Piso de madeira: trocar ou restaurar?

Por Bruna Bessi , iG São Paulo

compartilhe

Tamanho do texto

Antes de decidir, analise aspectos como qualidade, espessura e estado do revestimento

Quem escolhe usar madeira nos pisos da casa logo se inquieta com o surgimento de manchas, trincas e riscos. O problema se torna mais crítico com o passar do tempo, e a dúvida sobre trocar ou restaurar se concretiza. Responder esta questão depende principalmente de aspectos como qualidade, espessura e estado da madeira. “Vale a pena investir em uma raspagem quando o material for de boa qualidade, já que madeiras de lei possuem estética e valores diferenciados”, diz Wladimir Franco, diretor comercial da Vitrine by Casa Fortaleza.

Leia também: Acerte na escolha do rodapé

Divulgação
O processo de raspagem renova o visual do piso, mas exige espessura mínima de dois centímetros

O método da raspagem exige que o revestimento tenha, no mínimo, dois centímetros de espessura. Tamanha restrição se deve porque, durante o tratamento, o piso será raspado por igual e, se estiver muito desgastado, a possibilidade do contrapiso aparecer aumenta. Desse modo, caso a madeira maciça tenha sofrido três restaurações, o processo ficará inviável. O cuidado deve ser ainda maior em pisos de menor resistência, já que aguentam somente duas manutenções.

A raspagem desaparece com os riscos e, a aplicação de novas camadas de verniz renova o visual. Revestimentos em madeira costumam durar, em ambientes de circulação média de pessoas, cerca de 10 anos. Após o tratamento com verniz, seu tempo de vida é reestabelecido. Outra vantagem do processo é a conservação da história da casa, uma vez que madeiras de boa qualidade ganham status de raras e valorizam o imóvel.

Fazer uma análise do custo x benefício antes de optar pela restauração do material também é importante. O preço da instalação dos pisos de madeira varia conforme o modelo (taco, taco palito e assoalho) e a qualidade. O metro quadrado das madeiras mais resistentes (como ipê, jatobá e cumaru) custa, em média, R$ 300; já o das intermediárias (peroba e tauari) tem custo de R$ 260, e o das macias (amêndula, eucalipto e teca) gira em torno de R$ 220.

Divulgação
O piso de madeira em peroba tem resistência intermediária e suporta o processo de raspagem

É também nesse momento que a raspagem se torna vantajosa, além do aspecto de preservação de árvores, pois seu valor médio é de R$ 50 (por metro quadrado). Um dos inconvenientes do tratamento é a necessidade de aguardar até 30 dias para ficar pronto. Alguns pisos com estética de madeira (estruturados e laminados), no entanto, não suportam raspagens e, quando gastos, devem ser substituídos.

Os estruturados possuem somente uma camada de quatro milímetros de madeira nobre, sendo o restante material reflorestado, e custam R$ 180 (o m²). Os laminados são ainda mais baratos e seu metro quadrado chega a R$ 60. Uma saída intermediária para quem deseja apostar no visual de madeira, sem gastar muito com manutenção, é investir em pisos de linha pronta. A vantagem desta opção – vendida por R$ 290 (o m²) - é substituir somente as peças danificadas, uma vez que o verniz já vem aplicado. “O aspecto negativo é que, muitas vezes, a nova peça acaba apresentando coloração diferente da do conjunto”, afirma Dimas Donizete, presidente da IndusParquet.
 

Veja ainda como preservar a beleza dos pisos de madeira por mais tempo:

- Evite usar saltos finos em locais com madeira macia, pois acabam deixando marcas irreversíveis;
- Envolva os pés de móveis e rodízios de cadeiras com capas de gel para não riscarem o piso;
- Faça uma aplicação de verniz a cada 15 dias, garantindo melhor acabamento estético;
- Limpe o revestimento com uma vassoura de cerdas macias e um pano úmido bem torcido;
- Deixe um capacho na entrada da porta para reter grãos de areia vindos da rua;
- Não arraste os móveis pela casa;
- Tenha cuidado com líquidos derramados sobre o piso. Seque rapidamente;
- Evite usar produtos químicos como alvejantes e detergentes, porque desgastam o verniz do material;
- Se possível, modere a intensidade dos raios solares sobre o piso, evitando deformações físicas na madeira e alterações de cor.

(*) Preços apurados em janeiro de 2013

 

Saiba mais:

A praticidade dos pisos frios

Quando o porcelanato é a escolha certa?

Pisos diferentes em harmonia
 
 

Serviço:

Vitrine by Casa Fortaleza
Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 1.366 - Jardim Paulistano, São Paulo
Tel.: (11) 3081-5744

IndusParquet
Av. das Nações Unidas, 12551 - Itaim Bibi,  São Paulo (Shopping D&D - loja 242 - piso térreo)
Tel. (11) 3043 9238


Siga o iG Delas pelo Twitter e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades.


Leia tudo sobre: pisosmadeirarevestimentotacopiso de madeira

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas