Veja quais são os deslizes mais comuns de quem não se desconecta do trabalho nestes dias e aprenda a evitá-los

Não adianta nada contar os dias para as férias se você não consegue desligar do trabalho quando chega a hora do descanso merecido. Este é um drama comum – e muitas vezes despercebido – de quem assume responsabilidades demais e talvez se ache único na função. “A sensação é parecida com aquela de quem deixa o filho pela primeira vez na escolinha: achamos que ninguém cuidará dele tão bem quanto nós e que estamos delegando algo importante demais para ser delegado”, compara Branca Barão, coach e autora do livro “8 ou 80 – Seu melhor amigo e seu pior inimigo moram dentro de você” (editora DVS).

A dentista Marcella checava os e-mails à noite durante as férias e acabou dormindo um dia inteiro durante a viagem a Paris
Alvinho Duarte/Fotoarena
A dentista Marcella checava os e-mails à noite durante as férias e acabou dormindo um dia inteiro durante a viagem a Paris

O problema de não se desligar nas férias também atinge em cheio profissionais autônomos e microempresários, que não têm carteira assinada ou benefícios garantidos. É o caso da dentista Marcella Gonçalves, 32 anos, que não fica muito tempo sem tirar férias, mas sempre leva trabalho consigo. “Eu fico preocupada em deixar as coisas pendentes, quero estar por dentro de tudo. Não consigo desligar”, confessa.

Leia também: como ter mais chances em concursos públicos

Da última vez, Marcella passou 15 dias na Europa, mas checava os e-mails do trabalho dia sim, dia não. “No dia em que eu não consegui conexão fiquei com medo de ter algo pra fazer. Mas nem tudo era urgente”, admite. Quando havia de fato algo, depois dos passeios Marcella cumpria as tarefas enquanto as amigas dormiam. De tão exausta pela dupla jornada – passeios diários e noites curtas – acabou dormindo um dia inteiro durante sua estada em Paris. Na noite seguinte, já “descansada”, voltou a checar as mensagens.

Mesmo uma “olhadinha rápida” nos e-mails impede a dissipação do estresse e ainda derruba a produtividade. Ou você pensa que tirar férias é para os fracos? “É a velha história do copo que vai enchendo e enchendo até que um belo dia basta uma gota para transbordar”, diz Branca. “Tirar férias é a melhor forma de baixar o nível de água no copo e voltar disposto, com bom-humor suficiente para suportar os problemas do dia a dia de forma mais leve”.

Prioridade e planejamento são a solução. As férias devem ser pensadas em termos de antes, durante e depois. Comece por definir quais tarefas serão realizadas nesse período, as prioridades, grau de dificuldade e quem fará o quê.

Leia também: você deixa tudo para depois? Procrastinação pode esconder problemas mais sérios

Deixe o
Getty Images
Deixe o "kit escritório" em casa: laptop e celular não entram na mala das férias

Algumas pessoas preferem folgar por pequenos períodos ao longo do ano, mas há quem defenda a saída mais prolongada – e mais perto do máximo determinado pela legislação trabalhista brasileira. “Dados apontam que o ideal é tirar mais de 21 dias, porque é a partir desse período que o corpo para de produzir os hormônios do estresse”, diz a coach Mariella Gallo.

Uma vez planejado seu afastamento e sua substituição, não caia no mundo em seguida. Permita-se um período de alguns dias de “desintoxicação” em casa, curtindo a família.

Nessa fase, como em todo período, não vale checar e-mails, nem atender ao celular do trabalho.

Depois viaje, de preferência para um lugar de cenário e rotina bem diferentes. Na volta, reserve uns dias para fazer uma ambientação em casa e ver se está tudo bem antes de retornar ao trabalho.

Saiba quais são e como evitar os principais erros das férias

1. Não planejar adequadamente: antes de sair, organize uma lista das tarefas a serem cumpridas na sua ausência.

2. Não treinar um substituto: delegue as tarefas listadas para pessoas que tenham o perfil adequado, sugere Branca Barão.

3. Não confiar no substituto: se treiná-lo adequadamente, não há porque achar que seu substituto não vai dar conta do recado.

4. Não comunicar os envolvidos: avise os clientes e a chefia sobre como e por quem as atividades serão realizadas na sua ausência.

5. Levar o “kit empresa” na viagem: deixe o celular corporativo e o notebook do trabalho em casa.

6. Tirar um período muito curto de férias: reserve tempo suficiente para se “desligar do escritório”. A quantidade de tempo é pessoal.

7. Ficar sintonizado em projetos: viva o presente. Esqueça os últimos problemas do trabalho e evite a ansiedade quanto ao futuro.

8. Ler livros ligados ao trabalho: evite títulos sobre liderança, estratégia ou gerenciamento. Tente um romance.

9. Manter a rotina: visite lugares novos, faça cursos diferentes ou qualquer atividade que lhe interessar. “Senão, você vai pensar no trabalho o tempo todo”, observa Branca.

10. Voltar das férias direto para o trabalho: reserve alguns dias para retomar a rotina de casa, checar se está tudo bem e se preparar mentalmente.

Leia também

- Como pedir aumento de salário
- Como fazer amigos na vida adulta
- Como puxar assunto sem perguntar do tempo 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.