Sexóloga e colunista do Delas, Fátima Protti esclarece dúvida de leitora descontente com o tamanho dos lábios vaginais

“O tamanho dos lábios vaginais me incomoda muito e tenho vergonha. O que eu posso fazer para acabar com isso? Tem alguma operação?”

A aparência da genitália é variada e a diversidade é natural: lábios vaginais variam em forma, tamanho e cor, e a coloração pode mudar ao longo da vida
Getty Images
A aparência da genitália é variada e a diversidade é natural: lábios vaginais variam em forma, tamanho e cor, e a coloração pode mudar ao longo da vida

O que seria do vermelho, se todos gostassem do amarelo? A sociedade cria modelos de corpos e comportamentos como padrão de beleza e normalidade. Apesar da forte influência, nosso olhar geralmente se desvia para o especial, o diferente.

Ao sermos atraídos por alguém, capturamos algo de diferente na sua forma, no seu jeito de ser e muitas vezes nos encantamos. As diferenças funcionam como estímulos de atração ou repulsa. Neste contexto está a aparência da própria genitália.

Os lábios vaginais variam em forma, tamanho e cor, e a coloração pode mudar ao longo da vida. A preferência pela estética genital feminina varia de homem para homem, portanto há aqueles que gostam de lábios vaginais volumosos.

A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras
Edu Cesar/Fotoarena
A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras

Mas algumas mulheres estão descontentes com aquilo que veem. Nos casos em que a estética genital é um fator constrangedor, um incômodo psicológico ou funcional, alterando significativamente a autoestima feminina e a qualidade da sua vida sexual, existe a indicação da cirurgia íntima.

Quanto aos lábios vaginais, o procedimento corrige o aumento, o excesso de pele e a flacidez. De acordo com a avaliação do especialista são empregadas técnicas cirúrgicas diferentes.

Outros tipos de reparações podem ser realizadas com a cirurgia íntima: diminuição dos pequenos lábios ou do monte de vênus, estreitamento do canal vaginal para ficar “apertadinha”, reconstrução do hímen, clareamento e rejuvenescimento genital.

Se a estética genital é de fato um problema em sua vida, na próxima ida ao ginecologista peça a indicação de um cirurgião plástico especialista nessa área.

* Fátima Protti é psicóloga, terapeuta sexual e de casal. Pós-graduada pela USP e autora do livro “Vaginismo, quem cala nem sempre consente". Escreva para a colunista: delas_amoresexo@ig.com.br

Leia mais colunas de Fátima Protti

Leia mais em Amor e Sexo:
Sete atitudes que melhoram um relacionamento desgastado
Desregulagem hormonal e fatores que afetam a libido
16 lições dos relacionamentos dos famosos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.