Saiba o que fazer quando vazamentos em apartamentos vizinhos começam a atrapalhar sua rotina

Getty Images
Infiltração, torneira
Pinga-pinga bem no meio da sala, forro de gesso com diversas bolhas e algumas poças d’água na cozinha . Tudo isso pode representar um problemão daqueles. Eis que você começa a investigar e descobre que a causa dessas dores de cabeça mora ao lado. Conclusão: as instalações hidráulicas do apartamento vizinho estão velhas demais ou foram danificadas depois de uma reforma . E o pior de tudo – esses defeitos refletem em alguns ambientes do seu lar .

Quem mora em condomínio certamente já ouviu alguém reclamar – ou teve algum problema – de vazamento no apartamento do vizinho que se refletiu em paredes mofadas , forros gotejantes ou armários estragados em sua casa. De acordo com Carlos Borges, vice-presidente de tecnologia e qualidade do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP), as infiltrações aparecem por diferentes motivos. “Elas são provenientes de reformas mal feitas, instalações hidráulicas antigas ou de problemas que já vêm da própria construtora.”

Mesmo se o prédio for novo, esses problemas podem aparecer. “Impermeabilizações que não foram realizadas corretamente também podem gerar danos”, diz Vânia Dal Maso, gerente geral de condomínios do Grupo Itambé. Colunas que não foram planejadas da maneira certa, ramais mal instalados, deficiência nos rejuntes dos pisos e piscinas nas coberturas construídas sem o devido cuidado também podem resultar em dores de cabeça.

Nessas horas, a primeira atitude é solicitar a ajuda de um especialista para comprovar de onde vem o problema. Em seguida, faça uma carta comunicando o condomínio da situação, incluindo, se possível laudos técnicos.

Segundo Vânia, depois de receber o documento, o síndico deverá averiguar as causas, detectar de quem é o problema e encaminhar uma carta às pessoas envolvidas. “Se for do vizinho, não tem jeito. Ele deve se responsabilizar e arcar com as despesas do conserto. Mas se a infiltração for decorrente de alguma modificação feitas nas áreas comuns do prédio, quem deverá pagar a conta é o próprio condomínio”, esclarece Vânia. Isso inclui a necessidade de uma pequena reforma, caso os revestimentos tenham sido danificados pelo contato com a água.

Bom senso e calma para chegar a um acordo

Uma boa conversa é sempre o melhor caminho para resolver o problema, mas caso uma das partes se negue a colaborar com os procedimentos corretos é importante ter bom senso. “Com paciência, tudo será resolvido rapidamente”, diz Borges. Nesse momento, deixe o estresse de lado e exponha a situação com calma.

Se as reuniões não forem suficientes e o problema persistir, é possível tomar uma atitude mais rígida. “Nesse caso, vale entrar com uma ação no Tribunal de Pequenas Causas de sua cidade para que tudo seja resolvido rapidamente”, sugere Vânia.

Para que a situação não chegue a este ponto, a dica é deixar o sistema sempre em ordem e realizar manutenção periódica. Até porque, caso haja um vazamento muito grande, a quantidade de água desperdiçada afetará o valor da conta mensal do condomínio e o morador poderá ser responsabilizado e obrigado a arcar com essa despesa.


Serviço:
Grupo Itambé
Matriz – São Paulo (SP)
Tel: (11) 5080-000

Secovi-SP
Rua Doutor Bacelar, 1042 – São Paulo (SP)
Tel: (11) 5591-1300


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.