No Brasil, o mercado imobiliário tem crescido, gerando mais empregos e operações de crédito, além de dar atenção a duas novas tendências

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508107371&_c_=MiGComponente_C

Esse ano as apostas são nas construções inteligentes, que buscam a sustentabilidade e preservam o meio ambiente, e na arquitetura de segurança.

Esse boom imobiliário pode ser observado através do mercado de São Paulo, que vive o melhor momento dos últimos anos, seguido por Rio de Janeiro e Porto Alegre. A expansão do crédito, a queda dos juros e os prazos mais longos aqueceram as vendas, principalmente de imóveis novos, que estão mesmo cada vez menores. Só em janeiro de 2007, o número de construções residenciais, de acordo com as estatísticas, disparou e um novo edifício é lançado por dia. Por isso, as expectativas para 2008 são ótimas.

Em busca de novidades, as empresas do ramo apostam em quesitos como a preservação ambiental e a segurança como valor agregado a seus imóveis, o que aguça o interesse dos empresários do setor.

Meio ambiente
A tendência é ampliar o número de projetos que queiram ter a certificação ambiental dos empreendimentos, o Green Building, que consiste na redução dos impactos sócio-ambientais produzidos pela construção de edificações novas, ou já existentes.

Nesse sentido, passam a ser priorizados aspectos como a eficiência no uso da energia, o consumo de água potável e geração de esgoto, aplicação e utilização de materiais, aumento das áreas verdes, entre outras ações.

Construções com o selo Green Building são aprovadas pela ONG U.S Green Building Council, já presente no Brasil, e garantem 30% de economia de energia, 35% de redução das emissões de carbono,  5 a 30% de redução no consumo de água potável e 50 a 90% mais eficiência com relação ao descarte de resíduos.

De acordo com Marcos Ellert, gerente de marketing da OSRAM do Brasil - empresa especializada em iluminação -, a economia de energia é obtida com o uso de produtos que unem tecnologia, inovação e eficiência energética.

Aplicações com sistema DALI, que permitem a dimerização e a criação de cenários,  juntamente com a variedade de lâmpadas do tipo energy saving, que vão além das tradicionais fluorescentes tubulares e compactas e que economizam até 80% de energia, são o carro-chefe para uma iluminação de alta performance e garantia dessas tendências.

Segundo o especialista, essa nova forma de construir tem ganhado espaço no país. Até o momento já são certificados diversas construções que vão dos colégios, passando por laboratórios médicos até diversas construções empresariais. O próximo passo é fazer com que a certificação acelere rumo às construções residenciais.

Segurança na arquitetura e construção
Outro aspecto que ganha proporção no mercado imobiliário é a segurança. Esta nova tendência das construtoras está sendo aplicada como diferencial para garantir o interesse de famílias em busca de sossego e conforto.

Na opinião de David Fernandes, consultor e diretor da Previne Security - empresa especializada em segurança eletrônica -, o boom do setor imobiliário inaugura o trabalho conjunto entre o consultor de segurança e o arquiteto desde a fase do anti-projeto, ou seja, os primeiros desenhos feitos antes da aprovação da obra na prefeitura.

Segundo ele, para uma obra ser considerada segura, o importante não é a utilização dos equipamentos eletrônicos de última geração, que podem ser encontrados facilmente pelos consumidores, mas os procedimentos que garantem a sua melhor performance. As construtoras devem alinhar a segurança, inclusive com técnicas de prevenção de crimes no projeto arquitetônico e não se limitar aos aspectos da tecnologia, ou deixar que os equipamentos sejam comprados pelos moradores e utilizados sem um procedimento correto. Caso contrário, é mais fácil permitir que o morador seja rendido e entre com o inimigo para dentro de casa, aconselha.

Além disso, aspectos da arquitetura podem, ao mesmo tempo, colaborar com a beleza e dificultar a segurança. Por isso, Fernandes dá algumas dicas para não bobear na hora de escolher a arquitetura para o seu ambiente.

Alertas para a segurança
Paisagismo ¿ árvores muito altas, como coqueiros, dão beleza a um projeto, mas quando plantadas próximas a muros podem servir de escada.

Iluminação externa ¿ o jogo de luz e sombra, principalmente o que imita a luz prateada da lua têm a preferência dos especialistas em iluminação, mas quando excede na sombra pode facilitar uma invasão.

Dry Wall ¿ vedetes da arquitetura, o gesso apresenta-se como uma excelente solução na forma de paredes para separar os ambientes. Porém, quando mal localizados, podem ser facilmente rompidos e servir de passagem.

Futuro otimista
Com vistas para um cenário repleto de bons negócios neste ano, os principais bancos do país apostam que os financiamentos da casa própria virão de créditos e não da renda dos trabalhadores, já que, no passado, tudo dependia das ações do governo.

Hoje, a expansão é acelerada pelo setor privado, pois não é mais necessário esperar o brasileiro ganhar mais para que compre a casa própria. Basta a economia se manter estável para que mais pessoas possam fazer financiamentos a longo prazo. Tal fato estimula a movimentação das diversas áreas e pode levar a um extraordinário crescimento da economia do país como um todo, alavancada pelo setor imobiliário.


Leia mais sobre: construções inteligentes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.