Animais assistiram a anúncio que combina sons de sinos, assobios e latidos com emissões de alta frequência; veja o vídeo

Cães não conseguem parar quietos ao assistir comercial
BBC Brasil
Cães não conseguem parar quietos ao assistir comercial

Um comercial que afirma ser o primeiro direcionado não apenas aos telespectadores humanos, mas também aos caninos, estreou na TV britânica na noite da última segunda-feira.

A peça combina sons de sinos, assobios e latidos com emissões de alta freqüência – entre 18 mil e 20 mil kilohertz – inaudíveis para a maioria das pessoas, mas perfeitamente claras para os cães.

>>>CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER <<<

A veterinária e porta-voz da empresa anunciante, a fabricante de comida para cachorros Bakers, disse que o objetivo do comercial é ser divertido e levar os animais a interagir com a TV e com seus donos.

"É tudo uma questão de tom e altura", disse à BBC Zara Boland. Ela acrescentou que é possível que pessoas mais jovens escutem as "mensagens secretas" para os cães, mas não soube dizer até que idade.

"Não se trata de aumentar o volume, que poderia ir longe demais. Não há nada (no anúncio) que cause dano."

Teste

Para testar o comercial, a BBC pediu a uma telespectadora que adora ver televisão acompanhada de seus cães que assistisse à peça no dia de sua estreia.

Lisa O’Connor, 27, é dona de Mylo, um pug de dois anos de idade, e Toby, um cruzamento de Jack Russell que só tem três pernas, ambos resgatados de instituições para cães abandonados.

Até os primeiros dez segundos, o comercial prometia ser um fracasso. Entretanto, quando começaram os latidos e ganidos, os cães não conseguiam parar quietos.

Normalmente calmo, Toby se sentou nas patas traseiras e passou um longo período com os olhos fixos na TV.

Assine a Newsletter do Delas

"Fiquei surpresa com Toby. Ele nunca reage assim à televisão", disse Lisa. "Mas Mylo não parece muito interessado."

Ela afirma que "definitivamente" o anúncio a levaria a comprar o produto anunciado. "Mas também poderia ser irritante, e o telespectador pode simplesmente abaixar o volume da TV."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.