Conheça técnicas que auxiliam na harmonização dos ambientes

O Vastu preserva a harmonia do ambiente sem precisar fazer grandes modificações na casa
Divulgação
O Vastu preserva a harmonia do ambiente sem precisar fazer grandes modificações na casa
Ter uma vida equilibrada está longe de ser apenas uma questão de dieta balanceada e exercícios físicos. Os ambientes pelos quais transitamos, sejam eles domésticos ou empresariais, podem influenciar em nossa saúde e bem estar.

Por isso, recorrer a terapias alternativas, como o feng shui, a geobiologia e a radiestesia , apresentadas anteriormente, pode ser um caminho para aumentar o rendimento no trabalho ou a qualidade do sono.

Conheça agora outras terapias possíveis para melhorar a energia da casa.


Vastu

Técnica milenar de origem indiana o Vastu é uma espécie de avô do Feng Shui, segundo Paulo Figueira, diretor geral e responsável técnico do escritório Figueira Consultores Holísticos Associados.

O Vastu funciona da seguinte maneira: as nove principais divindades hindus são colocadas em cantos diferentes da casa, seguindo o posicionamento de uma mandala com o desenho de um demônio hindu no centro. “Você aponta a cabeça do demônio para o norte e, assim, você o imobiliza e ele não age mais de maneira negativa no ambiente”, explica Figueira.

Para prezervar a harmonia, basta colocar um objeto referente às divindades em cada canto da casa. “Não precisa derrubar paredes, as modificações são mais discretas e menos radicais do que no Feng Shui”, completa o especialista. A técnica também faz uso da cartela de cores para melhor harmonizar o lar.

As cores nos ambientes

A influência das cores no humor de um ambiente é reconhecida há tempos, seja no Vastu, no Feng Shui ou na cromoterapia. “A gente está o tempo todo interagindo com frequências luminosas”, afirma Figueira. Seja na forma de luzes com cores diferenciadas ou paredes tingidas, as cores podem interferir no humor das pessoas para melhor ou pior.

Para exemplificar, o consultor Franco Guizette lembra o caso de um cliente que apresentava tendência à depressão e se senntiu ainda pior depois de pintar o apartamento de azul bebê. “Ao mesmo tempo que é tranquilizante, a cor é meio depressiva, meio down.”

Porém, não há cor proibida. “Há a cor certa para o ambiente certo”, garante Paulo Figueira. De acordo com ele, o uso de rosa e vermelho na cabeceira da cama de casal favorece o relacionamento, assim como o uso de lâmpadas amarelas ou laranjas em locais de estudo, pois favorecem a fixação da informação.

Guizette também explica que cores como preto, cinza, grafite e marrom devem ser usadas com cuidado, pois dão sensação de opressão e encolhimento. “Mas, em lugares com pé direito alto, o marrom pode dar sensação de aconchego, por exemplo.”


Acupuntura de solo

Uma terapia que pode ser aplicada tanto no corpo quanto na casa é a acunpuntura. “Nosso corpo tem corrente elétrica e quando tem algum problema, ela fica bloqueada. O mesmo acontece com a casa”, diz a terapeuta Silvana Berti.

A única diferença é que, no caso da acupuntura de solo, ao invés da agulha de metal, tradicional, é usada uma varinha de bambu de cerca de 50 cm. Elas são enterradas no solo da casa para modificar a maneira como a energia está chegando no local, devido a fatores como rios subterrâneos, tubulações de esgoto ou outras energias.

Mas Silvana Berti alerta: “o curso do rio ou a presença de magnetismos pode mudar, então a cada seis meses é preciso fazer uma nova verificação.”

Aromaterapia

Os aromas também podem contribuir para deixar os ambientes mais harmônicos. “A aromaterapia é uma técnica que utiliza óleos essenciais, cujos princípios ativos atuam tanto no emocional, quanto no físico”, afirma a aromaterapeuta Ana Adê.

A aromaterapia auxilia na redução do stress e da ansiedade, alinha os chackras e pode dar mais energia aos moradores, entre outros benefícios. “Ela trabalha principalmente nas glaândulas pineal e pituitária, para que a pessoa tenha vontade de ficar no ambiente”, explica Figueira. Depois de criar o desejo é que os óleos irão atuar diretamente no aspecto orgânico.

“A aromaterapia é um complemento das outras terapias e ajuda a potencializar o processo de harmonização”, afirma Ana Adê. Apesar dos óleos serem extraídos de plantas, alguns aromas têm contra-indicações. Segundo Paulo Figueira, o caso do óleo de alecrim, por exemplo, não é indicado para quem tem hipertensão, assim como o óleo de cânfora para quem faz tratamento homeopático.



    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.