Desde o começo do mês, uma engraçada dança de cadeiras mexeu com a energia do céu

Tempo de áries: mês de fins e começos
Arte iG
Tempo de áries: mês de fins e começos

Março é sempre um mês diferente dos outros. Às vezes tem calor demais, às vezes tem chuva demais, mas é sempre o mês em que o ano começa de verdade. As escolas começam a ensinar novos conteúdos, as empresas voltam a funcionar a todo vapor e as vitrines estão coloridas por uma mistura de liquidações e lançamentos que tentam atender tanto aos dias de calor que ainda estão acontecendo como à elegância do frio que ainda não chegou.

Às 13:57 do dia 20 de março, o Sol vai entrar no signo de Áries. O desenho do céu nesta tarde nos dará informações importantes sobre o ano que começa

Pelo menos aqui nos trópicos. No hemisfério norte a natureza não deixa ninguém ter dúvidas: é primavera. Por aqui está começando o outono, mas basta sair um pouquinho do grande centro para ver as quaresmas e os ipês colorindo as matas e algumas plantas competindo numa rebrotação feroz, como se fosse primavera. Outras, como as amendoeiras, estão obedecendo ao calendário do sul e perdendo todas as suas folhas.

Veja também: as previsões diárias de cada signo

Assim como o nosso povo, a nossa flora também é miscigenada e às vezes se atrapalha com isso. Como a cerejeira do meu jardim que não sabe se está morrendo ou se está prestes a se cobrir de flores.

Talvez por isso seja mais difícil para nós meditar sobre a ideia central do outono: a preparação para o fim das coisas. Como se pode refletir sobre o fim das coisas se depois do Carnaval tudo parece estar começando? Essa é a grande atrapalhação de março: o mês dos fins e o mês dos começos.

Contradição típica do signo de Peixes que, não por acaso, tem como símbolo dois peixinhos presos pela boca, mas nadando em direções contrárias.

Esse ano, o pedaço de Março que é regido por Peixes caprichou na produção. Começou com o carnaval que levou para as ruas multidões de um tamanho impressionante. Se os mascarados do carnaval resolvessem mudar o mundo, não ia sobrar pedra sobre pedra. Mas eles estavam só manifestando seu inacreditável potencial criativo e a sua imensa necessidade de “diversão e arte”.

Durante todo o carnaval, os dois regentes do signo de Peixes, Netuno e Júpiter, distribuíram megadoses de bom humor e calor humano. A multidão fantasiada nas ruas é uma apoteose de democracia. Há quem sambe melhor e quem seja mais afinado, mas no meio do bloco as diferenças quase desaparecem.

Na segunda e na terceira semanas do mês, todo mundo vai perceber que está com um pouco menos de energia do que o normal. Quem brincou muito vai achar que está cansado, quem descansou vai achar que está entediado.

Acontece que, desde o começo do mês, uma engraçada dança de cadeiras mexeu com a energia do céu. Mercúrio e Júpiter voltaram a andar para frente enquanto Marte e Saturno começaram aparentemente a andar para trás. É só uma ilusão de ótica, mas que interfere diretamente na maneira com que avaliamos e reagimos à realidade.

Saturno já costuma andar mesmo um pouco devagar e por isso seu movimento retrógrado não incomoda tanto. A não ser para quem está debaixo dessa influência e quer muito que a crise que ela provocou acabe logo.

Mas e Marte?

Marte gosta de ser o primeiro em tudo e não suporta ficar muito tempo no mesmo lugar. E está estranhando a energia suave do signo de Libra porque este é o território de Vênus, a senhora da nossa imaginação.

O resultado é que a força está se manifestando de maneira diferente, contornando ângulos e encontrando saídas diplomáticas para os conflitos mais ásperos.

Foi sob a influência de Marte em Libra que apareceu o “futebol arte”. Que o digam Pelé e Ronaldo Fenômeno, que nasceram com Marte neste signo.

E vai ser exatamente este Marte especial que vai comandar a festa do Ano Novo astrológico: às treze horas e cinquenta e sete minutos do dia 20 de março, o Sol vai entrar no signo de Áries. E o desenho que vai estar no céu nesta tarde nos dará informações importantes sobre o ano que vai começar.

A quadratura entre Urano e Plutão, a mãe de todas as rebeliões que estamos vendo explodir pelo mundo, continua atuando, mas vai ter que se entender com esse Marte diplomático e com Júpiter, o grande benéfico, que aparece exaltado no signo de Câncer brilhando sozinho no leste, logo acima da linha do horizonte. Como um Sol nascente.

Por sua posição privilegiada e por ser o regente do ano que vai começar, ele é sem dúvida planeta mais importante do céu do primeiro dia do ano.

O pai de todos os deuses, o grande legislador e o grande juiz do céu vai ser a marca registrada desse ano.

Por estar em harmonia com Saturno, ele vai ajudar os homens a escolherem entre o certo e o errado usando a força do pensamento temperada pelo idealismo e pelo sentimento humanitário de Netuno.

E Marte? O regente do signo de Áries?

Ele também vai ser importante, mas vai atuar sob a influência do signo de Libra, que é representado por uma balança.

Mais uma vez, o símbolo da justiça estará desenhado no céu...

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.