N?o tem como fugir: desmistificar o sexo para eles e t?o importante quanto inevitavel. Veja as dicas para n?o engasgar quando a ?desconcertante? conversa aparecer na hora do jantar

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491675447&_c_=MiGComponente_C

De onde vem os bebes? e a pergunta fatidica capaz de deixar pai e m?e na maior saia justa. Mas n?o adianta mudar de assunto. Falar sobre sexo e sexualidade com os filhos e importantissimo e n?o da pra deixar pra depois.


Quando comecar a conversa?

N?o tem uma idade exata para falar sobre sexo. Depende dos estimulos visuais e auditivos aos quais a crianca e exposta. Geralmente, a curiosidade para saber de onde vem os bebes comeca com a gravidez da m?e ou de outra pessoa proxima. Vale lembrar que as criancas abaixo de 6 anos n?o tem memoria auditiva t?o agucada, ent?o n?o d?o tanta importancia para a resposta. O que interessa para elas e matar a curiosidade ou chamar a atenc?o, explica a sexologa e ginecologista Franciele Minotto.

O interesse chama

A hora certa pra falar sobre sexo e quando surge o interesse! E n?o tem idade pra isso. Primeiro devemos informa-los sobre os org?os genitais, como funcionam, sobre a higiene, e sobre a diferenca entre os generos masculino e feminino, dando exemplos do papai e mam?e, irm?o e irm?, se for necessario, sugere a ginecologista.

E mesmo se n?o houver perguntas, a partir dos 10 anos, e legal introduzir o tema no papo em casa. E necessario que os pais insiram o assunto nas conversas com as criancas. Comentar sobre o que e o namoro e como acontece; que as pessoas beijam na boca, se abracam, fazem carinho pelo corpo da outra. E que um belo dia poder?o ficar nus e, se assim desejarem, o penis do menino entrara na vagina da menina, aconselha Franciele.

Xo, mito!

Desconversar, mudar de assunto, n?o pronunciar a palavra em casa apenas mistifica o sexo e o coloca distante da vida da crianca. Como ha muito estimulo visual, algumas vezes e dificil esconder ou dissimular a palavra sexo. Isso e importante para n?o deixar o assunto como algo proibido ou magico, alerta a sexologa. E nada de ficar constrangida. Na hora de conversar, a naturalidade e importante para o entendimento da crianca e facilita a percepc?o de que o sexo e uma pratica constante da vida adulta.

A professora Joana E. Antunes, 32 anos, n?o sabia o que responder quando a filha de cinco anos fez a primeira pergunta embaracosa. Um belo dia, a Thais virou pra mim e perguntou: m?e, eu posso cruzar? Fiquei surpresa e sem saber o que dizer. Mas expliquei que so podemos fazer isso quando amamos alguem de verdade. Foi a unica saida, ri a professora.

As metaforas

N?o adianta usar palavras do diminutivo para se referir aos org?os sexuais. Nada de pirulitinho e pererequinha. Falar o nome correto de ambos e ate utilizar-se de espelho para identificar as estruturas e muitissimo importante. Sexo n?o pode ser relegado eternamente ao felizes para sempre do conto de fadas, adverte.

Anote!

Dicas para n?o engasgar quando a conversa de sexo aparecer na hora do jantar:

- Trate o assunto com naturalidade e deixe claro que e uma pratica comum da vida adulta;

- Vale perguntar o que a crianca ja sabe sobre o assunto, para especificar a duvida;

- N?o esconda que os pais praticam o sexo . Isso estimula os filhos a perceber a uni?o do casal e a compreender que voce precisa daquela horinha pra ficar a sos;

- Explique que o ato sexual e prazeroso , mas pode trazer transtornos sem algumas precauc?es: gravidez indesejada, doenca sexualmente transmissivel, etc;

- Tome cuidado com o contexto e as palavras usadas durante o dialogo para n?o associar o sexo a algo sujo ou feito apenas pelos maus

- E necessario comecar a conversa enquanto as modificac?es puberais est?o acontecendo . Deixar para falar depois da primeira menstruac?o, para as meninas, e tapar o sol com a peneira e pode ser tarde demais!

Leia mais sobre: filhos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.