Chef esbanja simpatia e descontrac?o no preparo do prato que leva seu nome e faz os alunos colocarem a m?o na massa

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237508129669&_c_=MiGComponente_C


Acordo Ortografico


Um papo informal com os estagiarios que trabalham no evento foi o ponto de partida para a aula de Roberto Ravioli, no segundo dia de Casa Boa Mesa. E o clima informal e descontraido permaneceu durante as duas horas dedicadas a ensinar cerca de 40 participantes a preparar o raviolone, que nada mais e do que um ravioli maior.

Nascido em uma italianissima familia, Roberto Ravioli, que e arquiteto de formac?o, comecou profissionalmente na culinaria quando virou socio da pizzaria do irm?o e n?o parou mais. Atualmente, ele e dono de dois restaurantes e comanda cerca de 100 funcionarios.

De acordo com o chef, o segredo do sucesso e simples: acertar a linha de gosto do cliente. Em todas as receitas que faco, eu me pergunto: Por que eu pagaria para comer esse prato?. Acho que tenho um paladar medio e isso ajuda, comenta.

Eladio Machado


Os participantes da aula Ravioli por Ravioli puderam comprovar de perto toda a simplicidade do cozinheiro. Ele explicou rapidamente os ingredientes e a preparac?o da massa e do recheio e logo colocou o pessoal para trabalhar.

A movimentac?o comecou timida, mas em menos de cinco minutos nenhum aluno permanecia em suas cadeiras, todos estavam em volta da mesa. Uns colocavam a m?o na massa para deixar na consistencia exata para o raviolone, outros se dedicavam ao preparo do recheio de ricota e espinafre, havia ate quem apenas assistisse a tudo atento e aproveitasse para tirar duvidas direto com o chef, que circulava pela pequena multid?o formada.

Adoro esse clima. Porque sen?o vira uma coisa meio pentelha, eu explicando e todo mundo sentado ouvindo. As pessoas saem daqui sabendo fazer o ravioli, fala Ravioli, que tambem deu seus primeiros passos na gastronomia de forma amistosa, em um clima tipico da familia italiana. Cozinhavamos todos juntos. A familia ficava horas reunida na cozinha, um cortava um ingrediente, outro ajudava no preparo, lembra.

Eladio Machado
O chef acredita ainda que a escolha do prato para a aula e muito importante para essa interac?o. Optar pela receita certa da uma liberdade maior. Se eu viesse aqui fazer um cordeiro, as pessoas n?o poderiam interagir, exemplifica.

O clima descontraido contagiou ate o chef frances Denis Delaval, que deu aulas nos dois primeiros dias de evento e aproveitou para dar uma espiadinha e se divertiu com a aula. Ele esta adorando. Chegou ate a comentar comigo como e mais facil fazer as pessoas participarem quando se fala a mesma lingua, disse Leonor Tasca, chef de cozinha, que acompanhou Delaval em suas aulas como interprete.

Como n?o poderia deixar de ser, ao final, Ravioli foi saudado com aplausos e solicitado para inumeras fotografias, todos pareciam ter a intenc?o de guardar aqueles momentos felizes vividos naquela cozinha por muito tempo.



Leia mais sobre: Casa Boa Mesa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.