Vai mudar a decoração e não sabe o que fazer com os móveis antigos? Descubra soluções simples, práticas e rentáveis

A cadeira Bolacha, da artista plástica Vera Souto, é uma releitura do passado
Divulgação
A cadeira Bolacha, da artista plástica Vera Souto, é uma releitura do passado
Antes de dar adeus ao sofá da vovó ou àquela estante que não combina mais com a decoração, pense que eles ainda podem ser úteis. Atualmente há diversas opções de destino para as peças que seriam descartadas.

Na lista de possibilidades existem sugestões para quem deseja arrecadar um dinheirinho a mais, ajudar o próximo e até mesmo economizar na compra de móveis novos. “Com bom gosto e paciência, tudo por ser renovado, ficar ainda mais prático e receber diferentes funções”, afirma Elaine Cristina Oliveira, do antiquário Esquina do Tempo.

Além disso, reaproveitar itens usados é uma boa maneira para poupar matérias-primas que seriam empregadas na fabricação de modelos novos. “É uma agradável alternativa para preservar árvores e evitar que peças antigas virem lixo”, completa.

Portanto, se você decidiu trocar uma mesinha aqui e uma poltrona acolá – ou até mesmo reformular a casa inteira -, mergulhe no charmoso mundo dos móveis de segunda mão e descubra os benefícios que eles trazem para o seu bolso.

Hora de negociar

Se a ideia é renovar totalmente a decoração da casa, a dica da empresária Regina Pall, que trabalha com negociações de peças antigas há 11 anos, é vender os móveis usados.

“Dependendo da qualidade dos itens, é possível arrecadar uma boa quantia”, diz. Afinal, foi-se o tempo em que móveis de segunda mão apresentavam preços mais acessíveis. Atualmente, a qualidade das peças antigas, comparadas às atuais, determina o valor a ser pago. “As usadas possuem durabilidade garantida e já atravessaram gerações. O trabalho é único e melhor elaborado”, diz Miriam Guzzuni, do antiquário Anjo Barroco.

Para quem optou por essa alternativa, o primeiro passo é procurar antiquários ou lojas especializadas. “Há diversas opções no Brasil, porém é preciso pesquisar a idoneidade do local para garantir uma boa venda”, afirma Elaine. Cada estabelecimento deve contar com um profissional capacitado para avaliar as peças.

No entanto, antes de vender, o dono das antiguidades também tem um papel fundamental: verificar o estado do móvel. “Será difícil fechar negócio se a peça estiver com problemas na estrutura ou infectada por cupins.” Se o item for de metal, analise se não há ferrugem excessiva ou rachaduras antes de levá-lo à loja.

Fazer uma visitinha a esse locais, também pode ser estimulante na hora de olhar para o seu móvel antigo e imaginá-lo com milhares de novas utilidades.

Tudo se transforma

Vera Souto desenvolve estampas exclusivas e as aplica com um método de colagem
Divulgação
Vera Souto desenvolve estampas exclusivas e as aplica com um método de colagem
Aquele sofá velhinho pode voltar a brilhar. Basta colocar a criatividade em cena para dar vida a móveis usados, ainda mais se eles forem de época. “Antigamente os móveis eram verdadeiras obras de arte, feitos sob encomenda e trabalhados à mão”, conta a antiquaria Miriam.

Para trazê-los ao contexto atual é possível apostar em novas cores e adornos. “Qualquer peça pode receber uma roupagem que o destaque ainda mais e o insira em um novo tempo”, afirma a artista plástica Vera Souto, que desenvolve estampas exclusivas e as aplica com um método de colagem.
No caso de sofás, cadeiras e poltronas, vale apostar em tecidos diferentes. “Dessa forma, uma peça clássica pode se adaptar perfeitamente a um ambiente contemporâneo” diz.

Mas se a ideia é reformar ou restaurar mesas de madeira, o trabalho deve ser realizado com cuidado e atenção. “É preciso ficar atento para não danificar a peça, ainda mais se ela for original. Lixamos e, em alguns casos, aplicamos verniz para garantir durabilidade”, conta Miriam.

Para levar cor aos espaços da casa, vale apostar em diferentes tonalidades e usar tintas específicas para cada material. “Basta dar asas à imaginação e ter móveis novinhos em casa gastando pouco”, afirma Elaine. Porém, especialistas alertam que só vale a pena reformar se a peça estiver em bom estado. “É preciso verificar a estrutura, pois se ela estiver danificada, seu trabalho pode ser em vão.”

Ajude o próximo

Se aquele móvel antigo não serve mais para você, acredite, ele pode fazer a alegria de outra pessoa. Há diversas instituições que recebem e vão até a porta da sua casa para retirar os donativos, basta uma ligação.


Serviço:
Regina Pall – Família Vende Tudo
Tel: (11) 4141-3068/9104-2963

Vera Souto
Tel: (11) 4594-1771


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.