Seja para se entrosar na folia, na viagem do feriado ou para puxar papo com quem está ao seu lado, siga nossas dicas

Com a desinibição do Carnaval, fica mais fácil puxar papo e fazer amizades
Thinkstock/Getty Images
Com a desinibição do Carnaval, fica mais fácil puxar papo e fazer amizades

Vai viajar, cair na farra ou ficar em casa mesmo? Mesmo se você não estiver com um grupo de amigos ou na companhia certa, não tem desculpa para não se divertir com outras pessoas.

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER

O iG entrevistou especialistas em relacionamento para ajudar você a deixar a timidez de lado e fazer amigos nesse Carnaval.

1 – Saia da zona de conforto.
“É preciso ir para onde tem gente, ir atrás do agito”, diz Alexandre Bortoletto, instrutor da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística (SBPNL). Ou seja, não adianta ficar em casa ou no quarto de hotel. Festas, blocos e bares são bons lugares para encontrar gente

2 – Que tipo de pessoa você procura?
Qual a companhia perfeita para você? Baladeiros, viajantes, zen? Saber quem faz bem para você é o primeiro passo. “Até para chegar ao tipo de pessoa que eu quero conhecer eu preciso ter noção dos meus valores”, diz Bortoletto.

3 – Procure os receptivos
Para achar novos amigos, procure espaço. “Grupos não fechados, que tenham espaço aberto, vão ser mais receptivos”, diz o dating coach Rodrigo Farah, colunista do Delas. “Para se enturmar, não dê atenção a só uma pessoa do grupo. Tente conquistar a todos. Você acaba incorporado ao grupo.”

3 – Fale a língua do outro
“Ao encontrar alguém legal, aproxime-se com respeito pelo modelo de mundo dela, não pelo seu. Se a pessoa é mais introvertida, não adianta chegar chegando”, diz Bortoletto. Observe como a pessoa anda, fala, dança e tente se sintonizar com o jeito dela.

4 – Inventando assuntos
Antes de mais nada, preste atenção no que o grupo do qual você quer se aproximar está falando, verifique se alguém está lendo alguma coisa ou algum outro gancho que ajude a puxar assunto, como um bottom na mochila, por exemplo. “Aí, é só entrar no assunto, acrescentando alguma coisa nova. Para não parecer intrometido, é melhor fazer perguntas. A pessoa que responder se sente útil e isso gera empatia”, diz Rodrigo.

Se estiver sozinho procurando um cantinho no balcão do bar ou um lugar na mesa do cruzeiro, por exemplo, a abordagem é direta. “Com um sorriso, peça para participar da atividade, seja o jantar ou rodinha de violão na praia. A partir daí, sistematicamente entre na conversa”, afirma o dating coach. A própria folia do carnaval é sempre um bom quebra-gelo, sobretudo com pessoas visívelmente empolgadas com a festa.

5 - Evite estados alterados de consciência
Álcool atua como um desinibidor social, mas o exagero é garantia de ressaca moral. “Sair do seu eixo na frente de alguém que você não conhece e com quem você pode querer conversar no dia seguinte acaba com suas chances.

Assine a Newsletter do Delas

6 – Pare de se comparar aos outros
Foque nas suas qualidades. Sempre vai ter alguém mais sarado, mais alto, mais bem vestido, mais bonito. E daí? Ficar se comparando vai fazer você perder tempo e desanimar. Aposte nos seus pontos fortes e valorize o que você tem de melhor para chamar a atenção.

7 – Invista nos três canais de comunicação
São eles visual, auditivo e cinestésico. “Mostre-se, fale, toque”, exemplifica Bortoletto. Para explorar o outro se expressa e usar o mesmo canal

8 – Não faça tipo
Não adianta parecer a pessoa mais legal e interessante se você não está sendo autêntico. Quem não gosta de axé vai sofrer para requebrar ao ritmo de Ivete Sangalo só para se enturmar. “Seguir seus instintos, confiar em você. Mesmo por trás da máscara de carnaval, a essência a gente nunca perde”.

9 – Pergunta é a melhor resposta
Às vezes as perguntas mais bobas, como o que a pessoa gosta de fazer no tempo livre, por exemplo, são as mais eficazes. Puxar papo com perguntas permite que o outro fale – quem não gosta de falar de si mesmo?

10 – Manter contato
Gostou do papo? Quer esticar a convivência para depois da quarta-feira de cinzas? Proponha um programa ou encontro depois, ligado aos interesses em comum que vocês descobriram. “Se a pessoa também gostou da sua companhia, é automático ela pedir seus contatos”, diz Rodrigo. Ou peça na cara-dura e seja feliz. O que você tem a perder?

Leia também:
Jogo da Conquista, por Rodrigo Farah

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.