iG Delas

Colunistas

enhanced by Google
 

Christian Ullmann

Sustentável é pensar no futuro

Christian Ullmann é designer de produtos especialista em design para sustentabilidade. Sócio diretor da iT Projetos, tem trabalhos premiados na Itália, Argentina e Brasil

O que fazer com o material reciclável

Pontos de coleta e cooperativas são os melhores destinos para as embalagens não utilizadas

15/03/2011 15:56

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-

Semana retrasada falamos a respeito da maneira correta de descartar materiais recicláveis, atitude que o Leandro Ocaña, assíduo leitor do portal, já segue em sua casa, conforme nos contou por e-mail. Bom ler comentários como os dele, pois para melhorar a qualidade de vida da sociedade necessitamos de muitos Leandros no Brasil.

Ele diz que antes de descartar embalagens plásticas e multilaminadas, costuma abri-las com uma tesoura e lavá-las. Mas como nunca visitou uma estação de reciclagem, não sabe se isso realmente ajuda.

No processo mecânico de reciclagem todos os materiais são lavados, porém não podemos esquecer que até chegar a este ponto várias pessoas foram envolvidas. Apesar de não ser estritamente necessário, eu concordo em lavar as embalagens em casa, pois com isto evitamos o desagradável odor de material orgânico em decomposição para garis, catadores e funcionários de usinas de triagem.

Foto: Divulgação

No processo mecânico de reciclagem todos os materiais são lavados, porém não podemos esquecer que até chegar a este ponto várias pessoas foram envolvidas


Mas, acima de tudo, o que todos temos de fazer é tratar o chamado lixo urbano - ou domiciliar - como o que é realmente: matéria-prima. Esta, quando reaproveitada corretamente e utilizada para fazer novos produtos, traz a diminuição da quantidade de material enviado para aterros sanitários, a redução da extração de recursos naturais, a melhoria da limpeza da cidade e o aumento da conscientização dos cidadãos a respeito do tratamento e destino do nosso “lixo”.

Para ajudar nesse processo, a primeira possibilidade é deixar a maior quantidade de embalagens recicláveis no próprio local de compra. Por exemplo: a caixinha de papelão da pasta de dentes é muito útil para proteger o produto no transporte e apresentá-lo na prateleira. Porém, uma vez escolhida, sua embalagem já não tem grande importância.

Ter uma pequena quantidade de material reciclado não é interessante para recicladores ou cooperativas de reciclagem, mas é um problema para nós. Para facilitar nosso dia a dia, já existem os pontos de entrega voluntária (PEVs) onde podemos deixar nossos materiais recicláveis. Para saber qual o mais próximo de sua casa, basta entrar no site do projeto Rota da Reciclagem, que indica os PEVs existentes em todo o território nacional por meio do Google Maps.

Dos pontos de coleta os materiais recicláveis são encaminhados para cooperativas de catadores e usinas de triagem, onde são separados entre os diversos tipos, colocados em fardos e enviados aos diversos recicladores.

Se seu bairro ou cidade não tem pontos de entrega voluntária, associação de catadores ou coleta seletiva, converse com o sacolão, o mercadinho ou o supermercado mais próximo para ver a possibilidade de implementação. Esta atitude beneficiará toda a sociedade.

Divulguem para vizinhos, amigos e familiares os pontos de entrega voluntária do seu bairro para aumentar o volume de material reciclado. Isso é fundamental para que esta atividade seja economicamente viável.

Sobre o articulista

Christian Ullmann - jbianchi@ig.com - Christian Ullmann é designer de produtos especialista em design para sustentabilidade. Sócio diretor da iT Projetos, tem trabalhos premiados na Itália, Argentina e Brasil

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo