Saiba como funciona esse negócio e como se dar bem

A dica para não levar gato por lebre é ter muita paciência na hora de comprar
Divulgação
A dica para não levar gato por lebre é ter muita paciência na hora de comprar
Quem já entrou em um “Família Vende Tudo” sabe que, ali, o lema é “garimpe à vontade”. De roupas a móveis, louças, quadros, plantas e eletrodomésticos. “O grande atrativo são os preços até 70% abaixo do valor de mercado”, afirma Regina Pall, da empresa Família Muda e Vende Tudo, especializada em organizar esse tipo de evento.

Antes de colocar os produtos à venda, os especialistas visitam as casas para verificar a qualidade das peças e a possibilidade do imóvel hospedar o evento. “Fecho negócio apenas se houver itens que valham a pena”, garante Regina.

Não há uma quantidade mínima de objetos a serem negociados a cada evento. Porém, na maioria dos casos, as famílias costumam colocar tudo que está na casa à venda. Isso acontece, na maioria das vezes, por motivo de mudança para outro país ou para um imóvel menor, onde não cabem todos os bens.
Mas no caso da quantidade de móveis ou objetos ser muito pequena, o mais indicado é tentar vender as peças em antiquários ou lojas especializadas em móveis de segunda mão. Segundo os especialistas, casas que ficam muito tempo em exposição ou galpões que servem de entreposto para esse tipo de serviço acabam misturando produtos de baixa qualidade a objetos de valor.

Avaliados, os itens são relacionados e precificados de acordo com seu estado de conservação e idade. “Há pessoas que colocam preços abusivos ou que misturam itens próprios com os da família. Por isso, é essencial encontrar profissionais de confiança”, diz a vendedora Patrícia Nora.

As sócias Herminia Mohyla e Manucia Viana trabalham há 30 anos na área e lembram o item mais caro que já comercializaram: um quadro de Di Cavalcanti. “Ele foi avaliado e arrematado por U$ 200 mil”, dizem. Elas ficaram com 20% do valor, assim como acontece com todas as peças vendidas. “É um negócio rentável, porém trabalhoso e de muita responsabilidade”, ressalta.

Como se dar bem

Divulgados, geralmente, pela internet, por mala-direta ou, em alguns casos, por anúncios em jornais, os eventos de Família Vende Tudo são marcados pela diversidade de público, atraindo desde consumidores comuns a donos de antiquários. “Mas, para garantir a segurança, só entram aqueles que fizeram cadastro no site”, afirma Regina, que chega a receber 500 pessoas por dia.

Determinados a comprar as melhores peças pelo menor preço, os visitantes costumam esvaziar as casas em questão de minutos. “Nesse momento, vale deixar a indecisão de lado, pois as pessoas levam tudo muito rápido. Às vezes, acontecem até pequenas discussões por alguns itens”, conta.

A dica para não levar gato por lebre é prestar muita atenção aos detalhes. “No caso de eletrônicos é fundamental fazer um teste na hora. Mas se você optar por cristais ou porcelanas, verifique se não há lascas. ”, alerta Regina, lembrando que, neste modelo de negócio, não há trocas.

Serviço:

Herminia Mohyla e Manucia Viana
Rua Severo Dumont, 155 – São Paulo (SP)
Tel.: (11) 3021-2325

Patrícia Nora
Rua Professor Benedito Montenegro, 576 – São Paulo (SP)
Tel.: (11) 3021-2325

Regina Pall – Família Vende Tudo
Tel.: (11) 4141-3068/9104-2963



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.