A astróloga Monica Horta explica o céu do mês e como ele influencia a vida pessoal e até a política

Tempo de Peixes: o céu de março estimula a imaginação e o conflito
Arte iG
Tempo de Peixes: o céu de março estimula a imaginação e o conflito

Março de 2013 começa doce e termina amargo. Ou apimentado, se alguém preferir assim. Quente, como dizem os baianos...

Isso acontece por causa da alternância entre as energias de Netuno e de Marte que são, respectivamente, os regentes de Peixes e Áries, os dois signos que dividem a hegemonia do mês.

Nos primeiros dez dias estamos no meio de uma inundação netuniana provocada pela grande conjunção que reúne seis planetas em Peixes, entre eles Netuno, o regente do signo. Uma conjunção como esta se sobrepõe a qualquer outra influência astrológica e envolve o mundo em uma nuvem de imaginação.

Esta energia vence até o racionalismo de Saturno que, por estar no signo de Escorpião, participa e dá força para uma imaginação que, além de sinônimo de fantasia, significa a possibilidade de construir mentalmente por meio de imagens.

Esta definição, publicada pela astróloga espanhola Silvia Ceres em 2004, se coaduna perfeitamente com a previsão que ela faz para a atual passagem de Netuno pelo signo de Peixes: “se a história dos ciclos planetários deixa um ensinamento, nos atrevemos a afirmar que esta vai ser uma época marcada por um estado de “descontentamento divino” que nos incentivará a pensar alternativas para que o nosso mundo se pareça um pouco mais com o paraíso prometido”.

A relação entre o signo de Peixes e o cristianismo, que em seu início era representado por um peixe, é muito clara. Se lembrarmos que a Reforma Protestante ocorreu sob uma influência muito forte de Netuno, não é de se estranhar que o atual ciclo netuniano coincida com a surpreendente renúncia do papa que, no seu discurso de despedida, nos remete diretamente ao tal “descontentamento divino”de que fala Silvia Ceres.

Papa Bento 16 parte depois de cumprimentar fiéis de varanda na residência de verão de Castel Gandolfo, cidade onde ele passará seus primeiros dois meses após renúncia
AP
Papa Bento 16 parte depois de cumprimentar fiéis de varanda na residência de verão de Castel Gandolfo, cidade onde ele passará seus primeiros dois meses após renúncia


Esta forte influência netuniana vai até a Lua Nova, no dia 11 de março. A partir daí, Marte entre em Áries e a energia marciana surge no céu, soando como uma sirene que vai a acordar quem andava sonhando acordado.

Os dez dias do meio do mês são de transição.

Aos poucos, o clima vai mudando até o dia 20, quando termina o tempo de Peixes e o Sol entra em Áries, onde já estão Marte e Urano. No dia 22 é a vez de Vênus ir se juntar aos guerreiros do Zodíaco.

Até o dia 29, Marte vai funcionar como um detonador para o aspecto tenso entre Urano e Plutão que, desde 2011, está fazendo a humanidade ter medo do futuro. Impossível dizer o que vai sair concretamente daí, mas os conflitos tendem a se agravar e acontecimentos inesperados vão multiplicar a tensão, tanto nas situações pessoais, como na política nacional e nas relações internacionais.

Menos mal que Vênus também está envolvida nessa configuração. Em geral, ela nos faz ver as coisas mais bonitas do que elas são, e elas acabam sendo.

No fundo da caixa de Pandora ainda mora a esperança...

Acompanhe seu horóscopo diário no Delas

Leia também

As preferências sexuais de cada signo
A casa de cada signo
Os signos influenciam a personalidade da criança?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.