Como renovar o piso

Conheça técnicas para revitalizar tacos, assoalhos e pisos de pedra antigos

Juliana Guimarães, especial para o iG

Basta entrar em um apartamento da década de 1950 e lá estão eles: os tacos de madeira . O acabamento era febre da época e atravessou gerações. Anos depois, entram em cena pisos e paredes revestidos com azulejos coloridos ou motivos florais. Mas já foi a vez do mármore, do granito , cimento queimado .

Atualmente, vale tudo e todos os materiais têm o seu espaço. Por isso, antes de trocar aquele revestimento que você acha que está ultrapassado ou muito desgastado saiba que é possível revitalizá-lo. “É importante conservar a história, mas, ao mesmo tempo, dar vida a ela. Geralmente, esses produtos apresentam qualidade superior”, conta a arquiteta Renée Sbrana.

Getty Images
Dar uma nova cara ao piso da casa é uma boa alternativa para economizar e evitar quebra-quebra
Além disso, dar novos ares ao que já existe é boa alternativa para economizar e evitar quebra-quebra e as temidas dores de cabeça. Sem falar que a medida é muito mais ecológica. “O conceito de reciclagem ajuda a preservar a natureza, pois não será preciso retirar mais matéria-prima do meio-ambiente”, afirma o arquiteto Ulisses Morato.

Outro benefício é a conservação da história da casa. “Há muitos tipos de pedras e madeiras que já não existem mais e ganharam status de raridade, o que pode valorizar o imóvel”, completa Morato.

De cara nova

Com o passar do tempo, é comum os pisos apresentarem problemas. “A superfície sofre com os esforços de uso e passa a ter imperfeições. As mais comuns são perda do brilho, arranhões, trincas ou descolamento de rejunte ”, diz o arquiteto.

Para revitalizar os materiais que estão nesse estado é importante substituir as peças sem condição de uso, eliminar a superfície danificada por abrasão, retirar e reaplicar as massas que preenchem as frestas e, finalmente, aplicar resina para dar acabamento e garantir a proteção.

Esse procedimento pode ser adotado para todos os materiais, mas os produtos utilizados durante o processo são diferentes. “Os equipamentos de raspagem, o rejunte e a resina são específicos para cada um. É fundamental optar pelos corretos para garantir um bom resultado”, alerta Morato.

Madeira

Antes de começar o trabalho, muita atenção. “O ideal é analisar as condições da superfície para escolher a técnica que mais se adapta”, diz Dimas Gonçalves, diretor executivo da Indusparquet. Quando o piso está riscado, o indicado é lixá-lo e, em seguida, aplicar um verniz, que pode ser fosco, semi-fosco ou brilhante. O mesmo procedimento deve ser realizado se a madeira estiver lascada.

Para ter a certeza de que o trabalho será bem feito é importante tomar alguns cuidados básicos. “Retire todos os móveis do ambiente e proteja as paredes para não sujá-las. Depois de lixar, é preciso varrer, passar aspirador de pó, a seladora e, por último, o verniz. Entre no local apenas 48 horas depois da aplicação”, orienta o fabricante de pisos de taco.

Os pisos de madeira maciça possuem, em média, 2 cm de espessura e podem ser revitalizados até três vezes. No entanto, depois de dar novos ares ao material o trabalho ainda não acabou. “É importante realizar manutenção frequente com vassoura de pelo e pano macio levemente umedecido. Não use solventes orgânicos ou produtos que não são compatíveis com o acabamento”, completa Gonçalves.

O contato com a água deve ser evitado e pode danificar a superfície. Em dias de chuva, o cuidado deve ser redobrado. Vede bem porta e janelas. Outra dica importante é colocar feltro nos pés dos móveis para evitar riscos. O processo e os cuidados são os mesmos para assoalhos, tacos e parquetes.

Divulgação
A resina epóxi é indicada para proteger e impermeabilizar pisos de pedra, como o mármore
Pedras

Máquinas de polimento entram em cena para lixar a superfície. “Esse procedimento acontece em várias etapas. No começo, o equipamento é o responsável por eliminar as imperfeições. Quando elas estiverem regulares, a ferramenta devolve o brilho ao material”, afirma Ulisses Morato.

Na maioria das vezes, o rejunte antigo também deve ser substituído. O mais indicado, segundo ele, é o de resina epóxi, por ser totalmente impermeável e resistente a manchas e ataques químicos.

O toque final fica por conta da resina, que deve ser aplicada para proteger e impermeabilizar o local. “O produto é bastante recomendado para os mármores, que são mais porosos que o granito e ficam imunes ao aparecimento de manchas”, diz arquiteto.

No dia a dia limpe as superfícies com pano úmido e produtos neutros.

Serviço:

Indusparquet
Tel: (15) 3285-5000

Renée Sbrana
Rua Iguatemi, 284 – São Paulo (SP)
Tel.: (11) 3071-3252

Ulisses Morato
Rua Dona Salvadora, nº 26/205 – Belo Horizonte (MG)
Tel: (31) 3491-8141

    Leia tudo sobre: pisomármoremadeiratacopiso de pedrarevitalização

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG