Fique atento às contas na hora de investir em um empreendimento com inúmeras opções de lazer

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508194436&_c_=MiGComponente_C

Viver em um condomínio-clube, com piscina, cozinha gourmet, redário, espaço para massagens, salão de beleza, discoteca, sala de jogos, quadras e churrasqueira, pode custar até 15% mais caro do que em um condomínio tradicional, segundo Robson Toneto, diretor de vendas da construtora MBigucci .

Entretanto, morar em um ambiente que une segurança e inúmeras opções de lazer para crianças e adultos não precisa ser uma realidade acessível apenas aos mais abastados. Dentro desse perfil é possível encontrar desde grandes empreendimentos de luxo até condomínios com apartamentos de 50 m², que custam a partir de R$ 130 mil, valor que possibilita a entrada até mesmo no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, da Caixa Econômica Federal.


Lembre-se das despesas mensais

Mais importante do que o valor inicial, é preciso estar atento à taxa condominial que será paga mensalmente. A manutenção desse tipo de edifício requer mais cuidados devido a quantidade e diversidade dos itens de lazer. Precisa-se de uma administração especializada, de pessoal qualificado para a conservação, de materiais de limpeza específicos, de mais energia e água, afirma Caroline Teixeira, diretora da construtora Norcon .

Para ajudar na economia do cliente à longo prazo, a construtora tem incluído em seus empreendimentos sensores de presença em áreas comuns, controladores de vazão nas torneiras, descargas seletivas e aquecedores de água à gás. Medidas simples que costumam reduzir os gastos fixos do condomínio.


Custos divididos

Para abrigar tanta infraestrutura de lazer é necessário que sejam erguidas mais de uma torre residencial no condomínio, o que ajuda a suavizar os custos de manutenção.

Geralmente, os condomínios clube têm duas torres ou mais. E quanto mais unidades, menor será a taxa condominal por unidade. O maior custo (cerca de 50%) é encargo com funcionários. As áreas de lazer não tem um peso tão significativo no condomínio, acrescenta Toneto.

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.