A astróloga Monica Horta conta em detalhes como será o mês para os aquarianos

No começo do mês, a questão mais urgente pode ser o excesso de expectativas em relação ao futuro

Os aquarianos começam o mês de dezembro muito preocupados com a vida profissional. Capitaneados por Saturno, os cinco planetas que estão formando o grande triângulo dos signos de água estão aumentando (ou apenas deixando mais clara) a maneira emocional com que eles lidam com todos os assuntos ligados ao mundo físico, entre eles, o sucesso e o trabalho.

Com a chegada de Saturno ao meio do céu, no último mês de outubro, eles começaram a viver uma época de grandes questionamentos em relação ao lugar que estão ocupando nesse momento na sociedade. Não necessariamente um tempo ruim, mas certamente um tempo de colheita. Saturno também é o deus da agricultura e não é à toa que seu símbolo é muito parecido com uma foice.

A chegada dele ao ponto mais alto do céu pode significar tanto um rebaixamento como uma promoção na vida profissional ou no seu relacionamento com a sociedade em geral. Nos dois casos, isso não acontece sem trazer uma carga pesada de preocupações.

Saturno já esteve neste lugar no começo dos anos 80, mas nem todo mundo estava atuando socialmente nesta época e nunca coincidiu com a presença de Netuno na casa relacionada à autoestima e ao valor que se dá aos próprios recursos.

Talvez os acontecimentos que detonaram esta crise levem os aparentemente frios e descolados aquarianos a refletir até onde a emoção e a sensibilidade encontram espaço, ou são importantes no seu dia a dia e na atividade profissional que eles exercem no momento.

Mas, no começo do mês, a questão mais urgente pode ser o excesso de expectativas em relação ao futuro e o excesso de possibilidades de atuação no presente.

As coisas talvez fiquem mais claras a partir do meio do mês, quando Mercúrio e Vênus vão fazer companhia ao Sol de Sagitário e a Lua Nova pode dar a partida em um novo projeto capaz de mudar a direção da vida.

As dificuldades de escolha que são fortes no começo do mês podem ser atribuídas ao encontro entre Marte e Plutão no signo de Capricórnio, que gera uma ativação excessiva dos conteúdos inconscientes e pode criar um clima persecutório, que não ajuda os relacionamentos pessoais, nem as escolhas profissionais.

No dia 21, com a entrada do Sol no signo de Capricórnio, esse tipo de interferência vai ficar mais clara e poderia ser mais bem entendida com a ajuda de um terapeuta.

Mas as coisas mudam de figura no dia 26, quando Marte entrar na primeira casa e estabelecer uma relação muito forte com Urano, que está na casa da comunicação. Como um planeta vai estar no signo regido pelo outro, eles podem funcionar muito bem juntos e boa parte dos medos não identificados pode encontrar o caminho natural das palavras, talvez através de uma nova linguagem.

No final do mês, a Lua Cheia vai trazer a discussão sobre a ordem humana e a ordem maior que é conhecida por muitos nomes: destino, acaso ou providência divina. Até onde será que vale a pena se esforçar para organizar a vida se a qualquer momento tudo pode mudar?

- O tempo de sagitário: a configuração do céu em dezembro na coluna de Monica Horta

- Veja as previsões de dezembro para todos os signos


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.