisar se preocupar com mais nada.


É uma festa do povo, todo mundo pode pular, independentemente da cor, do credo, se está bem vestido ou não. Todo mundo pode se divertir

Só os foliões podem aproveitar a festa? De jeito nenhum. Até os mais sossegados têm as merecidas folgas carnavalescas, que não precisam necessariamente terminar no sambódromo ou atrás do trio elétrico. Como não amar? Veja dez motivos para curtir essa data, listados por pessoas que têm o carnaval no coração:

1. A festa é para todas as idades

Não existe nenhuma regra que estabeleça quem deve se portar como criança e quem deve ser adulto: no carnaval, todo mundo é livre para jogar confetes, serpentina, vestir a fantasia que quiser e brincar sem medo de ser feliz. “Para pular carnaval nos clubes, eu e meus amigos fazíamos as nossas próprias roupas, nos pintávamos, sem preguiça nenhuma. São quatro dias para você se jogar”, diz Maria Pires Barbosa de Almeida, a dona Perlu, de 65 anos.

Leia também: dez dicas para fazer amigos no carnaval

2. “Mesmo que você não curta o carnaval, são quatro dias para ficar à toa”

Parece óbvio dizer isso, mas não tem quem não goste de desacelerar um pouco a rotina e passar quatro dias longe do trabalho. Para quem ama o carnaval, é ainda melhor, já que são dias para conferir os desfiles das escolas de samba, pular nos bloquinhos de rua e se divertir, mesmo que seja uma segunda-feira. “É como se fossem mini-férias, você pode fazer o que quiser nesses dias de folga. Tem inúmeras festas ao mesmo tempo, em todos os lugares do Brasil, para todo mundo”, defende a blogueira Bia Pattoli, que no fim de semana retrasado estava no Rio de Janeiro com toda a família para ver o ensaio da Salgueiro.

3. “É um tempo de alegria”

Mesmo que existam outros feriados no Brasil, nenhum deles é tão feliz quanto o carnaval. “É uma energia linda que faz com que a gente conheça novas pessoas a cada nova festa, cante a mesma música em uma voz só, esqueça todos os problemas e só pense em se divertir, mesmo”, conta Carolina Caixeta, publicitária que já passou o feriado em outros países e ainda não conseguiu encontrar uma festa melhor do que a brasileira.

>>> Leia também o outro lado: dez motivos para odiar o carnaval <<<

4. “Fica todo mundo em um clima de igualdade”

Uma das vantagens do carnaval é que você nunca vai estar sozinho na multidão, já que nos quatro dias (quase) todo mundo é igual e pensa na mesma coisa: se divertir. “É a época para você se soltar, seguir seus instintos. Dá para cantar na rua, dançar sozinho, pular, que ninguém vai te olhar torto ou ameaçar te bater”, descreve o publicitário Pedro Cerqueira. Quando chega o feriado, Pedro volta para sua cidade natal, São Luís do Paraitinga, e comemora com a família toda, que tem o carnaval no sangue. “Minha mãe e meus tios tinham uma banda e faziam shows no carnaval. Lembro de cochilar na caixa do violão quando ainda era pequeno”, conta ele.

5. “Não é coisa de alienado: carnaval dá trabalho”

Em cada canto do país, uma festa diferente. O carnaval é uma boa oportunidade para conhecer a fundo a cultura brasileira, que não se restringe aos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo. “As pessoas deveriam ter mais orgulho dessa nossa festa, que é uma coisa única no mundo. Dá um baita trabalho fazer o carnaval, colocar um bloco na rua ou uma escola na avenida. Nesse último mês, as pessoas que trabalham com isso estão dormindo de três a quatro horas por noite, no máximo, porque elas querem fazer a festa acontecer”, argumenta o jornalista Luiz Pattoli.

6. “As pessoas dão um jeito de se reunir”

Uma das coisas mais improváveis desse feriado é passar os quatro dias sozinho. No fim das contas, todo mundo aproveita para pular nos bloquinhos com os amigos, viajar em grupo ou reunir a família para um almoço especial, só para não deixar a data passar em branco. “Para mim, uma das coisas mais legais é coletividade, todo mundo reunido numa pracinha, tomando cerveja e relaxado. Todo mundo fica feliz junto”, acredita Carolina Caixeta.

7. “É uma energia inexplicável, que faz você se mexer”

Não há como negar que o carnaval é carregado de energias positivas, resultado da alegria e descontração das pessoas que fazem a festa acontecer todos os anos, seja por meio da organização ou da participação. “Não tem como explicar, é um clima contagiante, você fica feliz por tabela e se deixa levar. Quem diz que não curte uma batucada no carnaval é porque nunca ficou do lado de uma bateria de escola de samba”, afirma Bia Pattoli.

8. “Dá pra se soltar e seguir seus instintos”

O feriado cai justamente na estação mais quente do ano, ou seja, as pessoas se sentem mais confortáveis para tirar do guarda-roupa as peças coloridas, vestidos, regatas e bermudas. Resultado? Carnavalescos menos carrancudos e mais alegres. “Eu tenho esse estilo meio tropicalista, amo roupa estampada e tenho cabelo comprido, então, aproveito o carnaval para me soltar”, confessa Pedro Cerqueira.

9. “Você pode festejar onde bem entender”

A ideia de que o carnaval obriga todo mundo a escutar o mesmo tipo de música e ver os desfiles das escolas de samba não é nada verdadeira. Como a própria cultura brasileira, o carnaval é multifacetado: a festa de São Paulo é bem diferente do que rola em Salvador, que por sua vez tem um carnaval bem diferente do de Recife. Tem espaço e festa para todo mundo. Dá pra pular atrás do trio elétrico, ir para baladas específicas, acompanhar os ensaios técnicos das escolas ou juntar os amigos para fazer um baile mais tradicional.

10. “Os blocos de rua são democráticos”

De uns anos para cá, os blocos de rua ganharam força e muitos adeptos, principalmente entre os que não curtem a ideia de virar a madrugada no sambódromo ou em casa, assistindo aos desfiles na televisão. Bairros tradicionais de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro reúnem milhares de pessoas para cantar marchinhas antigas e jogar serpentina e confete, provando que o carnaval é realmente para todo mundo. “O barato dos blocos de rua é que você não precisa comprar um abadá para participar. É uma festa do povo, todo mundo pode pular, independentemente da cor, do credo, se está bem vestido ou não. Todo mundo pode se divertir igual”, explica Cleber Mayo, diretor de alegoria da Mocidade Alegre.

Leia também
Meditação pata escapar do carnaval

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.