Sexóloga e colunista do Delas, Fátima Protti orienta leitora que reclama de dores e falta de lubrificação na relação sexual

"Sou casada há 8 anos, ainda sinto dores durante a penetração e a lubrificação é difícil. O sexo sempre foi um problema devido a minha educação e percebo que ainda não me sinto à vontade. Preciso resolver isso para que meu marido fique satisfeito. O que posso fazer?"

Dor e falta de lubrificação na relação sexual tem origens diversas
Thinkstock Photos
Dor e falta de lubrificação na relação sexual tem origens diversas

Não é raro receber no consultório mulheres de várias faixas etárias com a queixa de dores durante a penetração (dispareunia), tornando o sexo difícil e, com o passar do tempo, nada atrativo.

Na maioria dos casos, as dores aparecem frente a ausência ou pouca lubrificação – resposta orgânica à excitação que facilita o coito, evitando incômodos e dores. Ela indica que a mulher está sentindo muito prazer.

Durante as preliminares algumas mulheres revelam que a lubrificação vai embora junto com a queda ou a ausência da excitação. Geralmente, é um sinal para retomar o foco nas sensações, aumentar os estímulo ou mudar de prática sexual para fazer a excitação subir.

Veja: 69 posições sexuais para sair da rotina no sexo

Alterações hormonais interferem na lubrificação, o que normalmente ocorre quando a mulher está amamentando ou na menopausa, pelo declínio ou pela falta do estrogênio.

A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras
Edu Cesar/Fotoarena
A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras

Medicamentos como anticoncepcionais, anti-histamínicos e antigripais também podem diminuir a lubrificação.

A tensão durante o sexo inibe a excitação, leva à contração pélvica e do orifício vaginal dificultando o coito e provocando as dores. Essa tensão pode ocorrer pela expectativa do coito, problemas entre o casal, estimulação inadequada, ansiedade de desempenho, inseguranças no relacionamento, medo de sentir dores ou preocupação em engravidar.

Tabus, bloqueios psicológicos/emocionais e preconceitos derivados de uma educação sexual rígida impedem que a mulher fique à vontade, relaxe para aproveitar as delícias das carícias e o erotismo. Relações rápidas também podem provocar dores no coito, pois a mulher precisa de um tempo maior para se excitar e lubrificar.

Cara leitora, geralmente os géis lubrificantes a base de água são indicados por ginecologistas para facilitar a penetração. Contudo, é preciso descobrir a origem do problema para que ele seja de fato resolvido.

No seu caso a terapia sexual poderá ajudá-la a resolver essa disfunção sexual. Parece que o sexo é um fator de tensão, provavelmente por conta de crenças e ideias distorcidas originadas de sua educação.

Quando o sexo para você for prazeroso, tenha a certeza que seu parceiro estará bem satisfeito.

* Fátima Protti é psicóloga, terapeuta sexual e de casal. Pós-graduada pela USP e autora do livro “Vaginismo, quem cala nem sempre consente". Escreva para a colunista: delas_amoresexo@ig.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.