Sexóloga e colunista do Delas, Fátima Protti esclarece dúvida de leitora que sofre com o excesso de demanda sexual do parceiro

"Trabalho o dia todo e todas as noites meu marido quer sexo, mas estou muito cansada. Ele gosta de demorar no sexo. Como satisfazer meu parceiro na cama de forma diferenciada e num menor tempo?"

Conversar com o parceiro é fundamental para entrar em um acordo sobre a frequência sexual ideal. Sexo só é bom quando é bom para os dois
Thinkstock/Getty Images
Conversar com o parceiro é fundamental para entrar em um acordo sobre a frequência sexual ideal. Sexo só é bom quando é bom para os dois








O sexo só é ótimo quando as duas pessoas sentem prazer. Quando se torna estressante, em decorrência da frequência ou prática sexual para um dos cônjuges, é indesejável e, com o tempo, até evitado.

Não existe uma frequência semanal indicada, cada casal tem seu ritmo.

O tempo de duração é variado, pode acontecer uma rapidinha prazerosa, bem como uma transa mais demorada, e os dois aproveitam para retirar o máximo de prazer com um sexo mais elaborado.

Outro aspecto que pode prolongar a duração é a dificuldade do homem para ejacular, indicando uma disfunção. Ou, na medida em que sua idade avança e a sensibilidade do pênis diminui, ele necessita de mais estímulos físicos e mentais. Nessa fase, as rapidinhas deixam de acontecer, aumentando o tempo de carícias e o uso de fantasias.

Por outro lado, há homens jovens que superaram a fase da autoafirmação. A transa deixou de ser apenas um desafio para provar seu desempenho e a potência do seu pênis. Aproveitam melhor o sexo controlando a ejaculação e curtindo mais as preliminares.

Cara leitora, não sei a idade do seu parceiro, nem a maneira como transam, portanto a demora no sexo pode vir de outros fatores.

A duração da transa não parece ser o seu maior problema, inclusive pode ajudá-la a atingir o orgasmo. Acredito que a frequência sexual diária é demais para quem chega muito cansada do trabalho.

Meu conselho: converse com seu parceiro e entrem num acordo sobre o número satisfatório de relações sexuais para ambos. Não faça nada que pese como uma cobrança para você mesma: ele pode lidar com a frustração. Assim, o sexo não será afetado por uma desmotivação total no futuro.

Mas, para aqueles dias em que você está com baixa motivação ou energia para o sexo e mesmo assim quer dar prazer ao parceiro, algumas dicas ajudam a facilitar o gozo:

A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras. Escreva para delas_amoresexo@ig.com.br
Edu Cesar/Fotoarena
A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras. Escreva para delas_amoresexo@ig.com.br

- Massagear suavemente a glande (cabeça do pênis) com a ponta dos dedos ou a mão, usando um gel lubrificante a base de água para facilitar. Ou, com a ponta da língua, faça movimentos rotativos e leve sucção da glande com a boca;

- Masturbar e ao mesmo tempo tocar com a ponta dos dedos da outra mão o ânus ou os testículos, faz aumentar rapidamente a excitação;

- Estimular a próstata, com os dedos médio e indicador na região do períneo (local entre o saco escrotal e o ânus), ou massagear a próstata pelo ânus. Esta última prática nem sempre é bem aceita, por um preconceito masculino;

- Massagear levemente com os dedos ou a língua os testículos. Nesse momento tocar o períneo, o ânus ou sugar suavemente cada bolinha, colocando-a dentro da boca, pode levar o homem rapidamente ao orgasmo.

* Fátima Protti é psicóloga, terapeuta sexual e de casal. Pós-graduada pela USP e autora do livro “Vaginismo, quem cala nem sempre consente". Escreva para a colunista: delas_amoresexo@ig.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.