N?o da para deixar os filhos eternamente debaixo das suas asas. Veja como encarar o desafio de deixa-lo sair de casa desacompanhado sem neuras

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237496375823&_c_=MiGComponente_C

Todo mundo ja ouviu aquela historia: Criamos os filhos para o mundo . E tambem se sabe que uma hora as criancas crescem e aquela vidinha de dependencia muda. A dificuldade e que, muitas vezes, isso acontece antes do que gostariamos.

Ai e que comecam os choques entre as criancas que eles ainda s?o, querendo ser os adultos que ainda n?o podem ser, e os pais que normalmente n?o enxergam a realidade ou a real idade de seus filhos , explica o pediatra e homeopata Moises Chencinski.

A hora certa

N?o existe um momento exato para que todas as m?es comecem a permitir que seus filhos saiam sozinhos. Cada caso precisa ser visto de forma especial e unica. De acordo com o Codigo Penal , so apos os 16 anos caem algumas obrigac?es dos pais sobre os menores e eles s?o considerados capazes, no aspecto civil.

Segundo estudos, so a partir dos 12 anos e que uma crianca esta apta a ficar em casa sozinha, de forma segura, podendo preparar lanches e telefonar para pedir ajuda , conta o especialista. Ate la, produtos de limpeza, tomadas e janelas, por exemplo, devem conter protec?o contra acidentes . Alem disso, os menores de 12 anos so podem viajar de onibus ou avi?o desacompanhados com a autorizac?o do juizado de menores.

Essas informac?es legais muitas vezes assustam, fazendo com que os pais se amparem nas leis e n?o percebam que ha tempos os filhos ja poderiam buscar um p?ozinho na padaria. A atitude mais importante e observar a evoluc?o dos seus filhos e criar condic?es para que ninguem sofra ou se preocupe com essa fase, explica Dr. Moises.

Pais e filhos independentes

Situac?es simples s?o capazes de ajudar as criancas a se sentirem mais independentes e habituar os pais com a ausencia temporaria dos filhos. Dormir na casa da vovo, passar o dia brincando na casa dos amiguinhos ou ficar sem os pais nas festinhas de aniversario (sob supervis?o de um adulto ou em um buffet infantil) s?o boas taticas para acostumar os dois lados.

E importante lembrar que e so por volta dos 3 ou 4 anos que a crianca se sente segura para dormir sem os pais na casa de parentes. Na casa de amiguinhos, e so apos os 5 anos que eles costumam n?o chorar e pedir, normalmente no meio da noite, aos prantos, para voltar para casa, avisa o pediatra.

As primeiras saidas

N?o precisa se descabelar com suas angustias, medos e preocupac?es. Logo nas primeiras saidas, oriente o seu filho a como agir caso algum estranho se aproxime. Muita neura? N?o, isso e fundamental, garante o medico.

Uma maneira agradavel de comecar esse processo e marcar um passeio com seu filho e deixar que ele comande a caminhada. Em um lugar conhecido, observe como e a sua noc?o de espaco, de localizac?o, de atenc?o. Oriente-o e corrija, explicando a raz?o de cada situac?o de risco , indica o especialista.

Durante o trajeto, mostre para ele lugares que possam servir de suporte em caso de necessidade (como uma forte chuva, por exemplo). Estabelecimentos comerciais conhecidos no trajeto cumprem bem esse papel: farmacia, padaria, a casa de algum parente ou amigo, sugere Moises.

Quando a confianca estiver estabelecida, os passeios podem se tornar maiores e sem supervis?o . Pedir para ele ir a banca comprar o jornal demonstra confianca nele, o que pode ser um fator aliado em outras ocasi?es.

O Dr. Moises Chencinski separou algumas dicas para voce passar por esse momento com mais tranquilidade:

- De ao seu filho liberdade , mas com responsabilidade;

- Os direitos devem vir acompanhados de deveres e obrigac?es ;

- N?o se preocupe em nenhum momento de cobrar e checar: para onde ele vai? Com quem vai? Quem vai estar la?

- Peca endereco e telefone do local onde ele estiver;

- N?o comece essa conversa quando ele estiver saindo ou na frente dos amigos (ou namorado/a);

- Telefonar quando chegar ao local ou se houver alguma mudanca de planos e um trato que pode e deve ser estabelecido entre pais e filhos;

- Lembre-se que algumas escorregadinhas s?o naturais e compreensivas (voce tambem ja se esqueceu de ligar ou perdeu o horario quando era crianca). Converse, explique e ouca o que ele tem a dizer. Essa troca de aprendizado e sempre muito importante para a relac?o entre pais e filhos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.