Da pimenta ao sal mais indicado, culinarista mostra quais temperos podem ser usados no preparo dos alimentos

Uma das dúvidas mais comuns a respeito das refeições das crianças, principalmente as menores, é que tipo de tempero usar para que os pratos continuem saudáveis, porém saborosos e atraentes. Em tempos de temperos prontos, cheios de química e sempre com o mesmo gosto, lembrar das muitas opções de ervas e condimentos naturais, por incrível que pareça, tornou-se pouco comum. Aliado a isso, o medo que as pessoas desenvolveram por temperos picantes ou mais fortes acaba afastando-as cada vez mais do verdadeiro tempero.

Você sabe que tempero usar para deixar a comida do seu filho mais saborosa e ainda saudável?
Thinkstock/Getty Images
Você sabe que tempero usar para deixar a comida do seu filho mais saborosa e ainda saudável?

Mas os pais minimamente zelosos e informados já sabem que temperos industrializados não prestam para ninguém, e podem ser especialmente prejudiciais para bebês e crianças. Eles contêm glutamato monossódico, corantes e flavorizantes artificiais, um exagero de sal e muitas vezes até açúcar, que não raro aparece “disfarçada" com outros nomes.

Leia também:
- Saiba mais sobre aditivos alimentares e como eles agem no nosso organismo
- Aditivos alimentares podem causar hiperatividade em crianças 

Na minha casa, o tempero mais básico, que tem todo dia em praticamente todas as receitas, é o quarteto "cebola, alho, sal e pimenta", tempero que você pode deixar previamente preparado na geladeira ou freezer.

Mas também é possível variar usando alho poró (que eu adoro) ou salsão picadinhos. Pode utilizar tudo junto ou um por vez.

O sal também nunca falta nas minhas receitas. Mas não vale qualquer sal. O produto comercial é totalmente refinado, contém apenas cloreto de sódio. Já o verdadeiro sal, não refinado, é riquíssimo em diversos minerais muito importantes para a nossa saúde.

Veja também:
Brasileiro consome mais que o dobro do sal recomendado pela OMS
Acordo consegue reduzir mais de 1,3 mil toneladas de sódio em três alimentos

O mesmo prato - vamos usar como exemplo um purê de batatas - pode ganhar muitas versões diferentes dependendo do tempero adicionado. Na opção mais “normal", uso sal, pimenta do reino branca e noz moscada. Manteiga não pode faltar! Em outras versões, cozinhar alguns dentes de alho na água da batata dá um gostinho incrível, sem deixar o alho pronunciado demais. Um punhado de cebolinhas ou salsinha picada também dá um toque especial ao purê e a muitos outros pratos, de forma natural e saudável.

Aqui em casa o ingrediente secreto - que de secreto não tem nada - em todas as minhas receitas é o caldo caseiro.  Um bom caldo caseiro (clique aqui para ver receitas)  não só enriquece qualquer receita, como também a torna extremamente nutritiva. É a combinação perfeita para os melhores resultados.

Junto com os caldos, eu invisto em ervas frescas e desidratadas e condimentos em pó - só os verdadeiramente naturais, como curry, açafrão da terra, tandoori, páprica e pimentas variadas, que ao contrário do que se diz por aí, só fazem bem.

Se o tempero aparecerá acentuado ou suave na sua receita, vai ser a quantidade usada quem definirá o resultado. Não tenha medo, nenhum tempero natural faz mal. Se você exagerar, o pior que pode acontecer é ficar com a boca ardida por algum tempo, sem nenhuma consequência realmente do mal.

No site Crianças da Cozinha , publiquei um pequeno dicionário de ervas e condimentos, onde você pode conhecer um pouco mais sobre temperos naturais. E a seguir, uma pequena lista dos temperos que adoro usar, e que você pode testar à vontade nas suas receitas:

- alecrim
- alfavaca (uma variedade do manjericão, com folhas bem grandes)
- açafrão
- açafrão da terra (também conhecido como cúrcuma)
- cardamomo
- curry
- erva-doce
- galanga (um “primo" do gengibre, difícil achar por aqui)
- gengibre
- louro
- manjericão
- manjerona
- mostarda (grãos moídos)
- sálvia
- tomilho
- orégano
- salsinha
- cebolinha
- coentro
- alho
- cebola
- urucum
- pimentas (comece com as mais adocicadas, rosa e verde, e depois as outras, sempre em quantidade moderada)
- sal não refinado
- noz-moscada
- macis (a casca da noz moscada)
- canela
- hortelã
- menta
- dill

A culinarista Pat Feldman tira dúvidas sobre alimentação infantil
Digulgação
A culinarista Pat Feldman tira dúvidas sobre alimentação infantil

Com essa lista você consegue variar bastante. Vamos para a cozinha testar?

* Pat Feldman é culinarista e criadora do Projeto Crianças na Cozinha, que traz receitas infantis saudáveis, saborosas e livre de industrializados. É também autora do livro de receitas "A Dor de Cabeça Morre Pela Boca", escrito em parceria com seu marido, o médico Alexandre Feldman. Na coluna “Cozinha com Crianças”, ela fala quinzenalmente sobre gastronomia infantil.

Envie dúvidas e sugestões para criancasnacozinha@gmail.com

Veja ainda:
Você sabe o que - e como - seu filho come na escola?

Pais devem prestar atenção nos aditivos presentes em alimentos industrializados


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.