Especialistas dão dicas para se dar bem em "famílias vende tudo" e leilões de antiguidades

Antes de comprar, reserve tempo para observar com calma todos os detalhes
Getty Images
Antes de comprar, reserve tempo para observar com calma todos os detalhes
Valer-se de peças antigas para mobiliar a casa pode ser uma boa maneira de trazer mais aconchego e charme à decoração. Um dos caminhos mais simples é recorrer à antiquários especializados, onde a garantia de adquirir peças originais e em bom estado de conservação é maior. Entretanto, o preço pede assustar os marinheiros de primeira viagem ou quem não está disposto a pagar até R$ 200 mil por uma estante de jacarandá do século XVII.

Uma boa alternativa para driblar o alto custo sem desistir da idéia original é recorrer a leilões de antiguidades ou bazares do tipo “Família Vende Tudo”. Mas em ambos os casos, a escolha das peças deve ser feita com atenção redobrada.

Uma das principais dicas dos especialistas para não comprar gato por lebre é analisar os móveis com calma antes de assinar o cheque. “Quem nunca comprou em leilão deve começar por peças decorativas e de menor valor”, afirma o galerista Emílio Basile Neto.

Apesar dos riscos, o leiloeiro Roberto de Magalhães Gouvêa, garante que o esforço vale a pena. “Quando os investimentos no banco vão mal, as pessoas compram móveis ou arte por que é um porto-seguro, que ainda dá prazer com sua beleza.”

Confira outras dicas para se dar bem nessas ocasiões

- Visite outros leilões, bazares e feiras de antiguidades para conhecer um pouco melhor o mercado de móveis antigos antes de se decidir.

- Procure a ajuda ou a consultoria de alguém especializado em móveis antigos.

- Tenha em mente o que você procura. Se a intenção é começar uma coleção com artigos legítimos, dê preferência aos leilões.

- Quando se encantar por uma peça, lembre-se de pensar em sua funcionalidade dentro de casa. Não adianta comprar um belo móvel, se ele atrapalha a passagem em um corredor, por exemplo.

- Antes de comprar, reserve tempo para observar com calma e atenção todos os detalhes das peças que lhe interessam. No caso dos leilões, elas são expostas com alguns dias de antecedência.

- Fique atento às cópias, principalmente em móveis datados dos séculos XVIII e XIX, que tendem a ser mais raros. Por mais bem cuidado que o móvel esteja, algum vestígio do tempo e de uso sempre fica na peça. Observe se há partes desgastadas, como os locais onde as gavetas se encaixam, ou pregos que no século XVIII eram feitos apenas com cravos de madeira.

- Móveis expostos em vendas familiares ou oferecidos em leilões, normalmente, estão em seu estado normal, ou seja, com pequenos defeitos, como arranhões e batidas. Isso pode tanto agregar valor, como comprometer a peça.

- Se a peça tiver pequenas avarias, verifique com cuidado se vale mesmo a pena arrumar. Isso pode influenciar no preço ou lance que você dará.

- Compare preços e tenha bom senso na hora de pagar. Móveis de bazares costumam sair mais em conta do que os de leilões que, por sua vez, são mais baratos do que os de antiquários. Na dúvida, faça um tour antes de bater o martelo.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.