Validade, altura e tipos de material. Saiba como escolher o travesseiro ideal

Getty Images
O Travesseiro permite que uma pessoa se levante disposta e sem dores no corpo
Além do colchão, outro elemento que proporciona uma boa noite de sono é o travesseiro. Composto basicamente por uma estrutura interna e capa, ele permite que uma pessoa se levante disposta e sem dores no corpo no dia seguinte.

“O uso correto do travesseiro alinha a coluna cervical com o tronco, relaxa os músculos, melhora a circulação sanguínea e facilita os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos demais órgãos”, afirma Miguel Akkari, ortopedista e traumatologista do hospital Santa Casa, em São Paulo (SP).

Mas, para isso é necessário atenção na hora de escolher um travesseiro. Segundo Renata Federighi, gerente de marketing da Duoflex, é preciso verificar, em primeiro lugar, o prazo de validade.

“Em média, a vida útil de um travesseiro é de cinco anos de uso, mas recomenda-se a troca a cada dois anos, pois quanto mais ele é utilizado, maior se torna a fonte de contaminação por microorganismos”, afirma.

O travesseiro é um dos esconderijos prediletos de ácaros, fungos e bactérias, uma vez que eles se alimentam das secreções que eliminamos durante o sono pela pele, boca, ouvido, olhos, nariz e cabelos, além das secreções artificiais como perfumes, tinturas, cosméticos e maquiagem.

“Portanto, o travesseiro está repleto de impurezas, sendo uma provável fonte de alergias, conjuntivites, eczemas, sensações de peito fechado, espirros, coceiras nas mãos ou face e até mesmo asma”, explica Akkari . Verifique se os travesseiros possuem proteção antiácaros, fungos e bactérias.

Altura ideal
A altura do travesseiro é outro importante ponto a ser observado. De acordo com o doutor Fabio Ravaglia, médico ortopedista e presidente do Instituto Ortopedia e Saúde (IOS), o travesseiro não deve ser nem tão baixo, nem tão alto. “A altura ideal é aquela que favoreça a anatomia fisiológica da coluna, deixando-a reta, durante a posição de descanso”, explica Ravaglia.

Para cada posição, recomenda-se uma altura de travesseiro:


De lado: Os que dormem de lado devem usar um travesseiro para apoio da cabeça, em uma altura média que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando assim, um ângulo de 90 graus no pescoço. Nesta posição os joelhos deverão estar preferencialmente semiflexionados, com um travesseiro entre eles.

De barriga pra cima : nesse caso, é preciso utilizar um travesseiro baixo ou médio para apoio da cabeça, que deve preencher o espaço entre a cervical e a nuca, para evitar a hiper-flexão do pescoço, e outro travesseiro ou um rolinho embaixo dos joelhos, de forma que fiquem semiflexionados, e assim, descansarem.

Tipos de travesseiro
Assim como os colchões, a diversidade de materiais para travesseiros também é grande. Confira abaixo os principais encontrados no mercado e escolha o seu preferido.

Espuma compacta ou poliuretano: não cede facilmente ao peso da cabeça, o que não varia a altura do travesseiro durante a noite, porém é pouco macio.

Espuma viscoelástica: automoldável e termossensível, esse material se adapta ao contorno e à temperatura da cabeça, exercendo uma menor pressão nas áreas mais quentes ou salientes e facilitando a circulação sanguínea. Conhecidos também como travesseiros de espuma NASA oferecem ainda maior capacidade de absorção do peso e distribuição equilibrada da pressão sobre a cabeça ou corpo, agindo como um verdadeiro amortecedor.

Os travesseiros de látex são bastante confortáveis e possuem toque aveludado
Divulgação
Os travesseiros de látex são bastante confortáveis e possuem toque aveludado
Látex: são travesseiros extremamente confortáveis. Possuem toque aveludado, fornecendo o apoio ideal em todas as posições de sono. Sua estrutura celular permite retornar à sua forma original mesmo depois de consecutivas deformações. São moldados com milhares de furos que formam canais internos de circulação de ar e sua estrutura é composta por milhões de células totalmente abertas, facilitando a respiração e fazendo com que o travesseiro fique todo o tempo numa temperatura inferior à do corpo. Permite evaporação rápida de umidade e transpiração, prevenindo odores e contaminações. São também esterilizados 1 a 1 na produção, garantindo total higienização.

Fresh: espuma especial de poliuretano expandido, produzida com células abertas para proporcionar frescor, ventilação, toque e maciez superiores às espumas comuns, usadas nos colchões, que são duras e ásperas, com pouca aeração.

Molas: o sistema de molas consiste numa colméia de espuma macia, onde se alojam as molas, totalmente separadas e independentes. Os inúmeros casulos permitem alta ventilação, frescor e higiene. As molas podem sofrer flexão lateral dentro de seus casulos, permitindo que os travesseiros sejam dobrados até 90 graus, sem qualquer deformação. O usuário não escuta e nem percebe as molas, já que são levíssimas e seu conjunto proporciona a total sustentação da cabeça.

Plumas e penas de ganso: estes são os modelos mais macios, moldáveis e leves. Eles se ajustam facilmente ao formato da cabeça. Porém, são os que mais acumulam fungos, ácaros e bactérias, além de não serem estruturados o suficiente para alinhar a cervical com o tronco. Troque-o com muita freqüência.

Altura regulável: desenvolvidos para que o usuário possa regular e acertar a altura e maciez do travesseiro exatamente ao seu gosto, eles possuem três camadas internas removíveis. O usuário pode a qualquer tempo escolher entre quatro alturas.

Serviço:

Duoflex




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.