As luzes têm um papel fundamental em construções ou estabelecimentos, seja para dar um clima diferente ao ambiente ou apenas para clarear

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508108983&_c_=MiGComponente_C

Mas, acima de tudo, é importante ter atenção com a escolha do tipo de iluminação para que ela não atrapalhe sua segurança.

A iluminação externa é a mais importante, seja da rua (pública) ou do perímetro da casa ou empresa, pois reduz possíveis crimes e até acidentes. "É imprescindível nos empreendimentos iluminar áreas externas, árvores, entradas, acessos, estacionamentos e calçadas", ressalta David Fernandes, diretor da Previne Security, empresa do ramo de segurança eletrônica e consultoria.

Com essas áreas iluminadas você ainda pode colaborar para segurança e observação de viaturas policiais, vizinhos ou até de quem passa pela rua, além de facilitar o trabalho de postos de vigilância, portarias e condomínios.

Para parte interna de residências e lugares empresariais uma opção é instalar luzes com timer que criam a ilusão de que há alguém no local. Porém, nos principais acessos elas devem ficar acesas à noite ou usar holofotes com sensores de presença, que ajudam a economizar energia.

Quando o foco é segurança o ideal é utilizar as lâmpadas alógenas brancas, que são mais brilhantes, ideais para locais externos e também para iluminar ambientes que são monitorados por circuito fechado de TV (CFTV).

Existem outros tipos de lâmpadas que podem ser utilizadas para garantir a iluminação, e a escolha dependerá da elaboração do projeto para que possam apresentar os melhores desempenhos:

Incandescente: acende imediatamente e é mais barata, porém consome mais energia e é menos eficiente;

Vapor de sódio: tem baixo custo para manutenção, porém pode distorcer a imagem de câmeras de CFTV por causa do seu efeito "amarelado";

Vapor de mercúrio: causa um efeito em tom azulado suave, porém, assim como a de vapor de sódio, demora para acender e mais ainda para reacender.

Dentre todos esses aspectos, há outro detalhe: toda iluminação deve ser ligada a um gerador e luzes de emergência devem ser instaladas em áreas críticas para não haver problemas em casos de acidentes ou falta de energia.

Segundo Fernandes, além da iluminação é importante analisar outros quesitos que colaboram com a segurança, como a vizinhança, muros, paredes, portas, janelas, vidros, blindagem, acessos de pedestres e de veículos, visibilidade, guaritas, posicionamento de vigilantes ou porteiros, além dos sistemas de alarmes e câmeras.

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.