César Adames ensina a degustar e harmonizar vinhos fortificados com sobremesa

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508135314&_c_=MiGComponente_C


Acordo Ortográfico


Em uma aula gratuita para o número limitado de 12 participantes, os visitantes do Casa Boa Mesa puderam aprender mais sobre degustação e harmonização de vinhos fortificados com César Adames.

O consultor passou algumas lições básicas para identificar e servir as bebidas em degustações. O critério usado é o teor de álcool. Devem-se servir os menos alcoólicos primeiro, explicou.

A cada vinho apresentado ¿ Jerez, Madeira e Porto ¿ o consultor passava algumas informações sobre a procedência e das combinações ideais para servi-los. Mas essas lições foram passadas de forma leve pelo consultor, já que a idéia é fazer com que os alunos sintam prazer na degustação.

Divulgação


Não quis transformar em uma aula de enologia. O ideal é tirar a gravata do vinho, como eu costumo dizer, que é desmistificar e tornar o vinho uma coisa mais simples, falou o consultor.

Os chamados vinhos fortificados são servidos geralmente com sobremesa e, ao final da aula, foram servidos brownies para que os alunos apontassem com qual dos tipos o prato harmonizava melhor.

Existem três possibilidades: a bebida ganhar o sabor mais forte, o doce predominar ou os dois se completarem, que é o ideal, falou César Adames.

Baseados nessa premissa, os alunos deram suas sugestões e os três vinhos empataram. Para resolver a questão, entrou a palavra o consultor, que preferiu o Jerez para aquele tipo de sobremesa.


Leia mais sobre: Casa Boa Mesa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.